Menu
Busca quarta, 05 de agosto de 2020
(67) 99659-5905

Argentina volta ao segundo lugar nas exportações brasileiras

03 janeiro 2004 - 17h12

A Argentina, que em 2003 começou a se recuperar da forte crise que atingiu o país nos últimos quatro anos, voltou a ocupar o segundo lugar no ranking dos principais mercados para as exportações brasileiras. Os EUA mantiveram a liderança.As exportações para o país vizinho cresceram 94,7% em 2003 e somaram US$ 4,6 bilhões, refletindo o reaquecimento da economia, que cresceu mais 7% no ano passado. A China, que até novembro estava em segundo lugar, caiu para a terceira posição no acumulado do ano.Mesmo assim, as vendas ainda não voltaram aos patamares registrados em 2001, quando somaram US$ 5,2 bilhões. Na época, a moeda argentina, o peso, ainda tinha paridade de um para um com o dólar, o que beneficiava a venda de produtos brasileiros.A recuperação veio depois de o país vizinho ter passado pela pior crise de sua história. Entre 1999 e 2002, a economia argentina teve retração de 20%. O auge da crise foi 2002, ano da desvalorização cambial e quando o PIB recuou 10,9%.Em maio de 2002, o desemprego atingia 21,5% do população e mais de 50% das pessoas viviam abaixo da linha da pobreza. As vendas do Brasil para a Argentina neste ano somaram US$ 2,3 bilhões, recuo de 55,7%.InvasãoO aumento das vendas de produtos brasileiros para o país vizinho chegou a ser alvo de protestos de empresários argentinos durante todo o ano de 2003. Eles afirmaram que os produtos brasileiros estavam "invadindo" o mercado vizinho.Fabricantes de tecidos e produtores de suínos e frangos acusaram os produtores brasileiros de praticar "dumping" (venda de produtos abaixo do preço de mercado para conquistar clientes).Os empresários brasileiros se defenderam afirmando que o "problema era da falta de competitividade dos produtos argentinos". O governo brasileiro, em junho de 2003, divulgou um estudo mostrando que o Brasil, por mais de dois anos, teve déficit comercial com a Argentina.A UIA (União Industrial da Argentina) chegou a pedir ao presidente do país, Néstor Kirchner, para impor cotas aos produtos brasileiros. Uma proposta chegou até a ser apresentada ao governo brasileiro, mas até agora não entrou em vigor.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Motorista foge sem pagar após abastecer em posto de combustíveis
COVID-19
MPF quer que pastor Valdemiro Santiago pague indenização por falsa cura
Golpista ‘rouba’ fotos de médica no Instagram e se passa por ela no WhatsApp
ESPIONAGEM
Cármen Lúcia pede que governo explique dossiê contra antifascistas
CRIME AMBIENTAL
Fazendeiro é multado em R$ 38 mil por desmatamento ilegal de área protegida
COMENDA
Dourados vai receber quinta-feira o “Premio Prefeitura Amiga da Mulher”
TRÁFICO
Jovem de 18 anos é preso com Skank que seria lavada para Goiás
LAVA JATO
STF manda tirar delação de Palocci divulgada por Moro de ação contra Lula
CAPITAL
Sequestro e cárcere: Homem é resgatado do porta-malas de veículo
UEMS
Revista Barbaquá convida orientadores e bolsistas para submissão de artigos

Mais Lidas

DOURADOS
Peladão: Homem é detido após armar confusão em motel e quebrar vários quartos
DOURADOS
Condutor de veículo que atropelou ciclista e fugiu sem prestar socorro é identificado
POLÍCIA
Duas mulheres são presas por estelionato em Dourados
TRAGÉDIA
Mulher que morreu em acidente na BR-463 em Ponta Porã tinha 27 anos