Menu
Busca segunda, 30 de março de 2020
(67) 9860-3221

Aftosa: vacinas serão entregues em Ponta Porã e Corumbá

29 dezembro 2003 - 16h59

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento formaliza nesta segunda-feira, 29, a doação de 1 milhão de doses de vacina contra a febre aftosa à Bolívia e outras 500 mil ao Paraguai. A Delegacia Federal da Agricultura em Mato Grosso do Sul entregará as vacinas aos serviços de sanidade animal do Paraguai, em Ponta Porã, e da Bolívia, em Corumbá. Juntos, os dois países têm um rebanho de 17 milhões de cabeças.O Brasil tem 82% de seu rebanho de 183 milhões de cabeças reconhecidos como livres da doença. Há mais de dois anos sem registro de casos da doença, o Brasil lidera o processo de prevenção e combate à aftosa no continente sul-americano. Para manter esse status internacional, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez, em março, durante visita à feira de Campo Grande, a doação de 1 milhão de doses de vacinas ao Paraguai e outras 500 mil à Bolívia.Em julho, o ministro Roberto Rodrigues participou de um encontro emergencial, com a presença do então presidente boliviano Gonzalo Sánchez de Lozada e seis ministros da Agricultura do continente, para discutir políticas e estratégias regionais de combate à aftosa na América do Sul. O novo esforço de imunização beneficiará os rebanhos bovinos dos departamentos bolivianos de Santa Cruz de La Sierra, na fronteira com o Mato Grosso do Sul, e do Beni, vizinho de Rondônia. “Buscamos aprimorar a vigilância de nossas fronteiras e aumentar a cooperação com os países vizinhos”, diz Jamil Gomes de Souza, diretor substituto do Departamento de Defesa Animal do ministério. Recentemente, a Bolívia detectou dois focos de aftosa nas comunidades de Monteagudo (Departamento de Chuquisaca) e Betanzos (Departamento de Potosí), situados na Bacia do Rio Prata, a 3 km da fronteira com a Argentina e a 7 km da fronteira com o Paraguai. A doação, que custará R$ 1,4 milhão ao Brasil, foi decidida durante reunião do ministro Rodrigues com seus colegas no Conselho Agropecuário do Sul (CAS) em novembro, na Cidade do Panamá. Criado em abril deste ano, o CAS tem o objetivo de intensificar a cooperação sobre o controle sanitário e fitossanitário no Cone Sul para atender à crescente demanda por segurança alimentar. Além disso, o grupo busca discutir políticas comuns na área de sanidade e preparar posições negociadoras conjuntas para apresentar nos fóruns de negociação internacional. As entidades de representação privada do setor agropecuário também participam das discussões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Covid-19: número de mortes no Brasil sobe para 136
COVID-19
Estado confirma mais cinco casos de coronavírus; Dourados segue com dois
INTERNACIONAL
Novo embaixador dos Estados Unidos chega ao Brasil
MATO GROSSO DO SUL
Bombeiros fazem alerta para aumento de 133% na quantidade de incêndios
DEFENSORIA PÚBLICA
DPU cria canal para denúncias durante o enfrentamento ao coronavírus
MATO GROSSO DO SUL
Calendário de vacinação contra aftosa será mantido
BRASIL
Bolsonaro dá passeio em Brasília após Mandetta enfatizar isolamento
ACIDENTE
Motociclista morre ao colidir em touro em cidade do interior
ESTAVA NA PED
Mato-grossense é preso com por tráfico de drogas em Dourados
NOTA PREMIADA
Lista de ganhadores já está disponível para consulta

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Estado avisou sobre contato entre douradense e morador da Capital com Covid-19
AQUIDAUANA
Quatro homens são autuados em R$ 10,4 mil por pesca predatória em MS