Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 9860-3221

Alfabetizadores vão ajudar a tirar registro de nascimento

10 janeiro 2004 - 11h46

Cerca de 30% das crianças que nascem no Brasil não são registradas no primeiro ano de vida. Para tentar amenizar o problema, os 87 mil alfabetizadores cadastrados pelo Ministério da Educação vão ajudar as famílias a obter o registro civil.Os alfabetizadores terão de localizar e informar as pessoas que o documento é gratuito. Para 2004, a estimativa é registrar 300 mil. Cerca de 1.400 cartórios participarão do projeto.O ministro da Educação, Cristovam Buarque, disse que a estrutura do ministério pode ser usada para complementar programas de direitos humanos, sem necessidade de novos recursos, com verbas do programa "Brasil Alfabetizado". A Secretaria Especial de Direitos Humanos vai elaborar um manual sobre o registro civil de nascimento, a ser distribuído entre os alfabetizadores capacitados pelo Ministério da Educação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Estado confirma mais cinco casos de coronavírus; Dourados segue com dois
INTERNACIONAL
Novo embaixador dos Estados Unidos chega ao Brasil
MATO GROSSO DO SUL
Bombeiros fazem alerta para aumento de 133% na quantidade de incêndios
DEFENSORIA PÚBLICA
DPU cria canal para denúncias durante o enfrentamento ao coronavírus
MATO GROSSO DO SUL
Calendário de vacinação contra aftosa será mantido
BRASIL
Bolsonaro dá passeio em Brasília após Mandetta enfatizar isolamento
ACIDENTE
Motociclista morre ao colidir em touro em cidade do interior
ESTAVA NA PED
Mato-grossense é preso com por tráfico de drogas em Dourados
NOTA PREMIADA
Lista de ganhadores já está disponível para consulta
DOURADOS
Homem entra em veículo e anuncia assalto com arma de brinquedo; vídeo

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato