quinta, 25 de abril de 2024
Dourados
22ºC
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397

BB vai atender em lojas de móveis, padarias e mercados

08 setembro 2003 - 16h49

O Banco Popular do Brasil, subsidiária do BB criada para atender o público de baixa renda, vai entrar em operação na segunda quinzena deste mês.Segundo o presidente do novo banco, Ivan Guimarães, o projeto piloto vai entra em operação em cinco cidades do país. A expectativa é colocar o Banco Popular do Brasil para funcionar em todo o território nacional a partir de janeiro de 2004.Para prestar serviços para uma população desbancarizada, estimada em 47 milhões de pessoas, o BPB precisará de 4.500 pontos de atendimento. Diferentemente das instituições financeiras tradicionais, o Banco Popular do Brasil não terá agências nem funcionários na frente de atendimento. Todo o serviço será prestado por correspondentes bancários, como supermercados, padarias, lojas de materiais de construção e de móveis."Vamos estar nas periferias e nas pequenas cidades. Nossos correspondentes precisam estar nesses lugares, pois nosso público-alvo não pode gastar dinheiro para se locomover para pagar uma conta", disse Guimarães para a Folha Online por telefone.O público-alvo do Banco Popular do Brasil é a faixa da população que ganha até dois salários mínimos (R$ 480) e os trabalhadores da economia informal, que não têm condições de comprovar renda.Para abrir uma conta, será necessário apresentar apenas um documento de identidade e declarar um endereço para recebimento de correspondência. Ou seja, até os sem-teto poderão ter conta.Guimarães afirmou que o Banco Popular do Brasil estará aberto também para as pessoas que estão com o nome sujo na praça. "Cada caso será analisado. O banco levará em conta o tipo de restrição bancária do cliente antes de oferecer um serviço."DiferenciaisNos correspondentes do BPB será possível abrir contas simplificadas que darão direito a um cartão de débito que também poderá ser utilizado na rede eletrônica do BB.Os sem-conta também terão acesso a uma série de serviços bancários, como cartão de crédito, seguro de vida, plano de previdência privada e títulos de capitalização."Os nossos correntistas terão os mesmos serviços que os clientes que já são atendidos hoje pelos grandes bancos. As necessidades desse público é que são diferentes", disse Guimarães.Segundo ele, a população desbancarizada não precisa ter uma centena de tipos de fundos de investimento, por exemplo. "Tudo será simplificado. Até porque esse público estará tendo acesso a uma conta bancária pela primeira vez."A expectativa do banco Popular do Brasil é abrir 1 milhão de contas simplificadas em 12 meses.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA

Vacina tetravalente contra a gripe do Butantan terá verbas do BNDES

SAÚDE

Unidade Móvel do Hospital de Amor está em Coronel Sapucaia nesta semana

PESQUISA

A cada 8 minutos, uma mulher é vítima de estupro no país

Marcio Pudim pede obras de asfalto, tubulação e quebra-molas em distritos
CÂMARA DE DOURADOS

Marcio Pudim pede obras de asfalto, tubulação e quebra-molas em distritos

COMUNICAÇÃO

EBC passará a ter Comitê Editorial e de Programação

UEMS

Reclassificados em seleção por histórico escolar são convocados para matrícula

LEVANTAMENTO

Brasil registra déficit habitacional de 6 milhões de domicílios

UNIVERSIDADE

Sustentabilidade é foco da 15ª Jornada Acadêmica de Arquitetura e Urbanismo

REPRESENTATIVIDADE

Cresce número de pré-candidatos LGBTI+ nas eleições municipais

LEGISLATIVO

Abril Verde: Câmara promove palestra sobre assédio moral e sexual no trabalho

Mais Lidas

COLISÃO

Mãe e criança morrem após colisão de caminhonete e carro na BR-163

SENAR

Do Japão para Mato Grosso do Sul: filha assume legado do pai e se tornou pecuarista

DOURADOS

Concurso "Miss e Mister Indígena" acontece no próximo sábado na Jaguapiru

DOURADOS 

Jovem é encontrado morto no Parque Antenor Martins