Menu
Busca quinta, 16 de setembro de 2021
(67) 99257-3397
DOURADOS

Professores em greve fazem passeata no centro

18 julho 2014 - 18h15

Eduarda Rosa

Em continuação a greve, os educadores do município se reuniram na Praça Antônio João e seguiram em passeata pela Avenida Marcelino Pires, no fim da tarde desta sexta-feira (18).

Segundo a vice-presidente do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação), Gleice Jane Barbosa, a categoria está em greve, pois não teve nenhuma reunião com o prefeito até agora.

“Existe uma confusão muito grande, o governo tem ido para as rádios dizer que as aulas estão acontecendo, também muita pressão em cima dos convocados, exigindo que eles fiquem nas escolas, mas as aulas não estão acontecendo. A gente sabe de muitos contratados cumprindo horário, com medo de ser mandado embora, contudo, não está tendo aula”, afirmou a vice-presidente.

Gleice ainda disse que o que se agravou foi que os professores convocados não foram contemplados pelo reajuste.

O professor Odilar Cescon, que atua há 20 anos ministrando aulas de geografia, disse que a greve é a última “arma” que a classe tem para conseguir os direitos garantidos por lei, “não é aumento de salário é apenas uma reposição da inflação, mas a nossa luta não é só pela reposição salarial, é também pelo plano de carreiras, implantação do piso para 20 horas. A questão salarial não é o foco da nossa luta, porque é de lei isso”.

A categoria tem uma assembleia marcada para a manhã de segunda-feira (21).


GREVE

A greve acontece porque o Simted de Dourados reivindica junto ao governo municipal o cumprimento do acordo de negociação salarial realizada em abril deste ano do quadro administrativo e do magistério, cumprimento da lei nacional do piso de 20 horas para o magistério, abertura de concurso público, alteração na lei de readaptação que prejudica os vencimentos dos trabalhadores readaptados, inclusão dos servidores administrativos no Plano de Cargos e Carreiras da Educação e garantir o direito de aposentadoria especial para coordenadores das escolas.

Já a Semed propôs aos professores que o que é possível neste momento, devido à crise financeira que atinge o município, conceder o reajuste de 8,32% para professores e de 6,15% para os administrativos a partir de julho, retroativo a abril, como determina lei.

O reajuste do período seria concedido em três parcelas, junto com o salário já corrigido em julho. Já com relação ao piso, a Semed alega que a reivindicação representa dobrar o valor pago em folha atualmente e isso demanda um grande volume de recursos. Ainda conforme a secretaria, a proposta neste aspecto é que até outubro deste ano seja apresentado ao Simted um estudo de como conceder o piso da forma como o sindicato reivindica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Enquanto mãe trabalhava, avô estuprava menina de quatro anos
Inscrições para 8ª Mostra Audiovisual de Dourados seguem até dia 29
PRAZO
Inscrições para 8ª Mostra Audiovisual de Dourados seguem até dia 29
Homem é preso na Vila Popular acusado de tráfico e porte ilegal
DOURADOS
Homem é preso na Vila Popular acusado de tráfico e porte ilegal
JUSTIÇA
Quatro anos depois, homem é condenado pela morte do cunhado
ECONOMIA
Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança
SÃO PAULO
Fiscalização encontra 30 quilos de cocaína em tanque de combustíveis
BRASIL
Mesa da Câmara confirma cassação do deputado Boca Aberta
CRIME AMBIENTAL
Ambiental surpreende infratores pescando na Cachoeira do Apa 
PUBLICAÇÃO
Prazo para envio de trabalhos da Revista da PGE termina amanhã
Acusado de assassinato, homem é flagrado levando foragido ao Paraguai

Mais Lidas

DOURADOS
Após denúncias, casal é preso por tráfico no Jardim Guaicurus
TRAGÉDIA EM SP
Sócio de usina em MS e mais 6 pessoas morrem em acidente com aeronave
DOURADOS
Embriagado, dono de bar agride e ameaça funcionária
DOURADOS
Para desafogar 'avenida da morte', obra em trevo da BR-163 começa no próximo mês