quinta, 27 de janeiro de 2022
Dourados
33°max
24°min
Campo Grande
30°max
22°min
Três Lagoas
35°max
24°min
Acompanhe-nos
(67) 99257-3397
NEGÓCIOS E CIA

MEI e o INSS: como posso me aposentar como autônomo?

10 dezembro 2021 - 15h00Por Jornal Contábil

Muitas pessoas optam por trabalhar por conta própria. Ou seja, não tem patrão e tocam seu próprio negócio sozinhas. São os chamados empreendedores ou autônomos. Essas pessoas não têm um emprego formal, ou seja, não dispõem de carteira assinada de acordo com as regras da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). 

Contudo, podem se enquadrar na categoria de trabalhador autônomo, seja via MEI (Micro empreendedor Individual) e podem ter direito a aposentadoria. Neste caso, como não há necessariamente a figura de um empregador para assumir os encargos previdenciários, tal responsabilidade fica por conta do próprio trabalhador autônomo.

Assim, mensalmente o trabalhador desta modalidade deve contribuir com a Previdência Social para que obtenha direitos e benefícios no futuro. Além da aposentadoria, também estamos falando de auxílio-doença, licença maternidade e pensões variadas. Porém, o valor do benefício pode estar condicionado ao modelo de contribuição escolhido.

Quer saber mais sobre como é o processo de aposentadoria para quem é MEI e autônomo? Quais os direitos? Continue a leitura.

Quais as regras para aposentadoria do autônomo?
Quem está regularizado como Microempreendedor Individual (MEI) deve pagar mensalmente uma contribuição chamada DAS. O valor abrange impostos como ICMS e ISS, além da contribuição previdenciária para o INSS, que é de 5% sobre o salário mínimo vigente. 

Com essa contribuição, o profissional tem direito a se aposentar por idade (62 anos para mulheres e 65 para homens), desde que tenha comprovado um mínimo de 15 anos de contribuição.

Agora, para ter direito a uma aposentadoria superior a um salário mínimo, o Microempreendedor Individual deve acrescentar uma alíquota mensal de 15% além dos 5% já pagos normalmente. Tal procedimento pode ser realizado por meio de uma Guia Complementar de Recolhimento’, que conta com o código 1910.

Para quem optou por pagar a alíquota de 5% mais 15% mensalmente, será feita uma média salarial de todo o período trabalhado. Deste valor, o contribuinte receberá 60% mais 2% referente a cada ano de contribuição que ultrapasse o mínimo estabelecido por lei. Ou seja, para cada ano contribuído além do mínimo exigido será acrescido 2% sobre o valor da média salarial.

Não sou MEI, posso me aposentar como autônomo?
Para outros estilos de profissionais autônomos, o processo de contribuição previdenciária envolve cadastrar-se como contribuinte individual no PIS (Programa de Integração Social), escolher o tipo de contribuição, e fazer os pagamentos da Guia da Previdência Social (GPS). 

É possível optar por uma taxa de 11% sobre o salário mínimo, o que dá direito à aposentadoria por idade, ou de 20% sobre o salário mínimo, dando direito à aposentadoria por tempo de contribuição.

Após a Reforma da Previdência de 2019, o autônomo do plano normal receberá uma aposentadoria de 60% da média de todo período trabalhado, mais 2% para cada ano de contribuição acima de 20 anos, para os homens, e de 15 anos, para as mulheres. 

Já o segurado do plano simplificado permanece tendo direito ao benefício no valor de um salário mínimo.

Quais os documentos básicos  para a aposentadoria?

Alguns documentos básicos deverão ser apresentados na hora da solicitação. São eles:

RG;
CPF;
Comprovante endereço atualizado, pode ser contas de água, luz ou telefone;
Carnês de contribuição para os contribuintes autônomo;
Extrato previdenciário (CNIS);
PIS/PASEP e NIT (Número de Identificação do Trabalhador).
Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio. Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar.

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Bia Haddad faz história e coloca Brasil na final do Aberto da Austrália
TÊNIS

Bia Haddad faz história e coloca Brasil na final do Aberto da Austrália

UEMS

Conselho Universitário realiza reunião extraordinária nesta quinta-feira

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 31 milhões nesta quinta-feira
LOTERIA

Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 31 milhões nesta quinta-feira

ECONOMIA

Contribuintes com débitos na AGEMS podem aderir ao Refis até 31

Foragida fura bloqueio, mas é presa com quase meia tonelada de maconha
TRÊS LAGOAS

Foragida fura bloqueio, mas é presa com quase meia tonelada de maconha

EDUCAÇÃO

IFMS divulga resultado final de seleção para cursos técnicos a distância

DOURADOS

Melhorias realizadas na PED reforçam segurança de policiais penais

PONTA PORÃ

Motociclista morre atropelado por caminhonete na BR-463

TEMPO

Quinta-feira nublada com possibilidade de chuva em Dourados

FRONTEIRA

Homem é morto na frente da namorada logo após sair de presídio

Mais Lidas

DOURADOS

Homem ostenta em boate, não concorda com valor da conta e vai parar na delegacia

FURTO

Jovem abre algema e tenta fugir de delegacia em Dourados durante autuação

DOURADOS

Preso o jovem autor de pelo menos 20 furtos apenas neste ano

RIBAS DO RIO PARDO

Pai, mãe e filho morreram em colisão entre veículos na BR-262