Menu
Busca segunda, 06 de abril de 2020
(67) 9860-3221
COMER BEM

Sopa? Sim, Paraguaia! Saiba a história dessa iguaria tão amada pelos sul-mato-grossenses que faz parte do cardápio da Casa de Vó

17 março 2020 - 09h06Por Casa de Vó

Os historiadores afirmam que tudo começou com Don Carlos Antonio Lopes, que foi presidente do Paraguai entre o período de 1841 a 1862 e que gostava muito da chamada sopa branca ou “Tykueti”. Em um determinado dia o cozinheiro acabou adicionando à sopa branca mais farinha de milho do que o usual, e a deixou cozinhando dentro do forno, assim o “Tykueti” acabou passando de liquido a sólido.

Quando experimentou o resultado do erro na receita batizou a nova iguaria de Sopa Paraguaia. Outra versão diz que, originalmente, era uma sopa comum que os soldados paraguaios levavam para o campo de batalha durante a guerra do Paraguai entre 1864 e 1870. Mas como era difícil transportar o liquido nos campos, outros ingredientes foram sendo incorporados e a deixando ainda mais sólida e tomando a consistência atual. 

Mas o que importa mesmo é que o prato fez tanto sucesso com a população que rapidamente passou a fazer parte das tradições populares paraguaias, basicamente à sopa paraguaia é um bolo salgado a base de milho, queijo, ovos e cebola, muito consumido no país de origem. Por causa da fronteira seca e forte intercâmbio cultural entre Mato Grosso do Sul e Paraguai, não foi difícil que o alimento ficasse popular também no estado brasileiro. 

Pensando nisso a Casa de Vó faz diariamente esse delicioso bolo salgado, mais conhecido como Sopa Paraguaia, mantendo sua receita original mudando apenas a forma da cebola, está vai à receita bem picadinha para não incomodar aqueles que não a apreciam, podendo ser consumido sem ser percebida, mantendo o sabor tradicional e irresistível da Sopa Paraguaia.

O quitute é vendido em porções para ser consumido no local ou podendo ser levado para casa ou ate mesmo feito por encomenda para eventos e coffee Break. Segundo a Sócia proprietária Daniely Ap. Sotolani a Sopa Paraguaia vem conquistando muitos clientes, principalmente os que buscam no quitute a lembrança da infância, “muitos clientes quando ficam sabendo que fazemos a Sopa Paraguaia logo falam, preciso experimentar para saber se parece com a que minha avó fazia, e logo confirmam o sabor inesquecível da infância”.  

Mesmo para quem come a sopa paraguaia pela primeira vez, o nome causa muito estranhamento justamente por causa da consistência. Mas logo o estranhamento abre lugar para a apreciação, e conquista quem quer que prove. Por isso vale a pena dar uma passadinha na Casa de Vó para experimentar essa deliciosa tradição Paraguaia.  

Esta achando que é só isso? Tem muito mais. Alternativas como Salgados, pães caseiros e integrais, tapiocas e sucos naturais também estão disponíveis. Para ter acesso ao cardápio completo de opções procure Casa de Vó na Rua Ciro Melo, nº 2474 – Vila Planalto, ou ligue no 67 99907-2302
 

Leia Também

BRASIL
GM propõe redução de salários em São José dos Campos
DOURADOS
Dois homens são executados por dupla de moto no Jardim Carisma
ESTADO
Justiça Eleitoral dá início às sessões de julgamento por videoconferência
ESPORTES
Saiba como se exercitar em casa durante a quarentena
RESTRIÇÕES
Comércio da capital volta a funcionar na segunda-feira
BRASIL
Rio terá turnos de trabalho para não lotar transporte público
PREVENÇÃO
Direção Viva alerta sobre importância de higienizar veículos automotores como prevenção contra o Coronavírus
STF
Ministro julga inviável ação do PDT contra suspensão de prazos do Enem 2020
CULTURA
CCBB Educativo disponibiliza acervo digital de arte-educação
BRASIL
Combate à pandemia mobiliza voluntários em diversas frentes

Mais Lidas

CORONAVÍRUS
Dourados registra mais dois casos de Covid-19 e MS tem 60 confirmações
ISOLAMENTO
Em 24 horas, apenas uma cidade de MS aparece vermelha no monitoramento do Governo
CORONAVÍRUS
Durante fiscalização, Guarda prende nove pessoas e notifica 60 comércios em Dourados
SUMIÇO
Família procura por jovem que está desaparecida desde a última quarta-feira