Menu
Busca quinta, 06 de agosto de 2020
(67) 99659-5905

Alta da passagem interfere no mercado de agências de viagens

02 janeiro 2013 - 10h39

O setor da aviação civil passa por um momento complicado. A alta do dólar, o aumento do preço do combustível e o fraco ritmo da economia global contribuíram para a uma baixa na rentabilidade das empresas. A solução foi aumentar o valor das passagens áreas e reduzir a oferta, medidas que afetam diretamente as agências de viagens. "O número de passageiros pode diminuir", avalia Edmar Bull, vice-presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav). "Mas a receita aumenta."
br> Segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), em novembro houve uma queda de 2,35% no volume de passageiros transportados, enquanto a oferta de lugares diminuiu 5,62% em relação ao mês anterior - ou seja, os aviões estão partindo com uma taxa de ocupação mais elevada.

Mas, para Edmar Bull, quem tem uma agência de turismo não deve se preocupar. "A maior parte das pessoas que aproveita desses valores baixos trata direto com a companhia", afirma. "Quem procura uma agência é justamente para montar roteiro, pacote e pedir dicas. Isso vai continuar normalmente. A influência é pequena."

Para o setor de agências online, como Decolar.com, Submarino e Viajanet, a situação não é tão otimista. A alta dos preços incentivou uma esfriada no mercado. "Já notei uma diminuição", relata Edmar.

Viagens de negócios

No âmbito de agências corporativas, o cenário é mais animador. "Nossa expectativa é de crescer 30% no ano que vem", afirma Lenini Lamounier, diretor comercial do Grupo Master. "Se, por um lado a tendência é que as empresas repensem e aprimorem a política de viagens, por outro elas ainda precisam se locomover. Haverá um impacto, mas não a ponto de as pessoas optarem pelo transporte rodoviário."

Mesmo com o panorama positivo, é importante que as empresas especializadas em viagens corporativas busquem alternativas. "Par um cliente que está acostumado a pegar um voo às 7 horas e voltar às 19 horas, pode ser melhor pegar o voo ao meio-dia, dormir na cidade e voltar no dia seguinte", sugere Lenini. "Com isso, ele consegue uma tarifa mais barata do que ir e voltar na mesma data."

Deixe seu Comentário

Leia Também

CNH ÁGIL
Aplicativo tem recorde no número de habilitações emitidas em julho
BRASIL
Guedes diz que anunciará três ou quatro privatizações em até 60 dias
ARTIGO
Pais & Filhos
INVESTIGAÇÕES
Polícia desarticula quadrilha responsável por furtos e tentativa de homicídio em Dourados
MAPEAMENTO
Sistema interligará bancos de dados sobre educação em saúde
REGIÃO
Após discussão, homem joga álcool sobre companheira e ameaça atear fogo
POLÍTICA
Douradenses tem até dia 30 para fazer sugestões ao Plano Diretor
PANDEMIA
Perto de 30 mil casos, Governo do Estado amplia testagem para Covid-19
FRONTEIRA
Ação conjunta resulta na apreensão de 2 t de maconha em Ponta Porã
DOURADOS
Prefeitura contrata empresa por R$ 2,8 milhões para patrolar zona rural e área indígena

Mais Lidas

DOURADOS
Peladão: Homem é detido após armar confusão em motel e quebrar vários quartos
POLÍCIA
Duas mulheres são presas por estelionato em Dourados
TRAGÉDIA
Mulher que morreu em acidente na BR-463 em Ponta Porã tinha 27 anos
TRAGÉDIA
Uma pessoa morre em acidente grave na rodovia BR-463