Menu
Busca sexta, 23 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Brasil precisa ter paciência com a Argentina, diz Lula

09 dezembro 2004 - 15h12

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira em Cuzco, no Peru, que o Brasil precisa ter "paciência" em relação aos seus parceiros comerciais no Mercosul, em especial com a Argentina. Lula falou sobre o assunto quando foi questionado em meio ao encontro que busca firma a união dos países sul-americanos sobre as pressões do governo argentino para que sejam implementadas barreiras aos produtos brasileiros que estariam prejudicando a economia do país vizinho. "O Brasil é um país que tem a maior economia da América do Sul, a maior economia do Mercosul, possui um parque industrial consolidado e tem que ter paciência, ser mais generoso e não permitir que um problema qualquer do setor econômico cause problemas na relação entre as duas nações."Na próxima sexta-feira, haverá encontro em Buenos Aires entre representantes dos dois governos para tentar se chegar a um entendimento frente a pedidos recentes do presidente Néstor Kirchner e do ministro da Economia, Roberto Lavagna, para que se imponham restrições à entrada de alguns produtos brasileiros. Ao falar sobre a questão, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, também foi conciliador. "Temos que ser diplomatas e negociar da melhor maneira possível. Também temos que entender que a Argentina vive um problema político, já que está saindo de uma crise importante na sua história", afirmou ele. Durante os encontros na cúpula que está ocorrendo no Peru, o presidente também falou sobre a crise interna de seu governo com o PMDB. Perguntado sobre a intenção do partido de retirar seus ministros do governo num prazo de 48 horas, Lula afirmou: "Vamos deixar os partidos agirem da forma que eles quiserem agir e na medida em que o governo precisar votar questões importantes (no Congresso Nacional) vai negociar, como é de hábito numa democracia". Lula disse ainda que não acredita que o partido tomará uma decisão "precipitada". "Eu entendo que o Brasil entra num ano pré-eleitoral e que os partidos devem ter autonomia para tomar suas ações. A oposição tem o direito de querer que uma eleição (campanha) seja antecipada, mas o governo tem o dever de governar porque para isso foi eleito."O presidente retorna nesta quinta-feira pela manhã meio-dia em Brasília para a capital federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Novato de MS quer surpreender na Taça Brasil e encara o atual campeão na estreia
FUTSAL
Novato de MS quer surpreender na Taça Brasil e encara o atual campeão na estreia
Após perseguição, polícia apreende três veículos com produtos de contrabando e descaminho
POLÍCIA
Após perseguição, polícia apreende três veículos com produtos de contrabando e descaminho
Em meia hora, dois são presos por violência doméstica
POLÍCIA
Em meia hora, dois são presos por violência doméstica
Golpista usa nome de secretário de saúde para arrecadar fundos em falso jantar
ALERTA
Golpista usa nome de secretário de saúde para arrecadar fundos em falso jantar
COTAÇÃO
Dólar fecha próximo da estabilidade nesta sexta-feira
POLÍCIA
Contido por populares, homem é preso ao tentar furtar residência de idoso
IMBRÓGLIO
MPF recomenda à Funai que faça a demarcação física da terra indígena em Aquidauana
MATO GROSSO DO SUL
Auditor da Receita assume Diretoria de Transportes, Rodovias e Portos na Agepan
POLÍCIA
Em ação conjunta polícia inicia Operação Cidade Tranquila, com atuação de cães de guerra
DRIVE-THRU
Dourados terá 2 mil doses para pessoas acima de 27 anos neste sábado

Mais Lidas

DOURADOS
Onda de frio vai embora e previsão é de termômetros acima de 30ºC
DOURADOS
Polícia fecha 'boca' na Cachoeirinha e quatro são levados à delegacia
UTILIDADE PÚBLICA
Manutenção: onze bairros podem ficar sem água em Dourados; confira a lista
VIAS DE FATO
Confusão entre "trisal" resulta em agressão e envolvidos vão parar na delegacia