sábado, 13 de abril de 2024
Dourados
23ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

Brasil e Venezuela disputam o título sul-americano do vôlei

05 setembro 2003 - 16h23

Embora somente um ou outro jogador da seleção brasileira masculina de vôlei esteja encarando como revanche, este é o clima da partida entre Brasil e Venezuela, amanhã (6), às 16h, no ginásio do Miécimo da Silva, em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro. É a quinta e última rodada da 25ª edição do Campeonato Sul-Americano masculino de vôlei. Além de definir o campeão da competição, a vitória garante ao vencedor a participação na Copa do Mundo, em novembro, no Japão, quando estarão em jogo três vagas para os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. O oposto Anderson não esconde a vontade de enfrentar de novo a Venezuela. “O jogo valerá uma vaga para a Copa do Mundo, por isso exigirá dedicação total. A Venezuela vai lutar ao máximo para ir ao Japão. De uma maneira ou de outra, será uma revanche. Ninguém aceita a derrota no Pan-Americano. A Venezuela está entalada na garganta e queremos dar o troco”, diz o jogador.A incógnita, para Anderson, é se os venezuelanos manterão o ritmo de Santo Domingo. “Vai ser um jogo bem disputado. A Venezuela vem num ritmo muito bom. É um time bem treinado e mostrou a sua força no Pan. Chegar ao ápice é fácil. Difícil é se manter nessa condição”, completa o oposto.Enquanto isso, o capitão Nalbert descarta o clima de revanche. “Temos que encarar esse jogo com tranqüilidade e não entrar com espírito de revanche. Precisamos pensar em fazer o nosso jogo certo. É claro que a Venezuela melhorou muito, desencantou no Pan e vai vir com tudo. É um time que ataca muito bem e esse levantador (Valera) deu outro ritmo ao grupo”, diz o ponta. O técnico Bernardinho se posiciona entre as duas opiniões. “No momento, o jogo contra a Venezuela é mais preocupante do que antes. Isso devido ao que estão jogando. A vitória no Pan-Americano deu muita confiança. É um time jovem e sem grandes responsabilidades, que possui não seis, mas sete jogadores em condições de serem titulares. O Diaz é o sétimo jogador deles. O Gómez é sempre o algo a mais, principalmente no saque e no ataque. Os dois centrais

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE 

Justiça Federal nega novo pedido de transferência de Ronnie Lessa

ECONOMIA

Anfavea quer volta do Salão do Automóvel

DIZ ESPECIALISTA

Brasil precisa criar política de cuidados para reduzir sobrecarga das mulheres

JUSTIÇA

CNJ suspende norma que proíbe uso de cropped no STJ

Semana Acadêmica discute sobre as responsabilidades do engenheiro civil
UNIGRAN

Semana Acadêmica discute sobre as responsabilidades do engenheiro civil

POLÍCIA

Dono do Botafogo entrega documentos sobre manipulação de resultados

EMISSORA PÚBLICA

TV Brasil vai transmitir Brasileirão Feminino a partir de 20 de abril

ESPORTES

Escola de Brasília denuncia racismo e preconceito durante jogo

ECONOMIA

Governo de MS assina parceria para impulsionar a citricultura

UNIVERSIDADE ESTADUAL

Curso de "Primeiros socorros no ambiente escolar" tem inscrições abertas

Mais Lidas

JARDIM EUROPA

'Leandrinho do PCC' morre em confronto com policiais do SIG em Dourados

TRAGÉDIA

Identificadas vítimas de acidente que matou seis na BR-163 em MS

DOURADOS

Morre empresário e desportista Valdir Machado

TRÁFICO DE DROGAS

Motorista é preso em Dourados transportando mais de 400 kg de maconha em carreta de bebidas