Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
MORTE EM MG

Abracerva diz que é raro cervejarias utilizarem dietilenoglicol

10 janeiro 2020 - 16h05Por Agência Brasil

O presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Carlo Lapolli, disse hoje (10), que a substância dietilenoglicol raramente é usada na produção de cervejas. Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, exames laboratoriais realizados em amostras de dois lotes da cerveja Belorizontina, da fabricante mineira Backer, indicam que o produto pode ter sido contaminado pelo anticongelante, causando a morte de uma pessoa e a internação de outras sete, em Minas Gerais.

Lapolli observou que, devido a suas propriedades anticongelantes, o dietilenoglicol costuma ser empregado em sistemas de refrigeração, por vários segmentos produtivos. E que também pode ser encontrado em radiadores de veículos. No entanto, segundo o dirigente da entidade que representa parte dos fabricantes de cerveja, dos fornecedores de matéria-prima e de pontos de venda da bebida, a indústria cervejeira costuma optar por outros produtos.

“Quase a totalidade das cervejarias artesanais utiliza álcool etílico [como anticongelante], ou seja, o álcool puro, que não oferece nenhum tipo de risco de contaminação caso entre em contato com a cerveja”, explicou Lapolli.

Ainda de acordo com Lapolli, as investigações sobre as causas da contaminação, que levou oito pessoas a serem internadas em hospitais da região metropolitana de Belo Horizonte e de Juiz de Fora, com insuficiência renal aguda e alterações neurológicas centrais e periféricas, terão que apontar como e em que momento as cervejas da Backer foram contaminadas pelo dietilenoglicol.

“Essa é uma pergunta que terá que ser respondida, já que a própria cervejaria Backer afirma que não utiliza o dietilenoglicol em sua fábrica”, disse Lapolli.

Em duas notas já divulgadas à imprensa, a Backer assegurou que a substância não faz parte de seus processos de produção. Ainda assim, por precaução, a empresa acatou a decisão de recolher os lotes L1 1348 e L2 1348, dos quais faziam parte as amostras testadas pela Polícia Civil.

Segundo Lapolli, em todo o mundo, cervejarias utilizam um sistema de refrigeração parecido, empregando tanques duplos, encapsulados, que evitam o contato da cerveja armazenada com o produto usado no sistema de refrigeração.

“O sistema de resfriamento de uma cervejaria serve para manter a cerveja gelada nos tanques. A cerveja fica armazenada em tanques revestidos internamente por inox. Ao redor destes há uma serpentina que fica protegida por uma outra placa de inox, que forma a camada que vemos por fora”, explicou Lapolli.

“Esse sistema de tanques encamisados é utilizado no mundo inteiro e não temos notícias desse tipo de contaminação em nenhuma cervejaria do mundo. Seria um fato inédito. Eu, particularmente, não tenho notícias de vazamentos desse tipo na indústria [mundial]”, comentou Lapolli, ao considerar a hipótese de que o dietilenoglicol tenha contaminado parte da produção da Backer.

Mesmo apontando a necessidade de aprofundamento das investigações, o presidente da Abracerva considerou acertada a decisão da Backer de recolher os dois lotes de cerveja. “Há algumas perguntas que teremos que aguardar para ver respondidas. Acho que temos que aprofundar a investigação e realmente saber a origem desta contaminação, a causa desta síndrome e se, realmente, ela está ligada ao dietilenoglicol e não a nenhum outro tipo de agente [contaminante] externo”, disse Lapolli.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAN BADO
Dupla arma emboscada e mata jovem a tiros na fronteira
MS
Mercado de trabalho retoma contratações com destaque para indústria
NOVA ANDRADINA
Homem de 48 anos é multado em R$ 1 mil por maus tratos a cachorro
POLÍTICA
STJ nega pedido de Flávio Bolsonaro para anular decisões das 'rachadinhas'
IVINHEMA
Polícia Civil indicia mulher por provocar auto aborto em cidade de MS
UEMS
Projeto desenvolve "Sacolas de Inventar" para levar brincadeiras
CAMPO GRANDE
Polícia divulga foto de suspeito de assassinar garota de 18 anos a tiros
9ª REGIÃO MILITAR
Exército Brasileiro realiza a Operação Herácles de fiscalização em MS
CRIME AMBIENTAL
Pecuarista é multado em R$ 10 mil por manter duas antas em cativeiro
PANTANAL
Bombeiros superam cansaço e calor para controlar incêndios no Amolar

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros