Menu
Busca terça, 07 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Os royalties, os prefeitos e a educação, por Dirceu Cardoso

11 março 2013 - 12h01


É meritória a Medida Provisória 592/12, que destina a totalidade dos royalties do petróleo para “programas e projetos direcionados ao desenvolvimento da educação”. A determinação é que esse dinheiro, seja acrescido aos respectivos 18% e 25% da arrecadação orçamentária que estados e municípios já são obrigados constitucionalmente a aplicar em educação. Deverá ser um bom aporte para garantir o pagamento do piso salarial aos professores e custear outras despesas de manutenção das escolas e serviços escolares. Mas, além de “carimbar” os royalties, o governo tem de se precaver contra velhos vícios.


Desde que as constituições passaram a destinar parte dos orçamentos para a educação e a saúde, são muitos os desmandos cometidos por administradores públicos. Prefeitos constroem prédios caros mas não os equiparam para cumprir sua finalidade. Outros acumulam as verbas e, no final do exercício, adquirem veículos, computadores, potentes aparelhos de ar-condicionado e outras quinquilharias que em boa parte das vezes apodrecem nos depósitos ou são utilizadas por outras áreas, em flagrantes desvio de finalidade. Pior fazem aqueles que compram mercadorias superfaturadas, simulam compras e cometem as mais diferentes fraudes para aplicar as verbas carimbadas. São inúmeros os casos de maus administradores processados por prestar contas ao Fundef com notas frias e, também, por adquirirem ou simularem a aquisição de mercadorias para a merenda escolar a preços superfaturados para, com isso, consumirem os recursos da educação. Isso sem falar de milhares e milhares de quilos de carne, macarrão, sardinha, temperos e outros gêneros alimentícios que as prefeituras têm descartado nos aterros sanitários, no mato e até nos rios, para encobrir as falhas cometidas pelos seus maus administradores.


Os desvios na merenda escolar, quando descobertos, provocam desgaste político aos errantes e, quando mais graves, resultam em processos judiciais. Mas, a permissividade da legislação oferece múltiplos recursos para que as condenações, quando existentes, sejam proteladas. Há casos, como, por exemplo, a compra de veículos e equipamentos que depois têm a finalidade desviada, nem chegam a sofrer questionamento. Mas, para fins oficiais, o dinheiro foi aplicado na educação (ou na saúde), livrando o administrador da desaprovação do Tribunal de Contas. Mas, quando o tribunal aconselha a rejeição, via-de-regra, a Câmara de Vereadores, não comprometida com suas finalidades, jocosamente, desconhece o parecer e, mesmo prejudicando o contribuinte, tudo continua como antes.


Se a presidenta Dilma e o ministro da Educação, Aloysio Marcadante, têm realmente a intenção de aplicar os royalties do petróleo em educação, precisam montar uma boa estrutura de fiscalização. Do contrário, os professores, molas mestras do sistema, continuarão mal pagos, as escolas sucateadas e os alunos sem a devida instrução...





Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) aspomilpm@terra.com.br

Deixe seu Comentário

Leia Também

ARTIGO
Tire suas dúvidas sobre o auxílio-emergencial
REGIÃO
PM apreende adolescentes de 14 anos envolvidos em homicídio
EM SÃO PAULO
Formada em Dourados, pesquisadora participa de estudo sobre o coronavírus em São Paulo
LEGISLATIVO
Por vídeoconferência, aplicação dos recursos do Fundersul é aprovada
VÉSPERA DE FERIADO
Prefeitura decreta ponto facultativo na quinta e coleta de lixo para na sexta
CAMPO GRANDE
Supeito de furto ateia fogo em celular durante abordagem policial
INFORME PUBLICITÁRIO
Como investidores douradenses podem proteger seu capital em todos os períodos
EMBOSCADA
Suspeito de homicídio teria convidado vítima para caçar tatu em sítio
NO VERMELHO
Déficit público deve caminhar para R$ 500 bilhões, diz secretário
CONTRA O COVID-19
Barreiras sanitárias abordam sete mil pessoas por dia em Mato Grosso do Sul

Mais Lidas

DOURADOS
Dois homens são executados por dupla de moto no Jardim Carisma
FLEXIBILIZAÇÃO
Com restrições, comércio volta a funcionar amanhã em Dourados
COVID-19
Estado tem mais três confirmações do novo coronavírus em 24 horas, todas no interior
DOURADOS
Polícia apura que filho matou pai a pauladas após agredir a mãe grávida