Menu
Busca terça, 18 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Acadêmicos vão protestar na praça Antonio João

16 setembro 2004 - 07h59

Os acadêmicos da UEMS e da UFMS que bloquearam agora cedo a entrada de estudantes no campus da Cidade Universitária, em Dourados, decidiram ampliar o protesto contra a reforma universitária que está sendo proposta pelo Governo, e que, segundo lideranças do movimento, enfraquece ainda mais o ensino público brasileiro. Nesse momento, eles começam a organizar uma caravana que vai concentrar os manifestos na praça Antonio João, no centro de Dourados. "Ou pára essa reforma, ou paramos o Brasil" é o grito de guerra dos universitários, que estão mobilizados no prolongamento da avenida Guaicurus, dirigindo-se para o centro da cidade.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BENEFÍCIO
Prazo para pedir revisão da pontuação do Bolsa Atleta termina amanhã
Homem é preso com veículo roubado e família mantida refém libertada
CAMPO GRANDE
Homem é preso com veículo roubado e família mantida refém libertada
Ladrão leva até talheres de vítima que esperava ônibus para ir ao trabalho
DOURADOS
Ladrão leva até talheres de vítima que esperava ônibus para ir ao trabalho
FUTEBOL
Quatro brasileiros entram em campo hoje pela Libertadores da América
Previsão de frio intenso muda e agora aponta clima ameno
DOURADOS
Previsão de frio intenso muda e agora aponta clima ameno
INFORME PUBLICITÁRIO
Venha ser um revendedor Mahogany e ter lucro garantido!
DOURADOS
Termo de cooperação define valores para Estado custear leitos de UTI Covid-19
DOURADOS
"Homem Aranha" douradense é detido após furtar celular em residencial
CAMPO GRANDE
Casal e crianças são mantidos sob mira de revólver durante roubo
LEGISLATIVO DE MS
Prevista a votação de cinco matérias na Ordem do Dia desta terça

Mais Lidas

POLÍCIA
'Apaixonado', rapaz furta objetos na PED para ser preso e reencontrar marido
CLIMA
Frio mais intenso do ano é previsto para esta semana em Dourados
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS
FEMINICÍDIO
Mulher é encontrada morta com golpe de faca no pescoço na região do João Paulo II