Menu
Busca quarta, 14 de abril de 2021
(67) 99257-3397

Aftosa: MS pode levar meses para retomar o status sanitário

10 outubro 2005 - 11h54

O prejuízo causado ao Mato Grosso do Sul com a confirmação de um foco de febre aftosa em Eldorado pode demorar pelo menos seis meses e prejuízo financeiro até ser resgatado. É o que estima Crisostomo Mauad Cavalléro, diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal). Para ele, esse será o prazo para o Estado conseguir recuperar o status sanitário que usufruía. Hoje, houve impacto imediato no mercado, com bolsas operando com limite máximo de baixa no preço. O Estado consta da zona livre, da qual faz parte 85% do rebanho do Brasil. Para Cavalléro, de imediato deve ocorrer um veto à carne brasileira pelos importadores. Apresentando documentação e alegações, o País deve ser liberado mas a restrição persistirá para o Estado e futuramente à região atingida, em um raio de 25 quilômetros, estimou o diretor. Ele disse esperar que não haja perdas a toda a zona livre. Segundo Cavalléro, os cinco municípios que estão interditados (Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã e Mundo Novo) têm juntos 685.874 cabeças. O rebanho total do Estado é de 25 milhões de animais. Conforme o diretor, se não houvesse o sacrifício de todo o rebanho da propriedade atingida, a Vezzozo, com 582 bovinos, a recuperação da condição sanitária poderia chegar a 1 ano e oito meses. A doença foi confirmada em 140 animais, mas todos serão sacrificados e enterrados hoje. A recuperação da condição que o Estado gozava inclui desinfectar a região, criar um chamado vazio sanitário no local do foco, ou seja, deixar sem animais, depois repovoar com acompanhamento de pesquisa viral. Falta de recursos- Há cerca de cem pessoas distribuídas em 21 equipes na região. O trabalho sanitário deve envolver cerca de R$ 1 milhão, estimou superintendente Federal da Agricultura, José Antônio Felício. Ele e o diretor a Iagro falaram sobre o assunto em entrevista coletiva, esta manhã. Ambos lembraram que os recursos para sanidade animal foram repassados aquém do esperado e prometido pela União. Conforme Cavalléro, o Estado recebe R$ 1,9 milhão, quando mereceria R$ 15 milhões. Segundo foi informado hoje, o Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento iria cobrar do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, a liberação de verba para o Estado que está contingenciada. Em agosto houve a promessa de repasse de R$ 4 milhões para o setor.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde de MS recebe 45.416 medicamentos do kit intubação
COVID-19
Saúde de MS recebe 45.416 medicamentos do kit intubação
Veículos carregados com contrabando são apreendidos
OPERAÇÃO HÓRUS
Veículos carregados com contrabando são apreendidos
Com estoque em situação crítica de 'kit intubação', Dourados segue com UTIs lotadas
CORONAVÍRUS
Com estoque em situação crítica de 'kit intubação', Dourados segue com UTIs lotadas
Governo de MS renova corredores de ônibus em Dourados
INFRAESTRUTURA
Governo de MS renova corredores de ônibus em Dourados
Motorista atropela e mata atual marido da ex e deixa bebê em estado grave
UEMS
Divulgado resultado preliminar para seleção de tutores e professores 
BRASIL
Anvisa diz que prazo para liberar vacinas tem a ver com documentação
COSTA RICA
Moto furtada é encontrada abandonada
DOURADOS
Homem tenta furtar fios de residência, é detido por populares e preso
ESTÉTICA
5 novos cosméticos para ficar de olho

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Soldado da Polícia Militar é encontrado morto no interior de residência
IZIDRO PEDROSO
Estado doará terrenos e busca parceria para construir casas populares em Dourados
DOURADOS
Homem encontrado morto pode ter envolvimento em esquema de agiotagem internacional
CASA PRÓPRIA
Prefeitura abre recadastramento habitacional em Dourados