Menu
Busca terça, 11 de maio de 2021
(67) 99257-3397

Acadêmicos distribuem folhetos contra Reforma Universitária

16 setembro 2004 - 13h29

Os acadêmicos da UEMS (universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) e UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), que protestaram hoje pela manha contra a reforma universitária, proposta pelo governo federal, distribuíram panfletos explicando de forma resumida os motivos pelos quais são contra a Reforma Universitária.A Reforma Universitária, que deve ser votada em novembro deste ano, propõe entre outras coisas, que as pesquisas feitas em universidades publicas sejam financiadas pela Iniciativa Privada, perdendo assim a autonomia da pesquisa.Os acadêmicos são contra a parceria publica privada, conhecida como PPP, transferindo as obrigações do governo do estado para iniciativa privada. Se aprovada, essa parceria permitirá que o privatiza sem leiloes ou licitações as instituições publicas, como é o caso das universidades.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARANAÍBA
Jovem mata ex-namorado da mãe a facadas após presenciar agressão
SENADO
CPI vai questionar negociações do Itamaraty para garantir cloroquina
ANHANDUÍ
Pedestre morre após ser atropelado por caminhão baú na BR-163
IMUNIZANTES
Saúde receberá 8,2 milhões de doses de vacina até sexta-feira
Homem que abusou da mulher é denunciado por estuprar a filha
FUTEBOL
Costa Rica vence Aquidaunense e retoma a liderança do Estadual
CRIME AMBIENTAL
Animais são abandonados, morrem e mulher é multada em R$ 4 mil
JUSTIÇA
Juiz determina que Carla Zambelli tire vídeo da canção 'Milla' do ar
CAPITAL
Homem morre após cair de três metros ao conferir estoque de loja
TJ/MS
Concurso Extrajudicial terá audiência pública no dia 27 de maio

Mais Lidas

PANDEMIA
Levado pela Covid-19, "João da União" deixa legado para família e em Dourados
DOURADOS
Homem morre no HV após acidente com condutor que empinava moto
INDÁPOLIS
Homem assassinado em distrito sofreu vários golpes de facão e teve mão decepada
DOURADOS
Juiz manda Câmara exonerar nomeados e realizar novo concurso público