Menu
Busca sábado, 16 de janeiro de 2021
(67) 99659-5905
IMUNIZANTE

Anvisa decidirá domingo sobre uso emergencial de vacinas contra Covid

12 janeiro 2021 - 21h20Por G 1

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou nesta terça-feira, dia 12 de janeiro, que está prevista para o próximo domingo (17) a reunião de sua Diretoria Colegiada que decidirá sobre pedidos de autorização para uso emergencial, temporário e experimental das vacinas do Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) contra a Covid-19. A data é o penúltimo dia do prazo estabelecido pela própria agência como meta para análise dos pedidos.

"Faz-se necessária a entrega, em tempo hábil para análise, dos documentos faltantes e complementares", disse a agência, em comunicado.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entregou na sexta-feira (8) seu pedido de uso emergencial da vacina desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. O pedido vale para 2 milhões de doses, que devem ser importadas do laboratório Serum, sediado na Índia.

Segundo a Anvisa, o prazo para a análise do pedido de uso emergencial é de dez dias. Já a avaliação do pedido de registro definitivo, que não foi feito, pode ocorrer em até 60 dias.

Também na sexta, a Anvisa já havia recebido o pedido de uso emergencial da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. O pedido vale para 6 milhões de doses que o Butantan recebeu prontas, vindas da China. O prazo para análise é o mesmo: dez dias.

Em meados de dezembro, a Diretoria Colegiada da agência aprovou as regras para a autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, de vacinas contra a doença causada pelo coronavírus.

Uso emergencial das vacinas

A concessão estabelecida pela Anvisa segue o modelo de autorizações emergenciais adotadas em outros países, como Reino Unido, Estados Unidos e Canadá, e vale apenas para o período de pandemia e até a vacina receber o registro definitivo. Os principais pontos referentes ao uso emergencial das vacinas são seguintes:

cada pedido deve ser feito pela empresa desenvolvedora e será analisado de forma independente;

a decisão será tomada pela Diretoria Colegiada da Anvisa;

serão considerados estudos não clínicos e clínicos (em humanos);

os itens avaliados são qualidade, boas práticas de fabricação, estratégias de monitoramento e controle, e resultados provisórios de ensaios clínicos;

a empresa interessada deverá comprovar que a fabricação e a estabilidade do produto garantem a qualidade da vacina;

o estudo clínico na fase 3 (última etapa de testes) deve estar em andamento e conduzido também no Brasil;

a vacina com uso emergencial liberado não pode ser comercializada – ela só pode ser distribuída no sistema público de saúde;

e a liberação de uso emergencial pode ser revogada pela Anvisa a qualquer momento.

8 milhões de doses

Em 2 de fevereiro, a Anvisa aprovou um pedido feito pela Fiocruz para importação excepcional de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca. A fundação prevê pagar R$ 59,4 milhões pela importação.

No pedido feito pela Fiocruz, a indicação é que as vacinas cheguem ao país ainda em janeiro. Segundo a agência, a importação é considerada excepcional, porque o imunizante ainda não foi submetido à autorização de uso emergencial ou registro sanitário.

Em 23 de outubro, a Anvisa tinha autorizado a importação de 6 milhões de doses da CoronaVac.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SEGURO
Susep anuncia Caixa Econômica Federal como novo gestor do DPVAT
Senacon adotas medidas para combater comércio de vacinas falsificadas
BRASIL
Senacon adotas medidas para combater comércio de vacinas falsificadas
Dourados teve chuva em mais da metade da quinzena e mantém alerta
CLIMA
Dourados teve chuva em mais da metade da quinzena e mantém alerta
Licitação prevê R$ 1,4 milhão por serviço médico especializado em cirurgia geral no HV
DOURADOS 
Licitação prevê R$ 1,4 milhão por serviço médico especializado em cirurgia geral no HV
STJ suspende cumprimento de pena pelo princípio da insignificância
BRASIL
STJ suspende cumprimento de pena pelo princípio da insignificância
CONSCIENTIZAÇÃO
Janeiro Branco alerta para cuidados com saúde emocional em meio a uma pandemia
DOURADOS 
Funsaud faz mudança na direção técnica médica do Hospital da Vida
STF
Lewandowski determina que governo federal forneça oxigênio e insumos a hospitais de Manaus
HABILITAÇÃO
Detran alerta que CNH vencida em janeiro do ano passado precisa ser renovada até este mês
DOURADOS 
Prefeitura anula 75 das exonerações anunciadas no meio da semana

Mais Lidas

BR-163
Homem morre após colidir carro de passeio contra caminhão
OPERAÇÃO
Polícia fecha "boca de fumo" comandada por família no Canaã IV
SIDROLÂNDIA
Flagrada invadindo residência, mulher é amarrada em árvore por populares
PANDEMIA 
Dourados tem oito mortes por Covid em 24 horas