Menu
Busca terça, 29 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
GOVERNADOR

Bruno Covas inicia imunoterapia para tratamento de câncer

27 fevereiro 2020 - 15h20Por Agência Brasil

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, iniciou, nesta quarta-feira (26), um novo ciclo para o tratamento de um câncer diagnosticado na região do estômago em outubro do ano passado. Covas vai realizar a imunoterapia, que consiste em infusões com medicamentos para potencializar o sistema imunológico.

"Os medicamentos procuram romper essa espécie de transe que o sistema imune se coloca de maneira que a imunidade do paciente possa identificar e atacar as células tumorais", explicou o diretor do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês, Artur Katz.

O tratamento continua sendo feito no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. A imunoterapia será realizada a cada três semanas, e cada infusão dura aproximadamente 30 minutos, sem a necessidade de internação hospitalar. A estimativa é que este ciclo se encerre em seis meses.

Quimioterapia

Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (27), a equipe médica do hospital informou que as sessões de quimioterapia, realizadas desde novembro do ano passado, foram eficientes, mas insuficientes.

"A quimioterapia foi extremamente eficiente, mas não foi suficiente, por isso a equipe médica optou pela imunoterapia e o prefeito Bruno Covas aceitou bem a indicação", disse o diretor do Centro de Infectologia do Hospital Sírio-Libanês, David Uip.

"O tratamento planejado foi concluído e cumpriu o que deveria. Vimos nos exames de petscan, ressonância e endoscopia uma resposta importante, mas víamos consistência de anormalidades nas imagens na região dos linfonodos. Em função dessa persistência e como já havia cumprido tudo o que se esperava da quimioterapia, a opção foi iniciar a imunoterapia", completou Katz.

Segundo a equipe médica, o estado clínico de Covas é muito bom. "Ele está com o estado geral muito bom. Como a quimioterapia pode baixar a imunidade, recomendamos que ele evitasse eventos públicos, mas, agora, com a imunoterapia poderá voltar, paulatinamente, à vida pública", explicou o oncologista Tulio Pfiffer.

O médico ainda explicou que a imunoterapia tem muito menos efeitos adversos. "É um tratamento mais tranquilo, com menos efeitos colaterais e vai permitir que aos poucos retorne às atividades normais".

Diagnóstico

Covas foi internado no dia 23 de outubro no Hospital Sírio-Libanês para tratamento de uma erisipela. Dois dias depois, os médicos diagnosticaram uma trombose venosa das veias fibulares e exames subsequentes apontaram tromboembolismo pulmonar e câncer. O prefeito foi diagnosticado com adenocarcinoma, um tipo de câncer na região de transição do esôfago para o estômago, além de uma metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos.

O prefeito continuou no cargo durante o tratamento, despachando e fazendo reuniões de trabalho no próprio hospital, quando necessário.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FRONTEIRA
Homem que roubou R$ 30 mil de empresa é preso em posto na BR-163
RIO DE JANEIRO
Fachin rejeita novo pedido de Witzel para voltar ao cargo de governador
SIDROLÂNDIA
Mulher é sequestrada ao lado do filho e estuprada pelo ex-marido
DINHEIRO
Auxílio emergencial: Onyx promete pagar R$ 300 a partir de quarta
CORUMBÁ
Cão fica preso em buraco de concreto ao tentar retornar para casa
VÔLEI
STJD denuncia Carol Solberg após fala política "Fora Bolsonaro"
ANGÉLICA
Mulher de 29 anos é presa com arma e munições irregulares
UEMS
Curso sobre Cultura Chinesa recebe inscrições até a próxima sexta-feira
CORONEL SAPUCAIA
Empresa é autuada em R$ 5,5 mil por desmatamento de vegetação protegida
PANTANAL
Combate às queimadas no MS ganha reforço de mais 120 brigadistas

Mais Lidas

POLÍCIA
Comerciante morre em acidente na MS-276
REGIÃO
Homem que disse ter encontrado mulher morta volta atrás e confessa feminicídio
LAGUNA CARAPÃ
Homem sente falta de esposa, vai procurar e a encontra morta em poço
DOURADOS
Festa com mais de cem pessoas é encerrada no Novo Horizonte