Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99659-5905
JUDICIÁRIO

CNJ pune juiz que acusou Gilmar Mendes de receber propina

03 dezembro 2019 - 22h05Por Agencia Brasil

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) decidiu nesta terça-feira, dia 03 de dezembro, punir o juiz Glaucenir de Oliveira, da Vara Criminal de Campos de Goytacazes (RJ), por causa de um áudio de WhatsApp em que ele acusou o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de receber propina para conceder habeas corpus ao ex-governador do Rio Anthony Garotinho. O caso ocorreu em 2017. 

Por maioria, os conselheiros seguiram o voto proferido pelo presidente, ministro Dias Toffoli, para aplicar pena de disponibilidade ao magistrado, a segunda mais grave prevista na Lei Orgânica da Magistratura (Loman). Pela disponibilidade, o juiz ficará dois anos afastado do cargo, mas terá direito a receber salário proporcional ao tempo de serviço. A pena mais grave é a aposentadoria compulsória.

Em um grupo de juízes, Glaucenir enviou uma mensagem de áudio na qual dizia que Mendes receberia uma quantia em espécie para cassar uma prisão preventiva de Anthony Garotinho em dezembro de 2017. O político estava preso por ordem do magistrado sob a acusação de compra de votos. 

“A mala foi grande”, disse o magistrado no áudio. Ele disse ter recebido informações de terceiros sobre o pagamento de propina a Mendes. Glaucenir acrescentou ainda que outros ministros do STF se “acovardam” ante as decisões do colega e concluiu afirmando que “virar palhaço de circo do Gilmar Mendes não tem condição”.

Em seu voto, Toffoli classificou a fala de Glaucenir como muito grave e afirmou que a declaração atingiu a dignidade do STF.  Para o ministro, a retratação feita pelo juiz não foi suficiente para reparar o dano moral causado. 

“"Isso não atinge só a pessoa do ministro que foi atacado. Ele [juiz] atingiu toda a instituição. Veja que isso alimenta, se repete e nunca mais se consegue tirar da internet. Todos nós sabemos disso, se eterniza no tempo", afirmou Toffoli.

Durante o julgamento, a defesa disse que Glaucenir de Oliveira se retratou dos fatos e exerceu o exercício do direito de expressão em um grupo privado do aplicativo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Prouni disponibilizará 167.789 bolsas em 1.061 instituições privadas
CAMPO GRANDE
Mais de 12 toneladas de peixe passam por fiscalização na Capital
EDUCAÇÃO
Sisu tem 814,47 mil candidatos inscritos em todo Brasil
CRIME AMBIENTAL
Denúncia termina com a prisão de caçador com rifles e munições
CASSILÂNDIA
Justiça aumenta pena-base de condenado por estelionato
BRASIL
Covid-19: voo com carga de máscaras de cirúrgicas chega ao Brasil
PANDEMIA
MS tem mais sete mortes e se aproxima de 13 mil casos de coronavírus
DETRAN-MS
Para evitar aglomeração, mais de mil pessoas já agendaram atendimento nas agências de Dourados
DOURADOS
Aced solicita prorrogação de alvarás e aguarda aprovação da Câmara de Vereadores
AUTOMOBILISMO
São Paulo acredita em confirmação de GP Brasil de Fórmula 1 em 2020

Mais Lidas

ACIDENTE DE TRABALHO
Douradense morre após ser atingido na cabeça por peça de elevador de 20kg
PANDEMIA
Pneumologista é o terceiro médico a morrer por covid-19 em Dourados
DOURADOS
“Ele não conseguiu terminar o último plantão”, diz esposa de médico vítima da Covid
DOURADOS
Decreto é alterado e agora autoriza delivery e drive-thru para bares e conveniências