Menu
Busca sábado, 04 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Hugo Chávez continuará na presidência e posse será adiada

05 janeiro 2013 - 11h15

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, continuará no poder ainda que não possa assumir o novo mandato para o qual foi reeleito, disse nesta sexta-feira (4) o vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. A posse de Chávez está prevista para a próxima quinta-feira, 10 de janeiro.

Maduro disse que a posse é uma "formalidade" e que será resolvida posteriormente no Supremo Tribunal.

"O período constitucional 2013-2019 começa em 10 de janeiro. No caso do presidente Chávez, que é um presidente reeleito, ele continua nas suas funções e a formalidade de seu juramento poderá ser resolvida perante o TSJ", disse Maduro, em entrevista ao canal oficial VTV, em alusão ao Supremo Tribunal de Justiça.

O vice-presidente fez estas declarações ao ser consultado sobre a hipótese de que o mandatário, hospitalizado desde 11 de dezembro em Cuba, não possa assumir na próxima quinta-feira o terceiro mandato de seis anos após ser reeleito, em 7 de outubro.

Nesta quinta (3), o governo venezuelano anunciou que o presidente passar por uma insuficiência respiratória, consequência de uma "severa infecção pulmonar".

Herdeiro político de Chávez, Maduro disse que o Supremo resolverá "o momento" do juramento "em coordenação" com o presidente.

Hugo Chávez, de 58 anos, 14 deles no poder, foi "reeleito por vontade da maioria nacional em um evento eleitoral absolutamente transparente e legítimo", acrescentou.

Desta forma, Maduro excluiu que a possível ausência do presidente perante a Assembleia Nacional na semana que vem leve a declarar sua ausência e a nomeação temporária do titular do Legislativo, como demanda a coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD).

Maduro acusou, ainda, a oposição venezuelana de manipular as teses de "golpe rápido" e "golpe lento" às vésperas do 10 de janeiro.

O impasse político segue na Venezuela. A Assembleia Nacional da Venezuela espera reeleger neste sábado (5) como seu presidente Diosdado Cabello, aliado estratégico de Hugo Chávez, o que o coloca como o encarregado de liderar o país se o governante não se recuperar de sua última cirurgia contra o câncer.

Isso porque a Constituição do país estabelece que o chefe do órgão legislativo deve tomar as rédeas da república e convocar eleições diante da incapacidade de um presidente eleito de assumir o cargo. Maduro defende que Chávez já é o presidente eleito e, portanto, não precisa ser legitimado com a posse no dia 10.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Programa para financiar salários de pequenas e médias empresas é criado e aguarda regulamentação
ÁGUA CLARA
Dois jovens são presos por infringir o toque de recolher em MS
CORUMBÁ
Operação de repatriação dos brasileiros vindos da Bolívia tem reforço de helicóptero em MS
PANDEMIA
EUA são acusados de 'pirataria' e 'desvio' de equipamentos que iriam para Alemanha, França e Brasil
INCENTIVO
Governo amplia lista de produtos médico-hospitalares com IPI zerado
COVID-19
Comitê de Crise de conronavírus estuda dividir o Hospital da Vida em duas partes durante pandemia
ITAMARATY
Mais de 500 repatriados já cruzaram a fronteira da Bolívia com o Brasil
PARANAÍBA
MPMS viabiliza recurso para aquisição de testes rápidos do novo coronavírus
COVID-19
Governo de MS usa localizadores de celular para monitorar cumprimento da quarentena do coronavírus
ELEIÇÕES
Lia Nogueira oficializa filiação ao Partido Progressista

Mais Lidas

DOURADOS
Exame de jovem que morreu no HU testa negativo para coronavírus
COVID-19
Dourados tem mais um caso confirmado de coronavírus
DOURADOS
Jovem morre no HU e município pede agilidade no resultado do exame de coronavírus
CORONAVÍRUS
Dourados registra mais dois casos de Covid-19 e MS tem 60 confirmações