domingo, 26 de maio de 2024
Dourados
12ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
LEVANTAMENTO

Brasil registra déficit habitacional de 6 milhões de domicílios

24 abril 2024 - 20h50Por Redação

O déficit habitacional do Brasil totalizou 6 milhões de domicílios em 2022, o que representa 8,3% do total de habitações ocupadas no país. Em termos absolutos, na comparação com 2019 (5.964.993), houve um aumento de cerca de 4,2% no total de déficit de domicílios.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (24) pela Fundação João Pinheiro (FJP), instituição responsável pelo cálculo do déficit habitacional do Brasil em parceria com a Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades. 

A predominância do déficit habitacional no país é em famílias com até dois salários mínimos de renda domiciliar (R$ 2.640), prioritariamente aqueles da Faixa 1 do Programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal (74,5%). No resultado geral do indicador, o componente ônus excessivo com o aluguel urbano (famílias com renda domiciliar de até três salários-mínimos que gastam mais de 30% de sua renda com aluguel) se destaca, com 3.242.780 de domicílios, o que representa 52,2% do déficit habitacional.

“A gente teve um período recente sem política pública de moradia, houve a crise sanitária e econômica, muitas famílias ficaram sem renda. O principal componente do déficit habitacional é o ônus excessivo por aluguel, as famílias que gastam mais de 30% da sua renda com aluguel. Essas famílias são a maioria das que integram esse déficit, têm necessidade de uma nova moradia”, disse a diretora executiva da ONG Habitat para a Humanidade Brasil, Socorro Leite. “Precisamos de política pública continuada com aumento de renda, além de ter investimento em infraestrutura das casas”.

Segundo o estudo, as mulheres aparecem como 62,6% do total de  responsáveis pelos domicilios (3.892.995) e as pessoas negras (exceto na região Sul do Brasil) são maioria em praticamente todos os componentes, consequentemente, no próprio déficit habitacional.

O déficit habitacional absoluto por região é de 773.329 no Norte do Brasil; 1.761.032 no Nordeste; 499.685 no Centro-Oeste; 2.433.642 no Sudeste e 737.626 na região Sul. 

Regionalmente, as habitações precárias (domicílios improvisados ou rústicos) são o principal componente responsável pelo déficit habitacional no Norte (42,8%) e Nordeste (39,9%), onde há maior relevância do déficit habitacional rural. No Sudeste, Sul e Centro-Oeste do país, o predomínio é do ônus excessivo com o aluguel urbano.

A atualização dos dados para o ano de 2022 teve como base a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

Deixe seu Comentário

Leia Também

SUL DO PAÍS

Vale do Taquari: Exército vai refazer travessias levadas pelas cheias

BRASIL

Novos títulos verdes financiarão economia circular e saneamento

MATO GROSSO DO SUL

Chefes de unidades de investigação de homicídios debatem índice nacional em reunião

RIO GRANDE DO SUL

Prefeitura usa sacos para fechar comportas danificadas em Porto Alegre

SAÚDE

UTIs vão reforçar hospitais de campanha no Rio Grande do Sul

MATO GROSSO DO SUL

Mulher que usou espingarda de pressão para machucar cachorro é presa

BRASIL

Saúde lança nova campanha de vacinação contra covid-19

ARTIGO

A exploração política de uma tragédia...

POLÍCIA

Animais em situação de maus tratos são resgatados em Corumbá

ESPORTE

Brasil encerra Mundial de Atletismo com mais seis medalhas

Mais Lidas

'SEGURANÇA LEGAL'

Empresas clandestinas de segurança são alvos de Operação da Polícia Federal em MS

DOURADOS 

Alerta de Frio: Temperaturas em Dourados devem cair no final de semana

NOVIDADE

Dourados poderá ter corredor gastronômico na avenida Weimar Torres

TEMPO

Inmet divulga alerta de tempestade para Dourados e região