Menu
Busca sexta, 10 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Amigo de indiana morta após estupro relembra ataque pela 1ª vez

05 janeiro 2013 - 12h00



O amigo que acompanhava a estudante indiana morta após sofrer estupro coletivo em um ônibus em Nova Déli falou à imprensa pela primeira vez nesta sexta-feira e deu detalhes sobre o ataque, ocorrido em 16 de dezembro.

O rapaz de 28 anos, que ficou com uma perna quebrada e outros ferimentos no ataque, disse à rede indiana Zee News que ambos foram enganados para entrar no ônibus e inclusive pagaram a passagem. Segundo o rapaz, o veículo tinha janelas pintadas, e não era possível ver o interior. Ele acredita que os agressores fizeram uma armadilha para que vítimas subissem a bordo.

Após entrar no veículo, ele foi agredido pelos seis homens que estavam a bordo e ficou inconsciente. Os homens então, inclusive o motorista, estupraram a estudante e a agrediram com uma barra de ferro. "Nós tentamos resistir. Ela própria lutou contra eles, ela tentou me salvar", disse o rapaz, que não teve sua identidade revelada. "Ela tentou ligar para a polícia, mas eles pegaram seu telefone."

Socorro

Ele também confirmou relatos iniciais de que, após o ataque, os agressores os jogaram para fora do ônibus com o veículo em movimento e tentaram atropelá-los.

O rapaz criticou a demora da polícia após a agressão e disse que os policiais ficaram discutindo para onde levar a vítima, em vez de socorrê-la imediatamente. "Ela estava sangrando muito. Mas em vez de nos levar ao hospital mais próximo, eles (a polícia) nos levaram a um hospital longe dali."

A estudante, 23 anos, morreu no dia 29 de dezembro, em hospital em Cingapura, para onde havia sido transferida, devido à gravidade dos ferimentos. O episódio provocou uma onda de protestos em toda a Índia e em outros países.

Cinco homens foram indiciados e deverão responder a acusações de estupro e homicídio. Um sexto suspeito está sendo submetido a exames médicos que irão determinar se ele tem idade suficiente para ser julgado no mesmo tribunal. Caso sejam considerados culpados, eles poderão ser condenados à morte.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Em MS, médico que deixou Ministério diz que sem isolamento social Covid-19 cresce
BRASIL
Anatel comunica telefônicas que não interrompam serviço a inadimplente
DOURADOS
Inova Unigran desenvolve protótipos de protetores faciais para doar aos profissionais da saúde
PANDEMIA
Barreiras sanitárias registram aumento no fluxo de pessoas de outros estados para feriado em MS
PANDEMIA
Mais 1 milhão de máscaras chegam ao Brasil
ENERGIA ELÉTRICA
Governador anuncia isenção do ICMS da tarifa social e beneficia 142 mil famílias em MS
STF
CNA questiona lei que proíbe pulverização aérea em município da Grande Dourados
PANDEMIA
Estado tem 10 pacientes em leitos de UTI por causa do novo coronavírus
BRASIL
Morre índio yanomami com coronavírus
MS
Casos de Covid-19 têm disparada com oito confirmações em 24 horas

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma mais um caso de coronavírus e Estado chega a 89
COVID-19
Dos casos de coronavírus em Dourados, três estão curados e um internado
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo