Menu
Busca sexta, 10 de abril de 2020
(67) 9860-3221

Leia o artigo "Jornalismo é luta diária" por Karine Segatto

26 novembro 2012 - 13h06

Com tantas agressões contra jornalistas em 2012, difícil é manter vivo o Jornalismo. Em Mato Grosso do Sul, os assassinatos que envolveram jornalistas e proprietários de empresas de comunicação seguem acompanhados pela impunidade, enquanto o que se quer é a real causa dos crimes e o julgamento dos culpados.

No cotidiano, a violência assume várias formas. O jornalista sofre tentativas de constrangimento ao livre exercício da profissão de atores externos e internos. Em Dourados, até o sigilo da fonte, garantido pela Constituição de 1988, foi criticado por um servidor do MPF (Ministério Público Federal) em um infeliz episódio na semana passada. Já dentro das empresas, é freqüente a censura do conteúdo que envolve os anunciantes, a jornada desgastante e a necessidade de melhores condições de trabalho.
O jornalista não é dono da empresa, muitos empresários afirmam isso sempre, portanto, quanto maior a defesa de todos pela profissão, mais o jornalista será respeitado dentro e fora do veículo de comunicação.

Criado para promover o diálogo entre as várias versões de um fato, o Jornalismo deve ser defendido pelos próprios jornalistas e pelo público, que tem acesso a determinado acontecimento muitas vezes apenas através da imprensa. Por isso, fortalecer a profissão do jornalista é fortalecer a democracia.

Os jornalistas estão empenhados nesse intuito. Entre as ações está a criação do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran), em 09 de dezembro de 1989 e que completará 23 anos no próximo mês, com muitas demandas.

Contra a violência, queremos a aprovação da lei que federaliza os crimes contra jornalistas. Para combater a precarização, queremos uma nova regulamentação sobre a profissão e piso nacional de seis salários mínimos. Em busca de valorizar o jornalismo como profissão, defendemos a volta da exigência da formação superior, para que a definição de quem é ou não jornalista não fique restrita ao patrão.

Nosso esforço enquanto Sindicato é defender o livre exercício da profissão. Como o Sindicato não é feito por papéis e sim por pessoas, aproveitamos o aniversário que se aproxima para convidar mais jornalistas para essa jornada. Ao invés do que o Sindicato pode fazer por você, proponha o que você pode ser para o Sindicato, para o Jornalismo e para a sociedade.



Karine Segatto*

*Presidenta do Sinjorgran - Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Mulher foi atacada com facão pelo filho sem motivo após ele beber
AGLOMERAÇÃO
Bolsonaro abraça pessoas e posa para fotos em padaria de Brasília
CAMPO GRANDE
Condenado a 13 anos, homem é preso sete anos depois do crime
UFGD
Inscrições para contratação de professor visitante vão até o dia 17
RIBAS DO RIO PARDO
Caseiro atira contra ‘invasores’ e descobre que eram parentes do patrão
SOLIDARIEDADE
Campanha do Agasalho Abevê espere arrecadar 38 mil peças de roupa
DOURADOS
Inova Unigran desenvolve protótipos de protetores faciais para doação
ESTALIONATO
Produtor rural perde cerca de R$ 123 mil em golpe de venda de gado
RURAL
MS deve registrar safra de 11 milhões de toneladas, maios da história
TRÊS LAGOAS
Motorista é preso após digirir bêbado por mais de 30 quilômetros

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma mais um caso de coronavírus e Estado chega a 89
COVID-19
Dos casos de coronavírus em Dourados, três estão curados e um internado
DOURADOS
Mulher morta em acidente cursava pedagogia e terá corpo levado a Naviraí
DOURADOS
Dupla é presa acusada de tentativa de homicídio e fazer criança como escudo