Menu
Busca domingo, 18 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Aftosa: vacinas serão entregues em Ponta Porã e Corumbá

29 dezembro 2003 - 16h59

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento formaliza nesta segunda-feira, 29, a doação de 1 milhão de doses de vacina contra a febre aftosa à Bolívia e outras 500 mil ao Paraguai. A Delegacia Federal da Agricultura em Mato Grosso do Sul entregará as vacinas aos serviços de sanidade animal do Paraguai, em Ponta Porã, e da Bolívia, em Corumbá. Juntos, os dois países têm um rebanho de 17 milhões de cabeças.O Brasil tem 82% de seu rebanho de 183 milhões de cabeças reconhecidos como livres da doença. Há mais de dois anos sem registro de casos da doença, o Brasil lidera o processo de prevenção e combate à aftosa no continente sul-americano. Para manter esse status internacional, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez, em março, durante visita à feira de Campo Grande, a doação de 1 milhão de doses de vacinas ao Paraguai e outras 500 mil à Bolívia.Em julho, o ministro Roberto Rodrigues participou de um encontro emergencial, com a presença do então presidente boliviano Gonzalo Sánchez de Lozada e seis ministros da Agricultura do continente, para discutir políticas e estratégias regionais de combate à aftosa na América do Sul. O novo esforço de imunização beneficiará os rebanhos bovinos dos departamentos bolivianos de Santa Cruz de La Sierra, na fronteira com o Mato Grosso do Sul, e do Beni, vizinho de Rondônia. “Buscamos aprimorar a vigilância de nossas fronteiras e aumentar a cooperação com os países vizinhos”, diz Jamil Gomes de Souza, diretor substituto do Departamento de Defesa Animal do ministério. Recentemente, a Bolívia detectou dois focos de aftosa nas comunidades de Monteagudo (Departamento de Chuquisaca) e Betanzos (Departamento de Potosí), situados na Bacia do Rio Prata, a 3 km da fronteira com a Argentina e a 7 km da fronteira com o Paraguai. A doação, que custará R$ 1,4 milhão ao Brasil, foi decidida durante reunião do ministro Rodrigues com seus colegas no Conselho Agropecuário do Sul (CAS) em novembro, na Cidade do Panamá. Criado em abril deste ano, o CAS tem o objetivo de intensificar a cooperação sobre o controle sanitário e fitossanitário no Cone Sul para atender à crescente demanda por segurança alimentar. Além disso, o grupo busca discutir políticas comuns na área de sanidade e preparar posições negociadoras conjuntas para apresentar nos fóruns de negociação internacional. As entidades de representação privada do setor agropecuário também participam das discussões.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bolsonaro visita cidade de Goiás com Pazuello e causa aglomeração
COLAPSO
Bolsonaro visita cidade de Goiás com Pazuello e causa aglomeração
Jovem com problemas emocionais se despede de familiares e desaparece
CAMPO GRANDE
Jovem com problemas emocionais se despede de familiares e desaparece
PANDEMIA SEM CONTROLE
Brasil ultrapassa 371 mil mortos por Covid; 2.865 mortes em 24 horas
APLICATIVO
Celulares podem ajudar no combate a fraudes em bombas de combustíveis
COXIM
'Descontrolado', adolescente é apreendido por pilotar moto e dar tiros
MOEDA FORTE
Paraguaios aproveitam valorização do guarani para compras no Brasil
Jovem de 19 anos é preso e multado por pescar com petrechos ilegais 
DOSES LIMITADAS
Drive-thru nos Bombeiros neste domingo começa às 8 horas
TRÁFICO
Polícia apreende mais de uma tonelada de maconha em caminhonete furtada 
SAÚDE
Bolsonaro confirma que passará por nova cirurgia para corrigir hérnia

Mais Lidas

DOURADOS
Motociclista é preso após passar 'fumando um baseado' ao lado de viatura
CRIME AMBIENTAL
Goiano preso com minhocas terá que pagar multa de quase meio milhão de reais
AMEAÇA DE EXTINÇÃO
Após passar por MS, homem é preso com mudas raras que seriam vendidas na Bolívia
DOURADOS
Funsaud oficializa saída de diretor médico da UPA após denúncia de escala sem plantonista