segunda, 24 de junho de 2024
Dourados
21ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
DEBATE

Comissão de Educação vota criação do Programa Agente Jovem Ambiental

18 maio 2024 - 20h00Por Agência Senado

A Comissão de Educação (CE) se reúne na terça-feira (21), às 10h, com 13 itens na pauta de votação, sendo um deles o que cria o Programa Agente Jovem Ambiental, de autoria do senador Jaques Wagner (PT-BA). O projeto já foi aprovado na Comissão de Meio Ambiente (CMA) e tem relatório favorável da senadora Teresa Leitão (PT-PE). Se aprovado na CE e não houver recurso para ir ao Plenário, o projeto seguirá para o exame da Câmara dos Deputados.

De acordo com o PL 3.097/2021, o Programa Agente Jovem Ambiental será limitado a participantes com idade entre 16 e 21 anos, com objetivo de auxiliar a Política Nacional de Meio Ambiente, engajando os jovens em ações de educação ambiental e de disseminação de boas práticas. O projeto também define que o poder público poderá futuramente incluir a concessão de auxílio financeiro para esses jovens.

De acordo com o texto, o programa usará os órgãos do Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnama) para: incentivar a participação de jovens em projetos socioambientais e de desenvolvimento sustentável em suas comunidades; promover a capacitação de competências e habilidades em políticas de desenvolvimento sustentável e de educação ambiental para que os jovens atuem em suas comunidades; e criar oportunidades de geração de renda e de melhoria de vida, com inclusão social, para os jovens participantes do programa.

“A nova norma deverá levar o nome de Lei Alfredo Sirkis, em homenagem ao ambientalista, político, jornalista, escritor e ex-deputado federal Alfredo Sirkis, que nos deixou em julho de 2020, deixando um enorme legado à agenda ambiental nos cenários nacional e internacional” diz Jaques Wagner na justificativa da proposta.

A senadora Teresa também foi relatora da matéria na CMA, onde ofereceu emenda para deixar claro que o programa será oferecido apenas para os estudantes que estejam matriculados ou que tenham concluído todo o ensino médio em escola pública. Ela louvou o “espírito público” da proposição, argumentando que “não há como não se afirmar o mérito educacional da proposição, cujos resultados, no longo prazo, tendem a se reverter em favor de toda a sociedade.”

Abril Verde
Já aprovada na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), segue para exame da CE o projeto de lei que institui a campanha Abril Verde, destinada à prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

A proposição (PL 1.063/2022), do senador Paulo Paim (PT-RS), estabelece que, durante o mês, devem ser promovidas em âmbito nacional atividades para divulgar os direitos relacionados à segurança e à medicina do trabalho, assegurados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT — Decreto-Lei 5.452, de 1943), e estimular a conscientização sobre a prevenção de acidentes, como já fazem no mês de abril alguns órgãos públicos como o Ministério Público do Trabalho.

“A segurança do trabalho é uma preocupação antiga, mas que está cada vez mais presente na atualidade”, afirma Paim na justificação do projeto.

O senador Izalci Lucas (PL-DF) emitiu relatório favorável ao projeto. Ele argumentou que a conscientização sobre segurança ocupacional é essencial diante da incorporação de novas tecnologias e do elevado grau de informalidade do mercado de trabalho.

A decisão da CE sobre o projeto é terminativa.

Homenagens
Francisco Adolfo de Varnhagen, o Visconde de Porto Seguro, poderá ser declarado Patrono da Historiografia Brasileira, por meio de projeto (PL 1058/2024) da senadora Mara Gabrilli (PSD-SP) que será votado na CE em caráter terminativo.

Nascido em 17 de fevereiro de 1816, nos arredores de Sorocaba (SP), Varnhagen foi agraciado, em 1872, com o título de Barão e, em 1874, com o de Visconde de Porto Seguro, uma  homenagem por suas pesquisas relacionadas a chegada de Pedro Álvares Cabral ao Brasil.

O senador Sérgio Petecão (PSD-AC), em seu voto favorável à matéria, enaltece a trajetória de Varnhagen “como militar, pesquisador, diplomata, historiador e estadista” na formulação de “soluções inovadoras que moldaram a identidade nacional brasileira”.

E as quadrilhas juninas poderão ser reconhecidas como manifestação da cultura nacional, nos termos do PL 1.227/2023, de autoria da Câmara dos Deputados. O projeto conta com voto favorável da senadora Daniella Ribeiro (PSD-PB) que, em sua justificação, destaca a importância cultural e econômica das quadrilhas. A decisão da CE também é terminativa.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mulher mata companheiro com golpe de faca no pescoço
DOURADOS

Mulher mata companheiro com golpe de faca no pescoço

Após oito dias, incêndio no Parque Nacional do Itatiaia é extinto
MEIO AMBIENTE

Após oito dias, incêndio no Parque Nacional do Itatiaia é extinto

EM PAUTA

Barroso diz ver 'potencialidades' na IA, mas afirma que 'massificação da desinformação' preocupa

Ossuna Braza e Marcos Assunção abrem o Som da Concha 2024; show será no dia 7 de julho
ENTRETENIMENTO

Ossuna Braza e Marcos Assunção abrem o Som da Concha 2024; show será no dia 7 de julho

A discussão sobre o Aborto....
ARTIGO

A discussão sobre o Aborto....

BR-262

Quatro são presos por tráfico e carga de droga é interceptada

BRASIL

Grandes usinas solares igualam capacidade da hidrelétrica de Itaipu

ESPORTES

Corumbaense goleia Novo e chega invicto à decisão do Estadual Sub-13E

DEBATE

Operadoras poderão ser obrigadas a oferecer planos de saúde individuais

CULTURA

IV Feira da Literatura de MS começa na quarta-feira em Dourados

Mais Lidas

OPORTUNIDADE

Frigorífico abre 360 vagas de emprego em Dourados

DOIS IRMÃOS DO BURITI

Prefeitura de MS abre concurso com salários que ultrapassam R$ 14 mil

CAMPO GRANDE

PMs sequestraram motorista de caminhão para roubar droga

DOURADOS

Final de semana permanece quente e seco, mas temperatura despenca nos próximos dias