Menu
Busca quarta, 12 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Argentinos voltam às ruas para protestar contra violência

26 agosto 2004 - 23h42

Os argentinos voltaram a protestar nesta quinta-feira contra a violência no país em uma grande manifestação convocada pelo empresário Juan Carlos Blumberg, que reuniu mais de 75 mil pessoas diante do Congresso Nacional, em Buenos Aires. Blumberg, cujo filho Axel foi seqüestrado e assassinado em março passado, lidera uma cruzada contra o crime e já reuniu milhares de pessoas nas duas manifestações anteriores que organizou. Hoje, o protesto atraiu cerca de 75 mil pessoas, de acordo com a Polícia, e 180 mil, segundo os organizadores. Os manifestantes carregavam velas, cartazes, bandeiras brancas e faixas pretas de luto. Depois de fazer um minuto de silêncio com a multidão, Blumberg denunciou grupos que atuaram para atrapalhar a manifestação e questionou as autoridades. Depois, insistiu na necessidade de defender a democracia e fortalecer as instituições do país. Durante o protesto, o empresário entregou duas reivindicações ao governo: uma aos deputados e senadores e outra às autoridades da Casa da Província de Buenos Aires, que fica a 200 metros do Parlamento. Entre as novas reivindicações do empresário está a criação de uma Secretaria Nacional de Investigações para este tipo de crime. A manifestação desta quinta-feira teve um tom mais político em relação às anteriores. Blumberg defende agora mudanças na legislação eleitoral que, segundo ele, favorece a reeleição de políticos corruptos. Durante a manifestação, ele lembrou da polêmica ação que pede a redução da maioridade penal de 18 para 14 anos, argumentando que "muitos menores matam gente inocente e devem ser levados a institutos onde possam se recuperar". Blumberg, até pouco tempo atrás um cidadão anônimo, passou às manchetes dos principais jornais do país ao liderar duas gigantescas manifestações em abril, uma em frente ao Congresso e outra no Palácio dos Tribunais, em protesto pela violência e a morosidade da Justiça argentina. Desde então, o governo do presidente Néstor Kirchner vem transformando os pedidos e abaixo-assinados de Blumberg em novas leis e reformas no Código Penal. Logo depois da manifestação, um representante do governo disse que "a direita encontrou em Blumberg um canal para se pronunciar. Pela falta de referência, encontraram nestes atos um espaço e um tema que evidentemente chama a atenção da sociedade, que é o tema da insegurança". "Respeitamos as manifestações, mas a única forma de abordar a fundo a problemática da insegurança é desenvolvendo o que já iniciamos no governo", disse a fonte. A região norte de Buenos Aires, onde vive a população de classe média alta, é a mais atingida por essa onda de seqüestros, que tem como alvos empresários, atletas e socialites. O jornal conservador "La Nación" anunciou como manchete domingo passado que o número de seqüestros quadruplicou desde 2001 na grande Buenos Aires, onde ocorreram 307 casos denunciados em 2003, contra 77 em 2001.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Visando a volta às aulas, profissionais da educação infantil são vacinados em Dourados
IMUNIZAÇÃO
Visando a volta às aulas, profissionais da educação infantil são vacinados em Dourados
Douradenses se destacam em provas de atletismo no final de semana
PEDESTRIANISMO
Douradenses se destacam em provas de atletismo no final de semana
CAPITAL
Ladrão trapalhão cai durante fuga e acaba detido até chegada da PM
COVID-19
Neno Razuk pede prioridade na vacinação para cuidadores de crianças
Desenhista de MS "consagrado" por Silvio Santos terá novo encontro com apresentador
ARTISTA
Desenhista de MS "consagrado" por Silvio Santos terá novo encontro com apresentador
TRÊS LAGOAS
Homem é preso por furtar televisão e notebook de clínica odontológica
POLÍTICA
Audiência pública vai debater hoje o piso salarial de enfermeiros
AJUDA
Caixa libera saques do auxílio para novo grupo; veja quem recebe
UFGD
Pesquisador descobre novas espécies de peixes na bacia do Taquari
SENADO
CPI ouve hoje Wajngarten sobre 'incompetência' do Ministério da Saúde

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
INDÁPOLIS
'Frio' e com roupa ainda suja de sangue, assassino de tio não mostrou arrependimento ao ser preso
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
PANDEMIA
Novo decreto mantém toque de recolher às 21h e autoriza abertura de cinema em Dourados