Menu
Busca segunda, 26 de julho de 2021
(67) 99257-3397

Brasil coloca oito boxeadores na semifinal do PAN

23 julho 2007 - 20h47

Três baianos e cinco paraenses estão na semifinal e vão lutar pelo ouro que não vem para o país desde o Pan-Americano de São Paulo, em 1963. Por baixo, a campanha já quadriplica o resultado de quatro anos atrás, quando em Santo Domingo os ringues renderam apenas dois bronzes. Mas isso é pouco, para eles.

"Não se pode contentar com o bronze", crava o pesado Rafael Lima, após bater o canadense Sébastien Lalumière por 18 pontos a 5. "Tenho ouro nos dentes, mas falta o ouro no peito", sorri o lutador com dentes dourados. Ele prevê outras medalhas douradas para a modalidade. "Essa união do Pará e da Bahia está dando frutos", definiu.

Para fechar a noite um baiano: Antônio Rogério Nogueira, o Minotouro, também venceu seu combate e selou passagem para as semifinais ao superar por 18 a 6 o venezuelano Jonny Molina. "Foi uma luta dura, com golpes francos, mas eu consegui manter a distância e virei", analisou.

Pela frente no caminho do ouro estará o cubano Robert Alfonso, que derrotou o dominicano Cristian Cabrera. "Ele vem ganhando tudo, mas com essa torcida do lado e toda equipe unida, vamos vencer", disse o baiano radicado no Rio. O grupo baiano se completa com o meio-médio Pedro Lima e leve Everton Lopes, que se classificaram em combates no domingo.

Já a gangue paraense é mais numerosa. Além de Rafael Lima, são mais quatro na semifinal: Myke Carvalho, Davi Souza, Gláucelio Abreu e James Dean Pereira. Apesar dos celeiros do boxe serem em Salvador e Belém, o grupo treina em Santo André (SP).

Em uma luta apertada nesta noite de segunda, Glaucélio Abreu bateu por 13 pontos a 12 Joseph Clarence, das Ilhas Virgens Norte-Americanas. "Foi uma luta dura, mas mostra que a próxima vai ser mais difícil ainda. Faz a gente entrar mais concentrado", disse o pugilista paraense.

Na semifinal, Glaucélio vai enfrentar o porto-riquenho Argenis Nuñez, que derrotou o haitiano Wilky Campfort. "Já fiz uma luta na academia com esse porto-riquenho. Ele é muito técnico", analisou o boxeador.

Antes de Glaucélio, as vitórias nacionais desta segunda-feira foram de outros dois paraenses: Davi Souza e Myke Carvalho. O peso pena Davi Souza venceu de virada o mexicano Francisco Vargas. Na próxima luta, ele enfrenta o porto-riquenho Abner Roman, que derrotou o norte-americano Luis Del Valle.
"Quem sabe não é o meu ouro chegando", declarou Souza após a vitória. "Vamos acabar com esse jejum. Garanti o bronze, mas estou na busca do ouro", disparou meio-médio-ligeiro Myke Carvalho, que bateu o venezuelano Jonny Sánchez por 19 a 4, dominando o combate durante todo o tempo. Na semifinal, ele vai pegar o norte-americano Karl Dargan, que venceu por W.O. seu último combate.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PLANOS DE SAÚDE
Presidente veta projeto que obriga cobertura de tratamento de câncer
Homem é preso após agredir patrão e jogar gasolina em residência
BRASIL
Saúde aponta 'irregularidades' em contrato na gestão de Ricardo Barros
GOLPE
Mulher transfere R$ 4.300 após golpista se passar pelo filho dela
SAÚDE
Monitoramento aponta boa qualidade das águas subterrâneas de MS
BATAYPORÃ
Polícia apreende cerca de 500 quilos de pasta base de cocaína na MS-134
PRÁTICAS
Detran/MS dobra número de exames realizados no primeiro semestre
TRÊS TONELADAS
Caminhão que saiu de MS é apreendido no Paraná com maconha
FUTEBOL
Justiça anula eleição de Caboclo na CBF e nomeia Landim interventor
TRÁFICO
Empresário é preso com 200 quilos de maconha que iriam para SP

Mais Lidas

DOURADOS
Revoltados por morte de adolescente, populares atacam casa de acusado
POLÍCIA
Adolescente de 13 anos morre após ser atropelado no Estela Porã; motorista fugiu
DOURADOS
Homem é esfaqueado na Rua Monte Alegre e encaminhado em estado grave ao HV
DOURADOS
Jovem bêbado é preso dirigindo em 'zigue-zague' na Presidente Vargas