Menu
Busca segunda, 06 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Avançam negociações para suspensão do embargo à importação da carne brasileira

19 dezembro 2012 - 16h40

Técnicos brasileiros acreditam ter afastado a suspeita de que houve um caso de vaca louca no país. Eles estão em Genebra, Suíça, onde participaram de reunião hoje (19), pela manhã, na sede da Organização Mundial do Comércio (OMC). Os técnicos prestaram informações detalhadas à diplomatas de 25 países. O secretário de Defesa Agropecuária, Ênio Marques, que lidera a missão brasileira, disse que os representantes dos Estados Unidos, da Rússia, China, Indonésia, Austrália, do Japão e da Coréia do Sul sinalizaram positivamente às declarações do Brasil.

Em decorrência da suspeita de contaminação da carne brasileira pela doença da vaca louca (encefelopatia espongiforme bovina - EEB), seis países suspenderam importações de carne bovina. O embargo ao produto brasileiro foi anunciado pelos governos do Japão, da China, África do Sul, do Egito, da Arábia Saudita e Coréia do Sul. Ênio Marques assegurou às representações diplomáticas que a política brasileira é atender às exigências internacionais de saúde animal.

Os técnicos que acompanham o secretário confirmaram a presença da proteína causadora da doença, encontrada em uma fêmea que morreu em 2010, no Paraná. A identificação do vírus ocorreu há dois anos e foi considerado caso atípico da vaca louca, isolado, e o animal portador do vírus não desenvolveu a doença. Os técnicos garantiram que “o sistema brasileiro responde ao desafio que esta questão sanitária exige”. Ainda segundo relatos do grupo, a receptividade dos diplomatas “foi positiva”.

Para evitar que a restrição às importações de carne se estenda a outros parceiros comerciais, como a União Européia, além dos esclarecimentos na OMC, técnicos agrícolas e diplomatas mantêm contato com representantes das principais organizações envolvidas com saúde animal e órgãos reguladores dos países importadores. Segundo o Ministério da Agricultura, o governo tem disponibilizado toda a documentação relativa ao caso.

Na avaliação dos negociadores, houve “grandes avanços de entendimento nas instâncias técnicas”. Agora o governo aguarda que a convicção sobre a segurança do produto brasileiro seja mantida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês) e os países importadores da carne bovina suspendam o embargo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Remanescentes de concurso da Guarda entregam kits de prevenção ao coronavírus
PARANAÍBA
MP recomenda a reabertura de comércio não essencial com restrições sanitárias
COVID-19
Tendas são montadas ao lado do HV e equipes realizarão simulações de atendimentos
CAMPO GRANDE
Só de calcinha, mulher dirige na contramão e provoca acidente
MOBILIDADE URBANA
Cidades de MS têm novo prazo para assinar contratos de programa de mobilidade
NEGÓCIOS & CIA
Visual informática: Dicas de manutenção preventiva de computadores e notebook
DOURADOS
Cesta básica fica mais cara e pesquisa aponta possível especulação por pandemia
TRAGÉDIA
Motorista douradense morre após acidente no Paraná
BRASIL
Cidades com mais de 50 mil habitantes começam a usar pregão eletrônico
Saúde e Bem-estar
Você já conhece os nossos planos odontológicos?

Mais Lidas

DOURADOS
Dois homens são executados por dupla de moto no Jardim Carisma
DOURADOS
Homem agride gestante e é assassinado a pauladas em favela
DOURADOS
Polícia apura que filho matou pai a pauladas após agredir a mãe grávida
COVID-19
Estado tem mais três confirmações do novo coronavírus em 24 horas, todas no interior