Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 9860-3221

Acusado de matar frentista em Nova Andradina se apresenta

09 dezembro 2003 - 08h45

O proprietário do restaurante localizado no pátio do posto de combustíveis Tigrão, em Nova Andradina Silvio Casali, 54 anos, acusado de ter assassinado por volta das 17 horas da última quarta-feira, dia 03 de dezembro, o frentista do posto Silvano Soares Carvalho, 25 anos, se apresentou na tarde de ontem no 1º Distrito Policial de Nova Andradina, acompanhado do advogado Jesualdo Galeski.De acordo com informações do delegado titular do 1º DP, Silvio disse que vinha discutindo com Silvano, já há alguns dias e no dia do crime, a vitima teria assediado uma das funcionarias do restaurante e quando foi tirar satisfação Silvano voltou a insulta-lo, momento em que perdeu a cabeça e desferiu um único disparo que atingiu a cabeça da vitima.Silvio após prestar depoimento foi liberado, para responder o processo em liberdade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Ex-técnico René Simões testa positivo para o novo coronavírus
TRÊS MESES
Governo prorroga receitas de medicamentos da Casa de Saúde
74 ANOS
Bahia registra primeira morte de paciente com coronavírus
DOURADOS
Jovem tem moto furtada ao estacionar em via pública por 15 minutos
INTERIOR
Comerciante entrega R$ 15 mil para bandidos que mantinham família refém
FRONTEIRA
Acidente na MS-164 em Ponta Porã leva pai e filho a óbito
DOURADOS
Homem escala muro e entra pela sacada de apartamento para cometer roubo
INTERNACIONAL
EUA e Coreia do Sul investigam disparo de projéteis norte-coreanos
TRÂNSITO
Confusão envolvendo policial tem homem baleado em Campo Grande
ECONOMIA
Veja como bares, restaurantes e boates estão lidando com pandemia

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato