Menu
Busca sábado, 04 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Casos de HIV passarão a ser notificados no Brasil

29 dezembro 2012 - 15h24

Seguindo recomendação da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o Ministério da Saúde vai passar a contabilizar os casos de diagnóstico positivo para o HIV, ampliando a notificação, que antes era restrito a soropositivos que tinham desenvolvido a aids.

A medida, elaborada em parceria com o comitê de especialistas que apoia o programa brasileiro para HIV/aids e já adotadas por estados como São Paulo, Pernambuco, Paraná e o Distrito Federal, será apresentada a representantes dos movimentos sociais antes de ser implementada.

“Estima-se que hoje que, no Brasil, 135 mil pessoas vivam com HIV sem conhecer sua sorologia.

Para diagnosticar essa parcela da população mais precocemente e acolhê-la no serviço de saúde, queremos ampliar a notificação”, explica o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Dirceu Greco. “A notificação dos casos de HIV não gerará um cadastro.

Será assegurado o mesmo sigilo das informações dos brasileiros que vivem com aids”, acrescenta.

No Brasil, atualmente, apenas as pessoas que já desenvolveram a aids, gestantes com HIV e crianças expostas ao vírus são de notificação compulsória nos sistemas de vigilância do Ministério da Saúde.

Com a recomendação, passarão a ser registrados todos os casos de infecção pelo HIV.

A intenção do governo é, além de aprimorar a resposta à aids, iniciar o tratamento dos infectados em tempo oportuno, visando, com isso, que a doença não se manifeste, além de propiciar mais qualidade de vida para quem tem o vírus.

“Além disso, os pacientes em tratamento antirretroviral e que estão com carga viral indetectável reduzem, a quase zero, o risco de transmissão do HIV”, destacou o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Dirceu Greco.

Ele reforça que, com a medida, o Ministério da Saúde trabalha também para quebrar a cadeia de transmissão do vírus. O Brasil segue a tendência internacional. Na América Latina, Paraguai, Uruguai, Argentina e Chile já notificam casos de HIV. “Estados Unidos também, há muito tempo.

Na Europa, mais recentemente, Portugal passou a notificar. Com isso, podemos também elaborar políticas públicas mais específicas”, explicou Greco.

Para o diretor, a notificação irá contribuir para precisar os dados e redirecionar a vigilância epidemiológica no Brasil. Segundo Greco, o que era iniciativa de alguns estados que já notificam pacientes com HIV, agora será uma sistematização oficial.

“É importante lembrar que São Paulo fazia essa notificação desde 1994 e há 16 anos o Ministério da Saúde faz o registro das gestantes com HIV e crianças expostas ao vírus. E a informação, claro, é sigilosa”, reforçou.(Fonte: Agência Saúde)

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Polícia localiza jovem que estava desaparecida desde quarta-feira
POLÍTICA
'Médico não abandona paciente', diz Mandetta sobre eventual demissão
CAPITAL
Mulher vê filha ser estuprada pelo avô que também a violentou quando criança
COVID-19
Saúde de MS recebe seis mil testes rápidos para diagnóstico do coronavírus
FRONTEIRA
Polícia Militar apreende 327 quilos de maconha em dois veículos
Marie Claire
Ex-BBB20 Felipe Prior é acusado de violentar mulheres, diz revista
SEU BOLSO
Governo antecipa prazo final de saque do abono do PIS-Pasep
JUSTIÇA
Mulher ofendida por rede social será indenizada por dano moral
ESCOLTA
PRF realiza escolta no repatriamento de brasileiros vindos da Bolívia
SAÚDE
Estudantes da UFGD criam site para divulgar dados atualizados da covid-19

Mais Lidas

NOVA ANDRADINA
Hospital confirma três profissionais com coronavírus em unidade que atendeu idosa
CRIME AMBIENTAL
Pescador é flagrado com barco, motor de popa e petrecho de pesca
COVID-19
Familiares de casal que testou positivo para coronavírus em Dourados são monitorados
BOLETIM DA SES
Dourados registra mais um caso de coronavírus e MS tem 51 confirmações