Menu
Busca domingo, 29 de novembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos

20 outubro 2020 - 14h28Por Agência Brasil

O Banco de Exportação e Importação dos Estados Unidos (EximBank) e o governo brasileiro assinaram hoje (20) um acordo para investimentos de até US$ 1 bilhão (R$ 5,6 bilhões) no Brasil.

O Exim e o Ministério da Economia concordam em identificar opções para usar o financiamento do banco americano nas áreas de telecomunicações (incluindo tecnologia 5G, a próxima geração de rede de internet móvel), energia (incluindo nuclear, petróleo e gás e renováveis), infraestrutura, logística, mineração e manufatura (incluindo aeronaves), de acordo com informações da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Na cerimônia de assinatura do memorando, no Itamaraty, em Brasília, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil está abrindo os horizontes de investimentos. 

“Fizemos um acordo com o Mercosul, que estava parado há oito anos, com a União Europeia, parado há 20 anos, fizemos um acordo com a Área de Livre Comércio Europeia. Começamos negociações com Japão, Coreia do Sul, Canadá e chegamos a um grande acordo com os americanos para facilitar o comércio, convergência de marcos regulatórios e anticorrupção”, disse Guedes.

Ele acrescentou que o acordo com o Exim “vem no momento exato” em que os horizontes de investimentos em infraestrutura, logística, cabotagem, mineração, petróleo e gás natural estão sendo “desbloqueados”. 

“O Congresso está aprovando passo a passo cada uma dessas regras de modernização do marco de investimentos e estamos trabalhando com os americanos nos organismos internacionais”, ressaltou.

OCDE

Também presente na cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a satisfação em receber a comitiva do embaixador Robert O’Brien, conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, e agradeceu o apoio do presidente Donald Trump para a adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

A OCDE reúne os países mais industrializados do mundo e estabelece parâmetros conjuntos de regras econômicas e legislativas para os seus membros. Atualmente, o grupo conta com 36 países-membros, a maioria da Europa. 

Da América Latina, apenas o Chile e o México estão no grupo. Para ingressar como membro, o Brasil deve cumprir uma série de requisitos, em um processo que leve, em média, três anos.

Bolsonaro disse ainda que espera comparecer à posse para o segundo mandato de Trump, caso ele seja reeleito, nas eleições que acontecem em novembro nos Estados Unidos. “Não interfiro, mas do coração e pelo respeito que tenho ao povo americano e pelo trabalho e consideração que Trump teve para conosco, [é] que manifesto dessa forma nesse momento”, disse o presidente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES 2020
TSE diz que 194 urnas foram substituídas
Bolsonaro vota em escola na Zona Oeste do Rio
ELEIÇÕES 2020
Bolsonaro vota em escola na Zona Oeste do Rio
CAPACITAÇÃO
Secretaria de Estado de Saúde realiza 4° Meeting Nacional de Farmácia Clínica
Detento foge de presídio enquanto pintava muro
NOVA ANDRADINA
Detento foge de presídio enquanto pintava muro
Candidatos votam no Rio; juiz negocia fim de paralisação de ônibus
ELEIÇÕES 2020
Candidatos votam no Rio; juiz negocia fim de paralisação de ônibus
PANDEMIA
Mulher morre e Dourados chega a 119 óbitos por Covid-19 e 9.913 casos confirmados
ELEIÇÕES 2020
TSE mantém protocolos sanitários no segundo turno
MS-141
Jovem morre em colisão entre carro e caminhão
LOTERIA
Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio principal acumula em R$ 7 milhões
LEVANTAMENTO
Trabalhadores com CNPJ representam 34,3% dos ocupados em MS

Mais Lidas

DOURADOS
Com leitos de UTI's lotados, prefeitura aumenta toque de recolher e manda fechar clubes
DOURADOS
Primeira noite com novo toque de recolher tem flagrante de festa com 119 adolescentes
DOURADOS
Decreto é republicado por incorreção, agora com brechas para esporte coletivo e boliche
DOURADOS
Homem é preso com arma após ex-namorada correr até viatura da PM e denunciar ameaça