Menu
Busca segunda, 06 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Brasil ocupa 37ª posição em ranking de competitividade internacional da Fiesp

26 novembro 2012 - 17h45

Dados divulgados hoje (26) pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) revelam que o Brasil ficou em 37ª lugar no Índice de Competitividade da instituição (IC-Fiesp). O levantamento compara 43 países no ano de 2011, a partir do desempenho de oito fatores: economia doméstica, abertura econômica, eficiência de governo, facilidade na obtenção de capital, infraestrutura, tecnologia, produtividade e capital humano.

Os Estados Unidos ficaram em primeiro lugar na classificação, com 91,8 pontos; Taiwan, segunda colocada, ficou com 75,3 pontos. A China foi classificada em 22º lugar (53,9 pontos); a Rússia, em 24º (50 pontos); a África do Sul, 36º (24 pontos) e a Índia, 43º (8,9 pontos).

O Brasil figura no grupo de competitividade baixa, com 22,5 pontos e está abaixo de países como México, que aparece no ranking em 34º lugar, com 28,3 pontos, e Tailândia, em 35º lugar, com 26,3 pontos. “[No Brasil,] elevados juros e spread [diferença entre a taxa de captação do dinheiro pelo banco e a taxa cobrada do cliente] limitam o crédito, o que, combinado com a alta e crescente carga tributária, desestimulam o investimento”, diz a entidade, em nota.

“O Brasil não mostra um desempenho competitivo em seus resultados comerciais, principalmente por causa do déficit em manufatura, explicado, em grande parte, pelo custo Brasil e pelo comportamento do câmbio”, acrescenta a entidade.

O desempenho do Brasil, no entanto melhorou. Entre 2000 e 2011, o índice de competitividade do país passou de 17,4 pontos para 22,5 pontos – um aumento de 5,1 pontos. A Coreia do Sul apresentou crescimento de 9 pontos no mesmo período, enquanto a China mostrou aumento de competitividade de 8 pontos, seguida pela Irlanda, com ganho de 7 pontos.

“O Índice de Competitividade Fiesp apurou que o aumento da produtividade da indústria, do gasto com pesquisa e desenvolvimento, do registro de patentes e do investimento em educação foram vetores do crescimento nesses países que lideraram o desempenho competitivo entre 2000 e 2011”, diz a Fiesp.

De acordo com o ranking, a Suécia, a Finlândia e o Japão foram os países que mais perderam competitividade entre 2000 e 2011, com decréscimos de 9, 8 e 7 pontos, respectivamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUNDERSUL
Contorno rodoviário contempla expansão portuária de Porto Murtinho
DOURADOS
Vítimas foram atingidas com 12 disparos de pistola no Jardim Carisma
TELEVISÃO
Gabi é a décima primeira eliminada do 'BBB20' com 59,61% dos votos
ELEIÇÕES 2020
Partidos que não atingirem quociente podem eleger vereadores
DOURADOS
Secretário propõe Hospital da Mulher e da Criança como referência à Covid-19
MARACAJU
Traficante é flagrando transportando 265 quilos de maconha em veículo
JUSTIÇA
Estudante que perdeu prova seletiva por atraso em voo será indenizado
CORUMBÁ
Homem morre atropelado em rodovia; motorista responsável foge
AVANÇO DO COVID-19
Brasil tem 487 mortos e mais de 11,2 mil casos confirmados de coronavírus
CAPITAL
Mulher sofre queimadura ao preparar almoço e morre 6 dias depois

Mais Lidas

DOURADOS
Dois homens são executados por dupla de moto no Jardim Carisma
DOURADOS
Homem agride gestante e é assassinado a pauladas em favela
DOURADOS
Polícia apura que filho matou pai a pauladas após agredir a mãe grávida
COVID-19
Estado tem mais três confirmações do novo coronavírus em 24 horas, todas no interior