Menu
Busca terça, 31 de março de 2020
(67) 9860-3221

Projeto de MS patrocinado pela Petrobras concorre ao prêmio ANU Preto

19 fevereiro 2013 - 10h36


O projeto Arte de Fazer e Reciclar, patrocinado pelo Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, e desenvolvido pelo Instituto Arara Azul, venceu a etapa regional do Prêmio Anu 2013 pelo Estado do Mato Grosso do Sul, e agora concorre à premiação final – o prêmio ANU PRETO. O prêmio, idealizado e organizado pela Central Única das Favelas (CUFA), reconhece publicamente iniciativas de fundações, ONGs, entre outras instituições que desenvolvam projetos para o aumento da renda e qualidade de vida, em comunidades em risco social. A cerimônia de entrega do troféu “Anu de Ouro” aos projetos vencedores da etapa regional, e do troféu “Anu Preto” para as três iniciativas de mais destaque no país, acontecerá no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no dia 20 de fevereiro de 2013.

A iniciativa


O projeto social Arte de Fazer e Reciclar, patrocinado pelo Programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania na linha de atuação Geração de Renda e Oportunidade de Trabalho, incluiu no mercado de trabalho 30 catadores e familiares do entorno do pantanal de Mato Grosso do Sul, e outros 300 artesãos que reaproveitam os resíduos coletados, para reciclar, produzir e comercializar artigos.


A coleta seletiva é realizada com veículo próprio, três vezes por semana, nos bairros de Santa Terezinha e na região central da cidade. Para ampliação da coleta, o projeto fez parcerias com empresas que doam seus resíduos para o núcleo de coleta seletiva, coletando mensalmente de 4 a 6 toneladas de papelão, plástico transparente, garrafas pet, frascos de desinfetantes, latinhas, entre outros. Os resíduos coletados são separados, prensados e vendidos na capital do estado, onde o valor dos reciclados é maior. O resultado das vendas é dividido entre os catadores proporcionalmente às horas de trabalho.


Atualmente, o Arte de fazer e Reciclar tem em atividade na região um núcleo de coleta seletiva, um núcleo de artesãos com produção de artesanatos feitos com resíduos de couro, como bolsas, cintos e carteiras, e um núcleo de produção de sabão artesanal, que utiliza como matéria prima o óleo usado de cozinha, além dos núcleos de produção de pufes de pet e de papel reciclado.


Para a coordenadora técnica do projeto, Neliane Robaldo Guedes Correa, o prêmio representa uma mudança de paradigma.


"Com o projeto, muita gente conseguiu ver arte naquilo que é classificado como lixo. Com a premiação, os catadores vêem a valorização do próprio trabalho, e a comunidade percebe que chegou um tempo de conscientização e mudança de atitudes”, afirma Neliane.


As histórias de José Fernandes da Silva, de 56 anos, e Roseli Santana, de 52 anos, são exemplos de incremento de renda e de aumento da auto-estima. O catador trabalhava por 14h diárias e arrecadava R$200 reais mensais com a venda do material coletado. A partir da participação e capacitação no projeto, assumiu a organização do núcleo de coleta seletiva, e recuperou a auto-estima. Hoje recebe cerca de R$800 por mês. A catadora, conhecida como Rose das Bonecas, aprendeu a confeccionar a primeira boneca nas oficinas do Projeto Arte de Fazer e Reciclar. O aprendizado foi uma alternativa de gerar renda sem sair de casa. A catadora, que cuida dos pais doentes, não tinha disponibilidade para trabalhar fora. Hoje, Rose se tornou independente da Rede, e ganha seu sustento e da família por meio da comercialização das bonecas em feiras e eventos regionais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Aced quer prorrogação de pagamento de tributos municipais
POLÍTICA
Governo anuncia acordo para adiar por 60 dias reajuste dos remédios
RIO BRILHANTE
Homem tenta agredir esposa por ela não ter dinheiro para comprar pinga
NEGOCIAÇÃO
Concessionária vai parcelar conta de energia em até 12 vezes
CORONAVÍRUS
Familiares de idosa que morreu em Dourados estão sendo monitorados
AVANÇO DO COVID-19
Brasil registra 42 novas mortes e chega a 201; casos confirmados são 5,7 mil
DOURADOS
STJ não vê risco a investigação e concede habeas corpus a ex-secretário
BRASIL
Receita libera entrada de 500 mil testes de Covid-19 em tempo recorde
MATO GROSSO DO SUL
Vítima fatal do coronavírus foi infectada por irmã que esteve na Bélgica
BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO
No dia da 1ª morte, MS tem mais quatro casos positivos de coronavírus

Mais Lidas

FRONTEIRA
Acidente na MS-164 em Ponta Porã leva pai e filho a óbito
DOURADOS
Homem entra em veículo e anuncia assalto com arma de brinquedo; vídeo
DOURADOS
Homem leva surra de populares e é detido por furtar dois veículos em Dourados
NOTA PREMIADA
Lista de ganhadores já está disponível para consulta