Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
POLÍTICA

Bolsonaro é criticado após divulgar vídeo com chamado para manifestação

26 fevereiro 2020 - 14h05Por G 1

Um vídeo divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro, por meio de WhatsApp nesta terça-feira, dia 25 de fevereiro, a correligionários provocou críticas contundentes do decano do STF (Supremo Tribunal Federal) ministro Celso de Mello e de políticos de diferentes partidos. Nesta quarta, Bolsonaro reagiu às críticas, dizendo que são ilações.

Depois das críticas do ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, ao Congresso, grupos de direita que apoiam o governo vem convocando uma manifestação contra o Supremo e o Congresso, o que tem sido visto como ameaças a dois pilares do sistema democrático.

Na terça (25), Bolsonaro usou sua conta pessoal no WhatsApp para divulgar a alguns correligionários a convocação da manifestação, sem citar o Supremo e o Congresso.

O ato provocou reação do decano do Supremo, ministro Celso de Mello. Em nota, ele disse que "essa gravíssima conclamação, se realmente confirmada, revela a face sombria de um presidente da República que desconhece o valor da ordem constitucional, que ignora o sentido fundamental da separação de Poderes, que demonstra uma visão indgna de quem não está à altura do altíssimo cargo que exerce e cujo ato de inequívoca hostilidade aos demais poderes da República traduz gesto de ominoso desapreço e de inaceitável degradação do princípio democrático!!! O presidente da República, qualquer que ele seja, embora possa muito, não pode tudo, pois lhe é vedado, sob pena de incidir em crime de responsabilidade, transgredir a supremacia político-jurídica da Constituição e das leis da República!

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também criticou Bolsonaro numa rede social. "A ser verdade, como parece, que o próprio PR (presidente da República) tuitou convocando uma manifestação contra o Congresso (a democracia) estamos com uma crise institucional de consequências gravíssimas. Calar seria concordar. Melhor gritar enquanto de tem voz, mesmo no Carnaval, com poucos ouvindo".

Políticos de diversos partidos, como Rede, PT, PSL, PCdoB, PSOL, Cidadania, PDT e MDB, também criticaram Bolsonaro. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) afirmou em rede social que “Criar tensão institucional não ajuda o País a evoluir. Somos nós, autoridades, que temos de dar o exemplo de respeito às instituições e à ordem constitucional. O Brasil precisa de paz e responsabilidade para progredir. Só a democracia é capaz de absorver sem violência as diferenças da sociedade e unir a Nação pelo diálogo. Acima de tudo e de todos está o respeito às instituições democráticas.”

Nesta quarta (26), após as críticas, Bolsonaro foi às redes sociais e, sem desmentir a divulgação do vídeo, atribuiu as reações a tentativas de tumultuar a República. "Tenho 35 milhões de seguidores em minhas mídias sociais (Facebook, Instagram, YouTube e Twitter), onde mantenho intensa agenda de notícias não divulgadas por parte da imprensa tradicional. Já no WhatsApp tenho algumas poucas dezenas de amigos onde, de forma reservada, trocamos mensagens de cunho pessoal. Qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República".

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Gastos da prefeitura com pessoal sobem e superam limite prudencial
PANDEMIA
EUA têm aumento de casos de novo coronavírus em 27 estados
PANDEMIA
Dourados confirma mais dois óbitos por coronavírus; pacientes eram de outras cidades
CARACOL
Dois pescadores são surpreendidos iniciando pesca ilegal no rio Perdido
CORUMBÁ
Homem joga álcool na cama e ateia fogo na mulher
4,5 toneladas
Maconha apreendida em micro-ônibus pode ser de consórcio de traficantes
DOURADOS
Processo eleitoral de pré-candidato a prefeito contrariado com partido tem desfecho
LIBERTADORES
Santos enfrenta Olímpia no Paraguai
ASSEMBLEIA
Deputados devem votar cinco propostas na primeira sessão ordinária de outubro
AGRONEGÓCIO
Colheita do milho acaba com cinco semanas de atraso em relação à safra passada

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros