Menu
Busca quarta, 01 de abril de 2020
(67) 9860-3221
Agronegócio

Coronavirús afeta agronegócio no MS

18 março 2020 - 12h32Por ruralnewsms.com.br

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ( OCDE ) reduziu a previsão de crescimento da economia mundial para 2020, passando a projetar um crescimento de 2,4 %, menor expansão desde 2009. A desaceleração da economia chinesa exige do Brasil e de Mato Grosso do Sul atenção em relação à diminuição da demanda pelas principais commodities brasileiras e da produção industrial. A China é a maior exportadora e a segunda maior importadora do mundo. No ano passado, o país asiático foi destino de 42,9 % das exportações do agronegócio de Mato Grosso do Sul, especialmente produtos florestais, complexo de soja e carnes.

O consultor em comércio exterior Aldo Barigosse explica que a China é a maior propulsora em termos econômicos e que a mudança na demanda do país afeta Mato Grosso do Sul. “ Se um grande comprador como a China reduz a compra dos nossos insumos, que eles usam nas indústrias deles, isso afeta o preço mundialmente, o produtor vendendo menos vai produzir menos e empregar menos, e toda a cadeia no que se refere à soja vai render menos”, explica Aldo.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul ( Famasul ), Mauricio Saito, “ainda não se pode mensurar os demais impactos econômicos nas atividades econômicas envolvendo serviços, comércio e indústria. O Sistema Famasul segue monitorando os possíveis impactos econômicos e analisando os dados oficiais das exportações do mercado de MS ”, afirmou Saito.

O secretário – adjunto da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar ( Semagro ), Ricardo Senna, acredita que o Estado vai se recuperar deste momento. A produção de grãos de MS será recorde. Em fevereiro de 2020, Mato Grosso do Sul exportou 40,2 mil de toneladas de soja em grãos, retração de 78,91 % em relação a 2019. As receitas totalizaram US $ 16 milhões, retração de 79,60 % em relação a fevereiro de 2019. Mais do que a escassez de insumos da indústria, o principal impacto de uma crise mais longa provocada pelo coronavírus para o Brasil deve ser na balança comercial.

A economista do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio ( IPF – MS ), Daniela Dias, destaca que o coronavírus já tem influenciado na balança comercial. “ O País demanda muitos produtos industrializados da China, somos grandes consumidores dos produtos.

Segundo o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul ( Fiems ), Sérgio Longen, o Brasil registra abalos diretamente no câmbio e, por consequência, na vida econômica do País. A China tem diminuído a produção industrial sistematicamente e, como hoje atende grande parte da produção mundial, acaba refletindo na economia de diversos países. “ Embora o novo coronavírus seja a grande preocupação.

Fonte: Rural News 

Leia Também

CORONAVÍRUS
Reinaldo Azambuja faz apelo para as pessoas ficarem em casa
CAMPO GRANDE
Operação mira práticas de preços abusivos de produtos
EDUCAÇÃO
Ano letivo poderá ter menos de 200 dias
MATO GROSSO DO SUL
Aumento de área faz safra de soja chegar a 11,3 milhões de toneladas
NEGÓCIOS & CIA
Jackeline dos Reis apresenta o Colágeno da Jeunese
REGIÃO
Três Lagoas registra primeiro caso de coronavírus; paciente está internado
FCO
Banco prorroga prazo para pagar parcelas de financiamento empresarial
ECONOMIA
Governo anuncia R$ 200 bilhões para socorrer trabalhadores e empresas
CRIME AMBIENTAL
Pescadores abandonam armas de fogo e fogem da PMA na Capital
CORONAVÍRUS
Pacientes com sintomas muito brandos liberam vírus em grande quantidade, diz estudo

Mais Lidas

REGIÃO
Ex-assessor de Mandetta é encontrado morto em apartamento na Capital
COVID-19
Primeiro óbito por coronavírus do Estado é registrado em Dourados
DOURADOS
Homem leva surra de populares e é detido por furtar dois veículos em Dourados
COVID-19
MS tem oito confirmações de coronavírus em 24h e suspeitos chegam a 51