Menu
Busca quinta, 09 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Biodiesel será usado pelo transporte coletivo da Capital

18 dezembro 2003 - 13h00

Na próxima segunda-feira, dia 22 de dezembro, o prefeito de Campo Grande André Puccinelli assina um protocolo de intenções, com entidades representativas da empresas de transporte coletivo urbano, para uso de um combustível alternativo (biodiesel) em parte da frota de Campo Grande. A iniciativa deve ser posta em prática nos primeiros meses de 2004, na primeira etapa com cerca de 25 veículos. A solenidade está marcada para as 11 horas, no gabinete do prefeito.A atitude da prefeitura reforça o apoio dado pelo prefeito, desde o início da pesquisa de desenvolvimento do combustível. No dia quatro desse mês, Puccinelli recebeu em seu gabinete uma comissão formada por pesquisadores, professores universitários e empresários que vieram discutir a viabilidade de utilização do biodiesel. O Programa Brasileiro de Desenvolvimento Tecnológico de Combustíveis Alternativos foi implantado em Curitiba há seis anos.Segundo o coordenador, Edílson Bernardim Andrade os veículos de uma frota que testou o combustível já rodou mais de cinco milhões de quilômetros “sem registrar nenhum problema”, assegurou. A resistência da indústria de motores automotivos, na opinião de Bernardim, é um dos motivos para que o uso de combustível alternativo não seja intenso. Além de Bernardim, estavam presentes à audiência o diretor executivo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Jonathas de Camargo; representantes da Assetur, do Setur, do Sindiálcool e professores da UCDB.No ano 2000, foi criada a empresa Ecológica Mato Grosso Indústria e Comércio - ECOMAT, única no Brasil a produzir, com tecnologias assegurada, o biodiesel a partir da transesterificação etílica de óleo de soja e detentora da tecnologia do produto co-solvente AEP 102, componente mestre da mistura álcool diesel MAD-8 (mistura de 8% de álcool etílico anidro, 89,4% de óleo diesel e 2,6% de aditivo AEP-102). A MAD-8 produzida em seu estágio final pela ECOMAT, já foi testada pelo Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR) e creditada pela BASF S.A., em testes de bancada, como uma tecnologia viável como combustível substituto do óleo diesel. A iniciativa tem como objetivo a redução de impacto ambiental provocado pelos poluentes liberados pelos escapamentos dos ônibus a camada de ozônio.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
MS tem variação percentual de 46% entre a cidade que mais cumpre e menos cumpre o isolamento social
REGIÃO
Motorista que seguia para Dourados com carro furtado é interceptado pelo DOF
SANEAMENTO BÁSICO
Esquema envolvendo funcionários de estatal desviava materiais de construção
SAÚDE
Municípios do interior começam a receber respiradores hospitalares nesta semana
FLAGRANTE
Contrabando de cigarros é apreendido escondido em meio a fenos
REGIÃO
Após investigações, polícia prende dupla realizava furtos em Maracaju
ARTIGO
Dourados não pode errar!
POLÍCIA
Acusado de tentar matar duas pessoas em chácara acaba preso
EMERGENCIAL
Receita regulariza CPFs com pendências para pagamento de auxílio
CONTRA O COVID-19
Com início do feriado, MS registra 58 mil pessoas abordadas em barreira

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher tenta desviar de buraco, é atropelada por carreta e morre
DOURADOS
Assassinos de homem no Parque das Nações roubaram celular de testemunha
DOURADOS
Na volta ao atendimento, populares formam filas longas em frente a agências bancárias
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí