Menu
Busca sábado, 28 de março de 2020
(67) 9860-3221

Rede Cegonha leva gestantes para conhecer maternidade no HU/UFGD

29 janeiro 2013 - 12h32





No ano passado, o Hospital Universitário da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) iniciou um trabalho de integração das gestantes com o ambiente hospitalar a partir de visitas à maternidade, antes do trabalho de parto. A iniciativa, feita em parceria com a Secretaria de Saúde, é uma estratégia de implantação da Rede Cegonha com o objetivo de integrar os níveis de atenção hospitalar, garantir a vinculação da gestante ao serviço que atenderá ao parto, acolhimento imediato da gestante, puérperas e bebês e, ainda, evitar a peregrinação em busca de assistência.

As visitas começaram em 2012 e devem continuar no decorrer deste ano, sempre com agendamento nas unidades de saúde onde as gestantes realizam o pré-natal. As visitas são feitas semanalmente, sendo que cada gestante tem direito de levar um acompanhante.

Podem participar das visitas as gestantes que estiverem no último trimestre de gestação, a partir de 34 semanas. As interessadas devem procurar a unidade de saúde onde realizam o pré-natal ou, no caso de gestação de alto-risco, procurar informações no CAM (Centro de Atendimento à Mulher).

O acolhimento das gestantes já é uma das ações da Rede Cegonha, que tem como objetivo promover a vinculação da gestante com a maternidade onde irá ocorrer o parto. “Este vínculo deixa a gestante mais segura e confiante com relação ao ambiente do parto”, explica a fisioterapeuta Ângela Rios, coordenadora da equipe multidisciplinar do HU/UFGD.

A maternidade do HU/UFGD é a única do município, e também a única a dispor de equipe obstétrica. Outros fatores também garantem um atendimento diferenciado, como ambiente adequado para pré-parto e espaço para a gestante se exercitar antes do parto. A maternidade do HU/UFGD também oferece teste da orelhinha e orientações sobre aleitamento materno.

No HU/UFGD, o bebê permanece o tempo todo no quarto da mãe, que tem direito a acompanhante durante todo o tempo de internação. A estrutura de atenção materno-infantil também inclui Banco de Leite, UTI neonatal e UCI (Unidade de Cuidados Intermediários).

Estrutura da maternidade

Ao chegar à maternidade, uma equipe de profissionais do HU/UFGD recebe as gestantes, iniciando a visita pelo Pronto Atendimento da Maternidade, onde as pacientes que necessitam de atendimento são avaliadas por enfermeiros para a Classificação de Risco e encaminhadas para internação, tratamento ou contra-referência para a unidade de saúde.

Em seguida, as gestantes reconhecem os quartos de internação clínica e de alojamento conjunto, onde ficam internadas as mães com seus bebês e acompanhantes, e recebem orientações de cuidados com o recém-nascido, aleitamento materno, Teste da Orelhinha e visita do Banco de Leite. O período de internação no alojamento conjunto é de 24 horas para partos normais e 48 horas em caso de cesariana, desde que não haja intercorrências.

A visita segue para o Centro Obstétrico, ambiente onde ficam internadas as mulheres em trabalho de parto até a recuperação pós-parto. Com a assistência da fisioterapeuta e da equipe de enfermagem, as gestantes e seus acompanhantes são orientadas a fazerem exercícios, além de caminhada, banho, massagem e outras técnicas que favorecem o bom desenvolvimento do trabalho de parto, controle da dor e o vínculo familiar. Neste ambiente as gestantes em trabalho de parto recebem todas as refeições e são estimuladas a ingerir líquidos para manter a hidratação.

Durante a visita, as gestantes e acompanhantes têm um momento de conversa com a equipe, onde esclarecem dúvidas, compartilham suas experiências e medos e recebem orientações sobre os sinais de trabalho de parto, quando procurar o hospital, o papel do acompanhante, o que trazer na mala e os documentos necessários para internação.

Finalmente a visita chega aos setores de Unidade de Cuidados Intermediários e Unidade de Terapia Intensiva Neonatal sabendo que, em caso de necessidade, os bebês irão receber todos os cuidados para que tenham as melhores chances de viver, mamar ao seio e crescerem saudáveis.

Todas as gestantes de Dourados podem conhecer o Hospital Universitário, devendo apenas agendar a visita na unidade de saúde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Laboratório descarta morte por coronavírus em Brasília
MS
Pico das notificações que testaram positivo para o novo coronavírus foi em 19 de março
COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
BRASIL
BC poderá pedir justificativa se bancos negarem crédito
NEGÓCIOS & CIA
Coronavírus: 8 dicas para usar o marketing digital a favor da sua empresa
PANDEMIA
Combate ao coronavírus poderá ter R$ 2 bilhões do Fundo Eleitoral
COVID-19
Consumo frequente de bebidas alcoólicas durante isolamento pode piorar sintomas da ansiedade e da depressão
SUSPENSÃO
STF autoriza Mato Grosso do Sul a usar parcelas da dívida com a União contra o Covid-19
DOURADOS
Jovem tem moto furtada em frente a residencial na Rua Manoel Santiago
COVID-19
Médico reforça que Dourados ainda não tem caso nativo do novo coronavírus

Mais Lidas

COVID-19
Saúde confirma coronavírus para mulher internada em Dourados e casos chegam a 28 em MS
PANDEMIA
Bebê de três meses é novo caso confirmado de coronavírus em MS
DOURADOS
Sindicato emite nota e diz que empregados foram obrigados a participar de ato
BATAYPORÃ
Paciente com suspeita de coronavírus é internada em estado grave em Dourados