Menu
Busca sábado, 06 de março de 2021
(67) 99257-3397

Antropólogo diz que terras demarcadas não devem ultrapassar 800 mil hectares

18 agosto 2009 - 13h28

A demarcação de terras em Mato Grosso do Sul foi o principal assunto discutido no último dia do seminário “A Imagem dos Povos Indígenas na Mídia”, no CineCultura em Campo Grande, como parte da programação do Vídeo Índio Brasil 2009. No domingo pela manhã, o tema colocado à mesa foi “Nós Estamos Aqui – A Realidade dos Guarani em Mato Grosso do Sul”, discutido pelo antropólogo Rubem Almeida, o historiador Antonio Brand e o cacique Guarani-Kaiowá Ambrósio Vilhalva, mediados pelo coordenador-geral de artesanato da Funai, Pedro Ortale.



Lideranças indígenas falaram da importância da terra para a preservação da cultura. Exemplificando que a relação entre o homem branco e o índio com a terra é diferente. Enquanto um a utiliza para viver o outro faz parte dela.



Para o antropólogo Rubem Almeida a resolução do impasse só pode acontecer com entendimento entre todos os envolvidos. “É preciso diálogo, muita conversa. Na minha opinião não deve ocorrer a criminalização dos produtores rurais. Infelizmente o que ocorre é que o governo não deseja dialogar”.



Rubem ainda chamou a atenção para um dado importante. Segundo ele, as terras destinadas aos povos indígenas seriam infinitamente menores do que a imprensa e o governo ventila. “Falaram em 26 milhões de hectares, outros em três milhões. Pelos meus estudos posso afirmar que, se muito, as terras destinadas a este fim não devem ultrapassar 800 mil hectares”, crê.



O professor e historiador Antônio Brand, coordenador do programa Rede de Saberes do Neppi (Núcleo de Estudos e Pesquisas Indígenas), enfatizou a urgência para a resolução de um problema que afeta 45 mil pessoas em Mato Grosso do Sul. “Infelizmente, a classe política é contra a decisão de demarcar as terras. Mas sem isso será impossível dar qualidade de vida a um povo que vive oprimido”, afirma.



O Pajé Nito Guarani disse desejar apenas que seu direito seja respeitado. “Queremos apenas nosso direito, recuperar nosso território. Antes conversávamos com a natureza, hoje não é possível. Porque acontece o suicídio? Porque nossos irmãos perdem a esperança”. O cacique Ambrósio Vilhalva reiterou ainda a necessidade de uma sociedade mais justa, pois “ninguém é mais que o outro.”



Da platéia, a produtora rural e antropóloga Roseli Maria Ruiz, que acompanhou os seminários no fim de semana, explicou que produtores rurais, assim como os indígenas, também são vítimas. “Minha família comprou as terras há mais de 50 anos. Temos todos os documentos. Assim como os indígenas, somos vítimas de políticos irresponsáveis”. Para ela, o problema deve ser resolvido com entendimento.



O seminário “Nós Estamos Aqui – A Realidade dos Guarani em Mato Grosso do Sul” fechou um ciclo de debates realizados deste o dia 11 deste mês e que discutiu, como tema central “A Imagem dos Povos Indígenas na Mídia”. Passaram pela mesa de discussões antropólogos, caciques, pajés, atores indígenas brasileiros e bolivianos, cineastas índios e não índios, professores de diversas etnias indígenas, jornalistas e produtores culturais.



O Vídeo Índio Brasil 2009 terminou no domingo (16) e foi realizado pelo Pontão de Cultura Guaicuru,no CineCultura,em Campo Grande, e em outras 15 localidades em sete cidades. A mostra teve o apoio da Funai, do Ministério da Cultura e do Ministério do Turismo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde lança guia alimentar de bolso para menores de 2 anos
SAÚDE
Saúde lança guia alimentar de bolso para menores de 2 anos
Covid-19: mortes ultrapassam 264 mil e casos chegam a quase 11 milhões
BRASIL
Covid-19: mortes ultrapassam 264 mil e casos chegam a quase 11 milhões
Assunção registra violência após resposta à pandemia gerar protestos
INTERNACIONAL
Assunção registra violência após resposta à pandemia gerar protestos
DAC vence o Novo por 3X0, em Campo Grande
DOURADOS
DAC vence o Novo por 3X0, em Campo Grande
Fazendeiro é autuado por exploração ilegal de madeira
AQUIDAUANA
Fazendeiro é autuado por exploração ilegal de madeira
PANDEMIA
Prorrogada situação de calamidade pública em dois municípios
ABERTO DE TÊNIS
Djokovic confirma retorno ao circuito no Aberto de Miami
MATO GROSSO DO SUL
Executivo envia projeto para criar fundação de apoio à pesquisa e à Educação
VÔLEI
CBV divulga calendário das quartas de final da Superliga Feminina
POLÍCIA
Caminhão com pneus do Paraguai foi apreendido pelo DOF durante a Operação Hórus

Mais Lidas

PONTA PORÃ
Casal é assassinado na fronteira e corpos são deixados um ao lado do outro
EXECUÇÃO
Executado na fronteira era publicitário e morador em Dourados
DIÁRIO OFICIAL
Guarda municipal de Dourados condenado por tráfico em SP é demitido
MATO GROSSO DO SUL
Ministro da Justiça lamenta morte de coronel Adib e posta foto antiga do GOF