Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
(67) 99659-5905
Arquiteto Leandro Amaral

Planejamento da obra: como fazer

20 maio 2020 - 06h00Por Arquiteto Leandro Amaral

Para evitar perdas, desperdícios e atrasos, existem alguns pontos que não podem faltar em qualquer planejamento de obra, são eles:

1. Organização das atividades e serviços – Essa é a primeira fase. Aqui você precisa definir o método construtivo e todo o cronograma da obra. É a hora de definir e sequenciar as etapas e tarefas. É importante também, definir o dia que cada serviço deve ser executado e o tempo que cada um leva para ser finalizado.

2. Dependência entre serviços – Ao definir o dia de execução de cada atividade e o tempo que cada uma leva, é importante pensar na sequência delas. Para isso basta pensar quem vem antes de quem, é só analisar cada atividade e criar uma sequência.

Esta fase precisa ser definida junto da equipe de obra para terem uma estratégia bem definida sobre a lógica construtiva. Com isso, uma atividade só por ser iniciada quando sua predecessora for concluída.

Claro que, esse tipo de dependência tem um ponto negativo, pois caso alguma etapa falhe, há chances de que todo um setor de obra atrase.

Por isso é necessário ter conhecimento sobre metodologia da obra para conseguir organizar as atividades que estão interligadas, mas tentar evitar organizar atividades que tenham total dependência de outras.

3. Levantamento das quantidades – Com a etapa anterior concluída, é hora de fazer o levantamento da quantidade de cada serviço, ou seja, é a base para outros orçamentos como o de materiais, mão de obra e dimensionamento de equipes e equipamentos.

No caso de uma nova construção, este levantamento pode ser feito diretamente pelo projeto arquitetônico. É uma etapa que exige muita atenção e não deve ter erros.

4. Custos diretos – Esta parte serve para ter uma estimativa de custo de mão de obra, materiais, equipamentos, entre outros. Para calcular basta multiplicar as quantidades de serviço pelos seus custos unitários.

5. Cronograma físico – Este cronograma, composto pelo sequenciamento, baseado nas datas de início e fim de cada etapa. Nele deve ser definida a estimativa de tempo que cada atividade leva para ser finalizada.

É importante lembrar que imprevistos acontecem e em uma construção eles são quase inevitáveis. Um cronograma perfeito auxilia para que haja poucos problemas, mas não exclui eles. Por isso é sempre bom ter uma folga no cronograma já prevendo alguns atrasos.

6. Cronograma financeiro – Este cronograma é elaborado em função do cronograma físico e da disponibilidade financeira do cliente ou empresa. É importante sempre ter uma folga no orçamento, ou seja, nunca usar todo o valor disponível, pois podem haver imprevistos que encarecem a obra e com essa folga é possível resolvê-los sem estourar muito o orçamento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AJUDA DE 600 REAIS
2,7 milhões podem sacar hoje mais uma parcela do auxílio emergencial
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL
Prático, o wrap, sanduíche enrolado do Mr. Fit oferece diversas opções como integrais sem glúten e até mesmo veganas!
INFORME PUBLICITÁRIO
Parceria entre as borrachas Vipal e Ruzi garante a qualidade dos serviços na União Pneus
SORTE
Aposta feita pela internet leva prêmio de R$ 45 milhões da Mega-Sena
ARQUITETURA & DESING
Projetos Corporativos, a importância das Fachadas
INFORME PUBLICITÁRIO
Vestibular Online Faculdade Anhanguera de Dourados
SOLIDARIEDADE
TJ/MS inicia a Campanha do Agasalho 2020 em 27 municípios do Estado
BRASIL
Petrobras reajusta em 5% o preço do gás de cozinha
AVANÇO DA PANDEMIA
Brasil registra 1.349 mortes por coronavírus e bate novo recorde
PEDRO JUAN
Polícia encontra caminhonete de idoso desaparecido na fronteira

Mais Lidas

EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Novo epicentro, Dourados é a cidade com mais casos de coronavírus em MS
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
TRÁFICO DE DROGAS
Casal é preso após entreposto da droga ser fechado em Dourados