Menu
Busca sexta, 10 de abril de 2020
(67) 9860-3221

O Jornalista e suas novas facetas, por Henrique de Matos

05 dezembro 2012 - 16h15




Já há algum tempo, pode-se dizer que o jornalismo se encontra no meio de um furacão, entre as oportunidades e os desafios que a profissão faz face a revolução digital pela qual passamos.

Durante séculos, o jornalismo passeou por diversas mídias. Desde o seu surgimento, fruto da invenção da imprensa, com os primeiros jornais e revistas do século XVII, passando para o rádio e a televisão no século XX. A cada novo ciclo tecnológico, uma nova forma de lidar com a notícia e informar.

Contudo, na última década, com o boom da internet, as mídias, em vez de conviverem lado a lado, passaram a convergir-se. Gradativamente, texto, áudio e imagem foram ocupando a rede mundial de computadores. A nova mídia internet abraçou e engoliu todas as suas antecessoras, provocando mudanças profundas no meio jornalístico e cultural.

Em 2009, a circulação dos maiores jornais brasileiros recuou 7%, segundo o Instituto Verificador de Circulação, seguindo uma tendência mundial. Recentemente, a imprensa francesa noticiou que em 20 anos a circulação diária de jornais no país caiu pela metade. Brasil e EUA têm números semelhantes.

Nesse contexto, cabe a pergunta: qual é o futuro do jornalismo no século XXI? Felizmente, as crises também trazem oportunidades. Ao mesmo tempo em que a internet pode estar asfixiando os jornais, ela dá oportunidades para que novas figuras surjam. Afinal, nesses tempos, os jornalistas, mesmo aqueles situados no interior do país [como é o nosso caso aqui em Mato Grosso do Sul], não dependem mais de um veículo para divulgar as notícias. Na verdade, todos podem se tornar produtores e distribuidores de informação na internet.

A própria internet vem abraçando muitos jornalistas, que têm migrado dos jornais para os portais de notícia. Sua atuação é diferente: todos devem ser multimídia. O jornalista do século XXI deve saber produzir textos, gravar podcasts, fotografar e fazer vídeos. As pessoas têm mudado a maneira pela qual acessam as informações, por isso os profissionais das notícias também devem mudar a maneira com que a disponibilizam.

Se alguns pesquisadores acreditam que a maioria dos jornais impressos não sobreviverá por mais de 20 ou 30 anos, outros apontam que os jornais mudarão de característica, deixando de lado o texto informativo e assumindo um caráter mais interpretativo.

O certo é que o grande fiel da balança do jornalismo ? em qualquer época e mídia ? é e sempre foi o conteúdo. As pessoas podem até serem convencidas a visitarem um site, mas só voltarão a ele e só se tornarão frequentadores dele se este tiver algo a oferecer-lhes em termos de conteúdo. O mesmo mecanismo se aplica aos compradores de jornais e de revistas. Sob esse aspecto, o jornalismo permanece o mesmo.

O jornalismo passa por uma transição que ninguém sabe ao certo aonde chegará. No entanto, os jornalistas não podem esquecer que a divulgação da informação é o coração de sua profissão. Não importa em qual mídia. E por essa missão tão importante é que parabenizo todos os filiados do Sinjorgran por esses 23 anos de luta pela consolidação de nossa profissão. Sabemos que ainda há muito trabalho pela frente e muitos ideais a serem alcançados. No entanto, os primeiros passos estão sendo dado rumo à valorização do profissional e a consolidação da categoria!



(*)Jornalista e vice-presidente do Sinjorgran

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Mulher foi atacada com facão pelo filho sem motivo após ele beber
AGLOMERAÇÃO
Bolsonaro abraça pessoas e posa para fotos em padaria de Brasília
CAMPO GRANDE
Condenado a 13 anos, homem é preso sete anos depois do crime
UFGD
Inscrições para contratação de professor visitante vão até o dia 17
RIBAS DO RIO PARDO
Caseiro atira contra ‘invasores’ e descobre que eram parentes do patrão
SOLIDARIEDADE
Campanha do Agasalho Abevê espere arrecadar 38 mil peças de roupa
DOURADOS
Inova Unigran desenvolve protótipos de protetores faciais para doação
ESTALIONATO
Produtor rural perde cerca de R$ 123 mil em golpe de venda de gado
RURAL
MS deve registrar safra de 11 milhões de toneladas, maios da história
TRÊS LAGOAS
Motorista é preso após digirir bêbado por mais de 30 quilômetros

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma mais um caso de coronavírus e Estado chega a 89
COVID-19
Dos casos de coronavírus em Dourados, três estão curados e um internado
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo