Menu
Busca domingo, 16 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Clima seco: Queimadas deixam em alerta o Brasil

29 agosto 2004 - 15h17

Clima seco, estiagem prolongada, uso do fogo por agricultores, queima de lixo em área urbana. Estes são alguns dos motivos que provocam aumento no número de queimadas e focos de calor por todo Brasil. De acordo com dados do Programa de Prevenção e Controle de Queimadas e Incêndios Florestais na Amazônia Legal (Proarco), só na Amazônia, dos 57 mil hectares queimados este ano, mais da metade ocorreu nos meses de julho e agosto. No Mato Grosso, por exemplo, já foram contabilizados aproximadamente 33 mil focos de calor em 2004, o que coloca o estado em primeiro lugar no ranking de queimadas, com cerca de 69% dos focos registrados no Brasil. “Estamos passando pelo período mais crítico no estado do Mato Grosso e no Brasil. Das 35 unidades de conservação do estado, em 21 há registros de focos de calor”, afirma o coordenador estadual do Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do Mato Grosso, Romildo Gonçalves. Esta semana, em Goiás, brigadistas do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Corpo de Bombeiros conseguiram controlar o incêndio no Parque Estadual da Serra Dourada. Calcula-se que pelo menos 2.800 hectares de mata foram destruídos pelo fogo. Para o combate às queimadas o Ibama vem adotando algumas medidas de prevenção. Como o fogo é utilizado para limpeza de culturas e abertura de novas áreas, para pecuária e agricultura, nos estados com um maior número de focos de calor, as queimadas estão proibidas desde o dia 15 de julho até 15 de setembro. Outra medida do Ibama, junto com o Ministério do Meio Ambiente, é o Plano Nacional de Combate ao Desmatamento e Queimadas. O secretário de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente, João Paulo Ribeiro, explica que o plano tem promovido diversas ações contra as queimadas.“Nas regiões mais críticas, implementamos uma série de seminários e cursos de formação, capacitação e treinamento de agentes locais. Estamos alertando a população sobre os riscos ambientais e distribuímos kits de combate e prevenção a queimadas em vários pontos onde os focos se concentram”, diz. As áreas mais atingidas pelo fogo são as unidades de conservação, as áreas indígenas, os assentamentos rurais e florestas que ficam à margem das vias públicas e federais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Dourados tem 35 pacientes com Covid-19 na espera por vaga pública de UTI
OCUPAÇÃO MÁXIMA
Dourados tem 35 pacientes com Covid-19 na espera por vaga pública de UTI
ECONOMIA
Abono salarial do PIS-PASEP de até R$ 1,1 mil tem calendário unificado
EDUCAÇÃO
Projeto 'Astrominas' oferece vagas para meninas adolescentes em atividades online de ciências
EMPREGO
Processo seletivo da Prefeitura de Maracaju terá salários de até R$ 8,5 mil
EDUCAÇÃO
Prazo para pedir isenção de taxa do Enem começa nesta segunda-feira
POLÍCIA
Foragido da Justiça é preso após agredir namorada adolescente
POLÍCIA
Mulher encontra seus três cachorros envenenados e suspeita de vingança do ex
ESPORTE
Grêmio vence Inter de virada e larga em vantagem na final do Gauchão
ESPORTES
Palmeiras domina o Corinthians, vence em Itaquera e vai à final do Paulistão
POLÍCIA
Homens são flagrados carneando vaca furtada e um deles tenta agredir policial a facada

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Após discussão, jovem bate veículo em poste e namorada que estava no capô morre
TRÁFICO DE DROGAS
Chefe do 'Comando Vermelho' e foragido há seis meses é preso em Dourados
FEMINICÍDIO
Mulher baleada na cabeça pelo ex-marido morre no hospital
CAPITAL
Jovem sai para comprar narguilé e morre após colidir moto contra poste