Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905

Bombeiros registram mais de 50 mortes por afogamento no Estado em 2009

15 janeiro 2010 - 13h16

O Corpo de Bombeiros do Estado alerta a população para que tenha mais cuidado durante banhos em rios, lagos e piscinas e assim evitar ocorrências de afogamento. Somente em 2009, Mato Grosso do Sul registrou 53 mortes por afogamento em diversas regiões do Estado. Deste total de óbitos, 43 aconteceram no interior e dez ocorreram em Campo Grande.

De acordo com os bombeiros, os locais considerados mais perigosos para banhos são os rios Taquari, na região de Coxim, o rio Aquidauana e o rio Paraguai, principalmente na região de Corumbá. Nestas áreas são mais frequentes as ocorrências de afogamento, por isso são consideradas regiões perigosas.

O índice de afogamentos de 2009 preocupa por ser bastante superior ao número de óbitos registrados no ano anterior. Ainda segundo dados do Corpo de Bombeiros, em 2008 foram verificadas 32 mortes de pessoas afogadas no Estado.

Dicas de segurança

Para se divertir em piscinas sem grandes preocupações a dica dos bombeiros é que as pessoas utilizem apenas clubes com o certificado de vistoria regularizado e em dia. A certificação tem validade de um ano. Outro cuidado a ser observado é a presença de pelo menos dois salva-vidas a cada 500 metros quadrados de água - exigência prevista na legislação. É desaconselhável nadar sozinho porque pode acontecer alguma cãibra ou cansaço que provoque perda de força e consequentemente o afogamento.

Em rios o risco é maior por causa da força da correnteza e também pela profundidade. A dica é que crianças entrem só em rios rasos e acompanhados de responsáveis maiores de idade e que saibam nadar. Os pequenos também devem estar equipados com bóias ou flutuadores que garantam ainda mais a segurança. Também é importante não sair das margens do rio, onde é mais seguro.

Brincadeiras como “caldos”, “trotes” ou “saltos” devem ser evitadas porque a profundidade de um rio ou de uma piscina pode ser pequena e saltos podem machucar ou contribuir para um possível afogamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ARTIGO
Home Office
COVID-19
MPE pede multa diária de R$ 30 mil ao município por falta de estudo epidemiológico de casal
COVID-19
Curva segue ascendente e Dourados ultrapassa 200 casos de coronavírus
APARECIDA DO TABOADO
Proprietário de fazenda é autuado em quase R$ 13 mil por exploração ilegal de madeira
DOURADOS
Na reta final, vacinação contra Influenza só atingiu meta em dois grupos até agora
SAÚDE PÚBLICA
Segundo do país em incidência, MS se aproxima de 60 mil notificações por dengue
ARQUITETURA & DESIGN
O sonho de toda mulher: o closet por Juliana Saraiva
PANDEMIA
Mesmo com o aumento diário de casos de coronavírus, douradenses mantêm isolamento baixo
COMER BEM
Comer sem engordar Burguer e batata e possível? Conheça o Burguer Fit.
BR-463
Alegando estar desempregado, homem é detido transportando drogas para Santa Catarina

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher