Menu
Busca segunda, 20 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
DOURADOS

Protocolo para suspeita de Ebola é estabelecido

25 agosto 2014 - 16h00

A prefeitura de Dourados através do Departamento de Vigilância em Saúde estabeleceu um protocolo para atendimento pela rede de saúde pública e particular aos casos suspeitos de doença pelo vírus Ebola. As medidas são de prevenção e controle para que os órgãos tenham o direcionamento sobre como agir nesta situação.

Conforme estabelece o documento, o serviço de saúde público ou privado que atender um caso suspeito de Ebola deve adotar primeiramente procedimentos de biossegurança, notificar imediatamente a autoridade de saúde local e acionar o Samu(Serviço Móvel de Urgência) 192 que, por sua vez, realizará o transporte do paciente para a área de isolamento do Hospital de Referência.

No caso de Dourados, a unidade referência estabelecida é o HU/UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados). O hospital terá o papel de orientar pacientes e acompanhantes sobre os procedimentos que serão adotados e internar a pessoa com suspeita de Ebola em isolamento num quarto privativo com banheiro. O HU ainda deve realizar a coleta de material para diagnóstico laboratorial e exames complementares. Todos os profissionais envolvidos devem usar equipamentos de proteção.

A partir do momento em que o paciente é encaminhado para o HU, o órgão de Vigilância Epidemiológica da prefeitura passará a assumir o caso junto com o corpo clínico do hospital. O órgão de vigilância ainda fará o monitoramento dos contactantes (indivíduos que tiveram contato com a pessoa contaminada pelo vírus de tal forma que exista possibilidade de terem o contraído).

Todos os locais de atendimento de saúde, especialmente hospitais, clínicas, consultórios, laboratórios, serviços de atendimento de urgência e emergência, e unidades de saúde da atenção básica, devem observar rigorosamente as orientações estabelecidas em protocolo. Ainda há procedimentos específicos para as empresas de transporte aéreo e terrestre.

“É importante ressaltar sempre que não temos qualquer caso suspeito de doença pelo vírus Ebola identificado no Brasil até o momento. O que estamos adotando é uma medida de prevenção e controle para o caso de aparecer uma pessoa com suspeita, todos os órgãos estejam preparados e saibam como agir”, esclareceu o gerente de Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Dourados, Devanildo de Souza Santos.

Outros municípios de Mato Grosso do Sul, seguindo diretrizes acordadas com a Secretaria de Estado de Saúde e o Ministério da Saúde, também estabeleceram seus protocolos próprios. A preocupação é com a extensa região de fronteira do Brasil com o Paraguai e Bolívia que existe no Estado, com intenso fluxo de pessoas, inclusive estrangeiras.

Ebola - A doença pelo vírus Ebola é considerada grave e geralmente leva o paciente a óbito. É transmitida por relação sexual ou por contato direto por sangue ou outros fluidos corporais (saliva, urina, fezes) de pessoas contaminadas, mortas ou vivas. Também pode ser contraída por contato direto com sangue ou outros fluidos corporais de animais selvagens, mortos ou vivos, como macacos e morcegos. Não é transmitido pelo ar.

O período de incubação do vírus pode variar entre um e 21 dias. Após esta etapa, começam a aparecer sinais e sintomas da doença. O paciente apresenta subitamente febre, dores musculares, debilidade, dor de cabeça e de garganta. Na fase seguinte, o doente passa a apresentar vômitos, diarreias, manchas na pele, insuficiência hepática e renal. Várias pessoas passam a apresentar concomitantemente hemorragias internas e externas abundantes e insuficiência em outros órgãos onde 68% evoluem para óbito, segundo informações do Ministério da Saúde.

O diagnóstico é realizado através de exames sorológicos e de isolamento viral com o paciente em vida. Em caso de óbitos deve-se realizar necropsia e colher amostra do fígado. Quando não houver a possibilidade de necropsia, é realizada coleta por agulha de biópsia. Não existe tratamento específico para o Ebola. Os casos devem ser acompanhados com tratamento dos sintomas apresentados.

Serviço - A notificação do caso suspeito à autoridade de saúde deve ser feito pelo profissional de saúde ou serviço que prestar o primeiro atendimento ao paciente, o mais rápido possível. Os telefones para contato são 8468-8078 ou 3424-8167 preferencialmente, ou o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde pelo e-mail: cievs.ms@hotmail.com ou telefones 8457-4422 ou 0800.647.1650.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Casal é flagrado com veículo carregado com drogas na MS-289
REGIÃO
Casal é flagrado com veículo carregado com drogas na MS-289
Dupla é presa em flagrante com drogas e dinheiro
REGIÃO
Dupla é presa em flagrante com drogas e dinheiro
Homem perseguia comerciante há meses e foi preso em Brasilândia
CRIME
Homem perseguia comerciante há meses e foi preso em Brasilândia
Com previsão de 43°C, Dourados tem alerta de onda de calor e de baixa umidade
TEMPO
Com previsão de 43°C, Dourados tem alerta de onda de calor e de baixa umidade
CASSILÂNDIA
Após sair da prisão, homem mantém ex-mulher em cárcere por seis dias
BRASIL
Decreto regulamenta reconhecimento de dívidas da União junto à Caixa
REGIÃO
Mulher apanha, é forçada a ir em festa e homem vai preso
HOMENAGEM
Sessão solene da Câmara de Dourados celebra o Dia do Povo Gaúcho no CTG
CRIME DE ABANDONO
Cinco cães são resgatados em situação de maus-tratos na capital
ETAPA CORUMBÁ
Jardim e Nioaque são campeões da Região Oeste da Liga MS de Voleibol

Mais Lidas

'AMIGÃO'
Bêbado bate carro e deixa amigo ferido em canteiro
EVENTO CLANDESTINO
PM encerra festa com pelo menos 2 mil pessoas em Dourados
POLO INDUSTRIAL
Expansão industrial impulsiona investimentos logísticos em Dourados
LOTERIA
Douradense fatura R$ 31 mil ao acertar na quina