Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Arrecadação soma R$ 64 bi em fevereiro, recorde pelo 3º mês

22 março 2011 - 17h28

A arrecadação federal – que inclui impostos, contribuições federais e demais receitas, como os royalties – somou R$ 64,13 bilhões em fevereiro, o que representa um aumento real (após o abatimento da inflação) de 9,84% em relação ao mesmo período do ano anterior, informou nesta terça-feira (22) a Secretaria da Receita Federal.

O Fisco informou ainda que a arrecadação do mês passado representa recorde (pelo terceiro mês consecutivo), mas desta vez para meses de fevereiro. No primeiro mês deste ano, a arrecadação somou R$ 91 bilhões, que também representou o maior valor para janeiro e representa a segunda melhor arrecadação para todos os meses da história.

"É normal que essas medidas macroprudenciais [retirada de R$ 61 bilhões da economia], ou as medidas de corte orçamentário, tenham influência no ambiente econômico a partir de março. A influência vai acontecer, se acontecer, a partir de março. As medidas não foram suficientes para conter o crescimento [da arrecadação], mas a curva de crescimento tende a diminuir. Acho que a arrecadação vai ser boa e vai se comportar dentro da evolução da economia", avaliou o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto. Segundo ele, a arrecadação líquida, sem contar o INSS, deve crescer 15%, em termos nominais, em 2011.

Primeiro bimestre
No primeiro bimestre deste ano, ainda segundo dados da Receita Federal, a arrecadação somou R$ 155,21 bilhões, com crescimento real (acima da inflação) de 13% frente ao mesmo período do ano passado. Com isso, a arrecadação também bateu recorde histórico para os dois primeiros meses de um ano.

Em termos nominais, a arrecadação cresceu R$ 25,6 bilhões no primeiro bimestre, ou seja, sem a correção, pela inflação, dos valores arrecadados no ano passado. A comparação foi feita com janeiro e fevereiro de 2010. Este crescimento foi contabilizado com base no que efetivamente ingressou nos cofres da União.

Razões para o aumento
A arrecadação tem avançado neste ano ainda por conta do crescimento da economia brasileira, que somou 7,5% em 2010, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para este ano, a estimativa de analistas do mercado financeiro é de uma expansão de 4%. O Ministério da Fazenda, porém, mantém o otimismo e segue esperando um crescimento do PIB de 5% para 2011.

De acordo com dados da Receita Federal, o crescimento da economia tem se traduzido em maior nível de atividade econômica, o que tem impulsionado a arrecadação de impostos e contribuições federais. A produção industrial, de acordo com o Fisco, subiu 5,78% no primeiro bimestre deste ano, enquanto as vendas de bens e serviços, segundo informações do IBGE, avançaram 15,21% neste período. A massa salarial, por sua vez, cresceu 16,74% no primeiro bimestre deste ano.

Tributos
A Receita Federal informou que o Imposto de Renda arrecadou R$ 44,63 bilhões no primeiro bimestre deste ano, com crescimento real de 21,7% sobre o mesmo mês de 2010.

O IR das pessoas jurídicas, informou o Fisco, arrecadou R$ 21,89 bilhões no acumulado deste ano, com aumento real de 14% na comparação com o primeiro bimestre do ano passado, enquanto o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) somou R$ 20,94 bilhões de arrecadação no primeiro bimestre, com elevação de 13,4% sobre o ano passado.

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que arrecadou menos no primeiro bimestre do ano passado por conta das desonerações para a linha branca e automóveis, entre outros, registrou arrecadação de R$ 7,37 bilhões nos dois primeiros meses de 2011, com crescimento real de 27,7% sobre igual período do ano passado.

Ao mesmo tempo, a arrecadação do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), que teve sua alíquota aumentada no fim do ano passado para aplicações estrangeiras em renda fixa no Brasil para conter a entrada de dólares no país, somou R$ 4,58 bilhões no primeiro bimestre deste ano, com crescimento real de 11,78% sobre janeiro e fevereiro de 2010.

Já a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) arrecadou R$ 25,27 bilhões no primeiro bimestre de 2011, com crescimento real de 9,87% sobre mesmo período do ano passado, enquanto a Contribuição Social Sobre Lucro Líquido (CSLL) registrou arrecadação de R$ 11,44 bilhões no acumulado deste ano, com elevação real de 7,34%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Israel destrói prédio em Gaza que abrigava escritórios de imprensa
Em MS, homem é autuado em R$ 65 mil por degradar área de córrego
ANAURILÂNDIA
Em MS, homem é autuado em R$ 65 mil por degradar área de córrego
TECNOLOGIA
Começa a valer hoje nova política de privacidade do WhatsApp
Foragido por aplicar golpe de R$ 30 mil em SP é detido no MS
REGIÃO
Foragido por aplicar golpe de R$ 30 mil em SP é detido no MS
Petrobras bate recorde de vendas de diesel S-10
ECONOMIA
Petrobras bate recorde de vendas de diesel S-10
BRASIL
Governo proíbe entrada de estrangeiros em voos provenientes da Índia
COPA DO BRASIL
Juventude AG enfrenta Umuarama Futsal com obrigação de vitória
PANDEMIA
MS tem quase 1,4 mil novos casos de coronavírus e outras 31 mortes pela doença
CAPITAL
Jovem sai para comprar narguilé e morre após colidir moto contra poste
BRASIL
Terremoto de 4.3 na Escala Richter é registrado no Pará

Mais Lidas

CORONAVÍRUS
Murilo Zauith passa por reabilitação e segue internado em SP
TRÁFICO DE DROGAS
Chefe do 'Comando Vermelho' e foragido há seis meses é preso em Dourados
DOURADOS
Criança encontrada morta apresentou problemas estomacais uma semana antes
CACHOEIRINHA
Polícia fecha ponto de distribuição de drogas e prende abastecedor