Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
DEPUTADOS

Câmara regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde

13 dezembro 2017 - 07h31Por G 1

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, dia 12 de dezembro, um projeto que prevê novas regras para a atuação de agentes comunitários de saúde e de agentes de combate a endemias. Como a proposta já foi aprovada pelo Senado, seguirá agora para sanção presidencial.

O texto exige, por exemplo, que os novos profissionais tenham ensino médio completo, além do curso de formação inicial com carga horária mínima de 40 horas.

A proposta, apresentada pelo deputado Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE), já havia sido aprovada pela Câmara, mas foi modificada no Senado e, por isso, precisou passar por nova análise dos deputados, que deram aval às alterações feitas pelos senadores.

Escolaridade

Pela proposta, será admitida a contratação de agentes comunitários de saúde que tenham concluído apenas o ensino fundamental, desde que não haja candidatos com ensino médio.

Os gentes contratados deverão comprovar, porém, no prazo máximo de três anos, a conclusão do ensino médio.

A conclusão do ensino médio não será exigida para os agentes que já estiverem exercendo a profissão quando a nova lei for publicada.

Jornada de trabalho

Outra mudança é a divisão da jornada de trabalho, de 40 horas semanais, em duas partes:

A primeira, de 30 horas semanais, destinada para atividades externas de visitação domiciliar, execução de ações de campo, coleta de dados, orientação e mobilização da comunidade, entre outras;

A segunda, de 10 horas semanais, voltada a atividades de planejamento e avaliação de ações, detalhamento das atividades, registro de dados e aperfeiçoamento técnico.

Moradia
A proposta também altera uma regra em vigor que exige que o agente comunitário de saúde more na área da comunidade em que atua, desde a data de publicação do edital de seleção de novos agentes.

Pela proposta, caso o agente adquira casa própria fora da área da comunidade em que atua, a regra será flexibilizada, mas será mantida a vinculação à mesma equipe de Saúde da Família que atua.

No entanto, o agente poderá ser remanejado para a uma equipe de saúde de saúde atuante na área onde está localizada a casa que adquiriu.

Além disso, a proposta prevê que o agente comunitário de saúde poderá ser deslocado para outra área de atuação caso haja risco a sua integridade física ou à integridade de membro de sua família.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORUMBÁ
Homem é assassinado a golpes de faca no abdômen e na cabeça
POLÍTICA
Nelsinho Trad recebe do Dnit garantia de R$ 41,2 milhões para obras em MS
POLÍCIA
Homem é preso após subornar policiais militares com "corrente de ouro"
SAÚDE
Profissionais da maternidade do HU recebem curso sobre imunização
CAPITAL
Motorista de carro que bateu em carreta morre após parada cardiorrespiratória
TECNOLOGIA
WhatsApp agora permite silenciar conversas e grupos; veja como fazer
TRIBUNAL DO JURI
Sobrinho que matou tio a tiros em conveniência sai livre de julgamento
JUSTIÇA
Lote de habitação popular deve ser quitado com falecimento de beneficiário
REGIÃO
PF prende golpista que enviou molho de tomate a cliente que pagou por celular
BRASIL
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior

Mais Lidas

DOURADOS
Carona de motociclista que morreu em acidente com carreta corre risco de ter perna amputada
DOURADOS
Vítima de acidente na Marcelino Pires morre na mesa de cirurgia
FEMINICÍDIO
Agredida a tijoladas, mulher morre em Dourados após nove dias de internação
POLÍCIA
Carona de motociclista que morreu em acidente é transferida para o Hospital Universitário