Menu
Busca domingo, 25 de julho de 2021
(67) 99257-3397
ESPORTE

Após idas e vindas, Copa América começa neste domingo, no Brasil

13 junho 2021 - 13h20Por Agência Brasil

O estádio Mané Garrincha, em Brasília, recebe neste domingo (13), às 18h (horário de Brasília), a abertura da 47ª edição da Copa América, com a partida entre Brasil e Venezuela, pelo Grupo B. A competição, inicialmente, seria disputada na Argentina e na Colômbia, mas precisou mudar de sede. Primeiro, devido à tensão social em território colombiano. Depois, por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19) em solo argentino.

Além de Brasília, outras três cidades - Rio de Janeiro, Cuiabá e Goiânia - receberão jogos do torneio. A capital fluminense sediará o evento em dois estádios. O Nilton Santos abrigará partidas da primeira fase, quartas de final e semifinal, enquanto o Maracanã será o palco da decisão, em 10 de julho, às 21h.

A princípio, a Copa América contaria com duas seleções convidadas: Catar, presente na última edição, e Austrália, que disputaria o torneio pela primeira vez. Ambas, porém, desistiram após a Confederação Asiática de Futebol (AFC, sigla em inglês) alterar a tabela das eliminatórias conjuntas para a Copa do Mundo de 2022 - que será no próprio Catar - e para a Copa da Ásia de 2023, por reflexo da pandemia. Desde 1991, a competição não reunia apenas os dez países vinculados à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol).

O torneio foi confirmado no Brasil no dia 31 de maio, um dia após a Argentina deixar de ser a sede. A realização foi colocada em dúvida após o Superior Tribunal Federal (STF) receber três pedidos para que o evento fosse proibido, em razão da pandemia. Na última quinta-feira (10), a maioria dos ministros votou por não barrar a Copa América. O consenso foi de que o Supremo não teria competência para impedir a competição, mas sim exigir que o Poder Público planeje e cumpra medidas sanitárias para mitigar os riscos de disseminação da covid-19.

Segundo a Conmebol, o campeão da Copa América terá direito a uma premiação de US$ 10 milhões (R$ 57 milhões). Cada seleção participante receberá US$ 4 milhões (quase R$ 23 milhões).

Brasil favorito
Além de Brasil e Venezuela, o Grupo B tem Colômbia, Equador e Peru. Na quinta-feira (17), os peruanos serão os adversários dos comandados de Tite, às 21h, no Nilton Santos. No dia 23, uma quarta-feira, no mesmo local e horário, os brasileiros encaram os colombianos. No dia 27, a seleção canarinho encerra a participação na primeira fase diante dos equatorianos, às 18h, no estádio Olímpico de Goiânia. Os quatro primeiros colocados da chave avançam às quartas de final.

O Brasil chega à competição em meio à turbulência de bastidores. O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, acusado de assédio sexual, foi afastado por 30 dias pelo Comitê de Ética da entidade. Os atletas, por sua vez, manifestaram-se contra a organização da Copa América e criticaram a Conmebol pela maneira como o evento veio para o país, mas negaram boicote.

Dentro de campo, porém, a fase dos comandados de Tite é a melhor possível. A seleção brasileira lidera com folga as eliminatórias da Copa, com seis vitórias em seis jogos. Nos últimos dois compromissos, triunfos por 2 a 0 sobre o Equador no Beira-Rio, em Porto Alegre, e contra o Paraguai no Defensores del Chaco, em Assunção. Além disso, o treinador praticamente não teve problemas para montar a equipe da Copa América. Dos atletas habitualmente convocados, somente o lateral Daniel Alves, que se recupera de lesão, não foi chamado. Danilo e Emerson são as opções para o lado direito do setor defensivo.

Atual campeão, o Brasil mira o décimo título na Copa América, podendo repetir os feitos de 1997 e 1999 e 2004 e 2007, quando conquistou o torneio duas vezes consecutivas. A seleção defende o histórico de sempre levantar a taça no país. Foi assim em 1919, 1922, 1949, 1989 e 2019. Do grupo vencedor na última edição, 12 estão no elenco atual: os goleiros Alisson e Ederson, os zagueiros Thiago Silva, Marquinhos e Éder Militão, o lateral Alex Sandro, o volante Casemiro, o meia Lucas Paquetá e os atacantes Gabriel Jesus, Everton, Roberto Firmino e Richarlison.

As novidades em relação a dois anos atrás são o goleiro Weverton; os laterais Alex Sandro, Renan Lodi, Danilo e Emerson; o zagueiro Felipe; os volantes Fabinho, Douglas Luiz e Fred, o meia Everton Ribeiro e os atacantes Gabriel Barbosa, Vinícius Júnior e Neymar. Este último, capitão e principal nome do escrete canarinho, busca o segundo título na seleção principal. O primeiro foi a Copa das Confederações de 2013. O camisa 10 esteve nas campanhas de 2011 e 2015 - o Brasil caiu em ambas nas quartas de final, nos pênaltis, para o Paraguai. Em 2016, ele não disputou o torneio para atuar na Olimpíada do Rio de Janeiro, onde foi medalhista de ouro.

Principais rivais
O Uruguai, com 15 títulos, é o maior campeão do torneio, seguido pela Argentina, com 14. Os rivais estão no Grupo A, ao lado de Bolívia, Chile e Paraguai. As cinco seleções da chave, aliás, já tiveram o gostinho de vencer a competição. A conquista mais recente foi a dos chilenos, bicampeões em 2015 e 2016. Os uruguaios levantaram a taça pela última vez em 2011. Os paraguaios não erguem o troféu do continente desde 1979. Os bolivianos foram os ganhadores uma única vez, em 1963, quando sediaram o evento.

Maior rival brasileira, a Argentina não vence a Copa América desde 1993. Foi também a última conquista da seleção principal do país, que bateu na trave quatro vezes desde então, sendo vice em 2004, 2007 (ambas para o Brasil), 2015 e 2016 (as duas para o Chile). Em 2011, quando sediou o torneio, a equipe alviceleste caiu nas quartas de final para o Uruguai.

Argentinos e uruguaios são os principais rivais no caminho brasileiro. A seleção do atacante Lionel Messi, eleito seis vezes o melhor jogador do mundo pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), tem 14 remanescentes da campanha de 2019, quando ficou em terceiro. Aquele resultado foi considerado positivo, já que o elenco tinha passado por uma reformulação após a decepção na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, onde caiu nas oitavas de final. Se a equipe que vem ao Brasil tem astros como o meia Ángel Di Maria e o atacante Lautaro Martínez, chama atenção a ausência de outro homem de frente: Paulo Dybala, que sofreu com lesões ao longo da última temporada europeia na Juventus (Itália).

Já a Celeste Olímpica, dirigida por Óscar Tabárez, conta com 17 jogadores que atuaram na última Copa América, entre eles os atacantes Luis Suárez e Edinson Cavani, principais astros do escrete uruguaio. Outro remanescente é o meia Giorgian de Arrascaeta, do Flamengo. O elenco ainda tem mais um atleta que atua no Brasil: o lateral Matías Viña, do Palmeiras.

Jogando em casa
Oito clubes do país estão representados na Copa América. O Flamengo lidera a estatística, com cinco atletas: Everton Ribeiro, Gabigol (ambos Brasil), o lateral Mauricio Isla (Chile) e o volante Piris da Motta (Paraguai), além de Arrascaeta. O Rubro-Negro acionou o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedindo a paralisação o Campeonato Brasileiro, pois o torneio nacional prosseguirá normalmente durante a competição continental, apesar dos desfalques às equipes, mas o presidente da entidade, Otávio Noronha, indeferiu a liminar.

O Atlético-MG tem quatro convocados: o zagueiro Junior Alonso (Paraguai), o meia Alan Franco (Equador) e os atacantes Jefferson Savarino (Venezuela) e Eduardo Vargas (Chile). No Palmeiras, além de Viña, também disputam o torneio o brasileiro Weverton e o zagueiro paraguaio Gustavo Goméz.

Os outros cinco times possuem um representante cada na competição. A seleção chilena reúne os dois integrantes da dupla Gre-Nal - o atacante Carlos Palacios (Internacional) e o meia César Pinares (Grêmio). O são-paulino Robert Arboleda defende o Equador. O meia Rómulo Otero, em reta final de contrato com o Corinthians, faz parte da equipe da Venezuela. Já o atacante Marcelo Moreno, do Cruzeiro, é a principal esperança de gols da Bolívia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem é esfaqueado na Rua Monte Alegre e encaminhado em estado grave ao HV
DOURADOS
Homem é esfaqueado na Rua Monte Alegre e encaminhado em estado grave ao HV
ECONOMIA
Corumbá pagará 13º dos servidores de forma integral em dezembro
VACINAÇÃO COVID
Após risco de desabastecimento, Ministério promete enviar 10,2 milhões de doses nesta semana
"É uma vergonha": medalha de prata expõe racha no skate do Brasil
OLIMPÍADAS
"É uma vergonha": medalha de prata expõe racha no skate do Brasil
Após perseguição da PRF, motorista consegue fugir de flagrante de tráfico
POLÍCIA
Após perseguição da PRF, motorista consegue fugir de flagrante de tráfico
DOURADOS
Revoltados por morte de adolescente, populares atacam casa de acusado
PANDEMIA
Dourados tem 66% de ocupação e 15 vagas disponíveis de UTI Covid
PANDEMIA
Família quer que prefeitura assuma conta de R$ 130 mil de paciente que não conseguiu vaga em UTI
ESPORTE
Flamengo goleia São Paulo de virada no Maracanã pelo brasileirão
POLÍCIA
Acusadas de 'magia negra', mulher e filha de 11 anos são assassinadas a tiros

Mais Lidas

NAS REDES
Dourados 360°: imagem mostra a cidade de uma forma diferente; confira
CLIMA
Nova onda de frio pode provocar mínima de 0ºC em Dourados na próxima semana
DOURADOS
Enquanto rapaz viajava, casa é furtada no Água Boa e autores levam até o cachorro
DOURADOS
Jovem bêbado é preso dirigindo em 'zigue-zague' na Presidente Vargas