Menu
Busca terça, 18 de maio de 2021
(67) 99257-3397

1º ENEES reuniu lideranças no fim de semana

17 agosto 2004 - 07h21

Realizado em Brasília, no ultimo fim de semana, o 1º Encontro Nacional de Empreendimentos da Economia Solidária reuniu 2200 lideranças de organizações da sociedade civil representando os 27 estados, dentre elas a Irmã Loudes Dill, da direção regional da Cáritas, da diocese de Santa Maria (RS), uma das mais antigas experiências de economia solidária. O projeto esperança é um programa da diocese Santa Maria, em parceria com a Cáritas estadual do Rio Grande do Sul e a Cáritas Nacional, que trabalha há 20 anos com a economia popular solidária. A idéia inicial partiu do livro “A pobreza e a riqueza dos povos", cujo autor, um africano, há 40 anos, fomentava a idéia de que é possível reinventar a economia, tornando-a mais solidária. “Neste encontro, estamos discutindo como fazer para que a economia seja mais solidária, mais partilhada e que o trabalhador e a trabalhadora que produz os bens e riquezas da humanidade tenham um acesso mais justo e mais solidário aos frutos de seu trabalho”, explica a religiosa. “A partir desse livro nós fizemos muitos encontros, seminários, reuniões, e estudos, contando com o apoio do bispo na diocese, Dom Ivo Lorscheider, ex-presidente Nacional da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil ( CNBB), que também é um grande apoiador da economia solidária e do cooperativismo. Esse programa surgiu e está presente em toda a diocese de Santa Maria e também em todo o Rio Grande do Sul há cerca de 20 anos. Juntamente com o Projeto Esperança, foi criada uma cooperativa central chamada Cooesperança, que é a cooperativa mista dos pequenos produtores rurais e urbanos, vinculados ao Projeto Esperança, reunindo pequenos grupos de cinco famílias organizadas em associações. Essas associações, depois de criadas pelo Projeto Esperança, se associam a Cooesperança, uma cooperativa central que articula grupos rurais e urbanos em torno da produção, comercialização e do consumo justo, ético e solidário. A Cooesperança fomenta a economia popular solidária por meio de uma outra filosofia: a lógica do trabalho acima do capital. Enquanto o capitalismo coloca o capital acima do trabalho, acima da pessoa humana, na economia solidária, o que está em primeiríssimo lugar é a pessoa humana e o fruto do seu trabalho”, destaca Irmã Lourdes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Prefeitura habilita fornecedoras de 5 mil kits de teste rápido para Covid-19
DOURADOS
Prefeitura habilita fornecedoras de 5 mil kits de teste rápido para Covid-19
Mulher tem veículo furtado em frente residência na Reserva Indígena
DOURADOS
Mulher tem veículo furtado em frente residência na Reserva Indígena
Modelo híbrido pode ser menos flexível do que o esperado
NEGÓCIOS & CIA
Modelo híbrido pode ser menos flexível do que o esperado
Agesul estima R$ 52 milhões para asfaltar quase 25 km entre Maracaju e Dourados
MS-162
Agesul estima R$ 52 milhões para asfaltar quase 25 km entre Maracaju e Dourados
Após perseguição, polícia apreende carro com fuzis, pistolas, munições e 850 kg de drogas
REGIÃO
Após perseguição, polícia apreende carro com fuzis, pistolas, munições e 850 kg de drogas
PATRULHAMENTO
Veículo com mercadoria ilegal é apreendido a caminho de Dourados
DOURADOS
Duplicação da rua Coronel Ponciano vai entrar em fase de licitação
BENEFÍCIO
Prazo para pedir revisão da pontuação do Bolsa Atleta termina amanhã
BELEZA & ESTÉTICA
BB Glow é técnica queridinha do momento e a Essence Care traz esse diferencial; Veja aqui
CAMPO GRANDE
Homem é preso com veículo roubado e família mantida refém libertada

Mais Lidas

POLÍCIA
'Apaixonado', rapaz furta objetos na PED para ser preso e reencontrar marido
CLIMA
Frio mais intenso do ano é previsto para esta semana em Dourados
REGIÃO
Mulher mata o marido a facadas após discussão em MS
FEMINICÍDIO
Mulher é encontrada morta com golpe de faca no pescoço na região do João Paulo II