Menu
Busca sábado, 08 de maio de 2021
(67) 99257-3397
EDUCAÇÃO

Escolas têm avanços e desafios nas condições de trabalho

Dados mostram conquistas recentes dos profissionais da educação e apontam aspectos a serem melhorados no cotidiano de trabalho de professores brasileiros

03 maio 2021 - 06h00Por gov.br

Aforça do trabalho na educação é ponto de partida para diversos avanços no setor. Pesquisas, avaliações e estudos realizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) mostram que o País tem motivos para celebrar o Dia do Trabalhador, neste sábado, 1º de maio, considerando os resultados obtidos e as tendências observadas ao longo dos últimos anos, mesmo com a necessidade de esforços contínuos para aperfeiçoamentos.

O volume 2 do Relatório Nacional da Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Talis) 2018, disponibilizado pelo Inep recentemente em seu portal, traz informações sobre os tipos de contrato de trabalho — o que retrata as condições de estabilidade dos professores na profissão — e aponta que o percentual de professores brasileiros dos anos finais do ensino fundamental com contrato por tempo indeterminado chega a 79%. O percentual do Brasil é próximo da Média Talis (80%) e supera os percentuais de todos os países/economias latino-americanos participantes da pesquisa: Chile (62%), México (72%), Cidade Autônoma de Buenos Aires (72%) e Colômbia (76%).

Quando o aspecto abordado é a satisfação em relação ao trabalho, em geral, os participantes da pesquisa demonstraram estar satisfeitos em exercer a profissão de professor. Entre os docentes dos anos finais do ensino fundamental, cerca de 65% dos brasileiros indicaram que as vantagens do ofício de educador superam as desvantagens. A percepção, no entanto, ainda está abaixo da média Talis 2018 (75%) e da média América Latina (74%).

Mudanças – Durante a realização da Talis 2018, os professores dos anos finais do ensino fundamental foram perguntados se gostariam de mudar para uma nova escola, caso fosse possível. Ao todo, 13% afirmaram que sim. O percentual é considerado positivo e está abaixo da média dos países participantes da Talis (21%), além de figurar como um dos mais baixos entre os países latino-americanos. Somente na Cidade Autônoma de Buenos Aires, foi constatado um percentual ainda menor (12%). Em países como Colômbia e Chile, o percentual é de 25%. Já no México, o índice foi de 27%.

Entre os professores brasileiros do ensino médio, a manifestação por uma possível mudança de local de trabalho também é considerada baixa. O percentual do Brasil (14%) se iguala ao da Dinamarca e ambos estão bem distantes de Taiwan, que apresentou o maior percentual de professores que mudariam de escola, caso fosse viável (42%).

Talis 2018 – O Brasil é um dos 48 países/economias que participaram da mais recente edição da Talis, realizada entre 2017 e 2018. No País, responderam à pesquisa 2.447 professores e 185 diretores de escolas dos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano), além de 2.828 docentes e 186 diretores de escolas do ensino médio, das redes pública e privada. Os resultados brasileiros da edição foram divulgados pelo Inep em duas etapas: o primeiro volume foi publicado em junho de 2019 e o segundo, em março de 2020.

Estatísticas – Dados do Censo Escolar 2020 também mostram que os docentes têm permanecido como professores da mesma escola por mais tempo. Segundo a pesquisa estatística, o Indicador de Regularidade do Docente (IRD), que avalia a permanência dos professores nas escolas nos últimos cinco anos, apresentou um avanço em relação a 2019. Vale pontuar que, quanto mais tempo o professor permanece no quadro funcional de uma instituição, melhor conhece a escola e mais contribui na relação com os alunos e com a comunidade atendida.

O percentual de escolas na faixa média-alta do indicador passou de 42,6% em 2019 para 45,8% em 2020. Também foi observado um aumento para a faixa alta do indicador, passando de 10,1%, em 2019, para 13,1%, em 2020.

Quando analisadas as escolas privadas na faixa alta do indicador, o percentual se mostra o maior em comparação com as outras redes. A regularidade dos docentes nas escolas particulares foi de 16%, em 2019, para 20,4%, em 2020. O percentual de escolas da rede pública na faixa alta do IRD passou de 8,6% para 11,3%.

 

Leia Também

Técnico Enderson Moreira é internado em MG após princípio de infarto
GERAL
Técnico Enderson Moreira é internado em MG após princípio de infarto
PANDEMIA
Como fazer suas compras de mantimentos de forma segura
PANDEMIA
Covid-19: o que fazer com as compras quando chegar em casa
CPI
CPI mira vacinas em audiências com Anvisa e Pfizer
Comissão debate representatividade política das pessoas com deficiência
DIREITOS HUMANOS
Comissão debate representatividade política das pessoas com deficiência
POLÍTICA
Pauta do Plenário tem três MPs, Loteria da Saúde e proibição de reajuste de medicamentos
SAÚDE
Pesquisa mostra aprofundamento de desigualdades na infância
GERAL
Explosão de gás destrói restaurante em Belém
ASTRAZENECA
Ministério da Saúde anuncia distribuição de doses para próxima segunda
POLÍTICA
Secretaria da Mulher debate situação das domésticas na pandemia

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher presa com armas, drogas e veículos mantinha relacionamento com interno da PED
JÓQUEI CLUBE
Jovem é presa em Dourados com armamento de uso restrito, drogas e veículo clonado
DOURADOS
Carga de tijolos cai de caminhão em rotatória na Coronel Ponciano; veja vídeo
BR-163
Colisão entre viatura e carreta termina com policial ferido