Menu
Busca segunda, 06 de julho de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Produtores de Dourados conseguem salvar lavouras durante geadas no final de semana

A estratégia usada foi não molhar o cultivo, o que evitou a queima de vegetais e hortaliças

08 julho 2019 - 11h42Por Vinicios Araújo

Pequenos produtores douradenses conseguiram salvar as lavouras durante a geada que atingiu a cidade neste final de semana. Com temperatura mínima de 0,9°C no sábado (6) e no domingo (7), a estratégia para não queimar os vegetais e folhas foi não molhar o cultivo coberto pelo gelo.

A horta do produtor Odair Pinto, 70, localizada nas proximidades do Parque Rego d’Água, permaneceu resistente e não contabilizou prejuízos. Ao Dourados News ele disse que a friaca contribuiu para o combate aos pesticidas e economia com agroquímicos. 

Cultivando hortaliças há 25 anos, o douradense afirma que para prejudicar a folha é preciso que as temperaturas sejam mais rigorosas, com registros negativos. 

Ele relembrou que no primeiro ano de trabalho, ouviu conselhos de que para evitar prejuízos era preciso molhar o cultivo. O resultado foi completamente negativo e ele acabou perdendo toda a lavoura. De lá pra cá nunca mais aguou o plantio durante geadas, deixando que o gelo fino evapore naturalmente com o sol.

“Meu filho também tem uma lavoura e durante a geada levantou 3h para regar o plantio dele lá. De manhã as abóboras dele ficaram tudo queimadas. Eu tive prejuízo uma vez só e foi porque joguei água. Hoje não faço mais não. E até é bom porque mata os insetos”, disse. 

A mesma coisa fez Valdeir Campos, produtor no Parque das Nações I. À reportagem ele contou que não molha a lavoura de 2,5 hectares durante a geada e no dia seguinte. Ele garante que essa estratégia é a melhor maneira de salvar a lavoura dos impactos do frio intenso. 

Por lá, hortaliças como alface ficaram completamente congeladas. Em vídeo registrado na manhã de ontem (7) ele mostra a folha coberta pelos cristais de gelo. (Confira ao final da matéria)

Prejuízo

Apesar disso, teve também quem acabou prejudicado pelo frio. O produtor Ivanderson Martins perdeu uma plantação de banana, parte do cultivo de milho e uma porção pequena de pimentões. 

Ele tem propriedade aos fundos do aeroporto regional Francisco de Matos Pereira e contou que buscou proteger a lavoura com telas e produtos biológicos (adubo foliar). 

“Na primeira geada o adubo até segurou o gelo, mas na segunda não deu conta. Queimou um bananal, um pouco dos pimentões e do milho”, disse.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Juiz mantém decisão para júri de jovem por homicídio, ocultação e destruição de cadáver
ISOLAMENTO
Melhor colocado no índice de isolamento social, Japorã confirma o primeiro caso de coronavírus
CAMPO GRANDE
Escola deve indenizar vizinhos por poluição sonora
DOURADOS
Acusado de matar secretário pode ter tido surto de esquizofrenia
COVID-19
Em MS, quase 70% dos infectados por coronavírus já estão recuperados
SAÚDE PÚBLICA
Estado tem semana com 475 hospitalizados por síndrome respiratória aguda grave
MATO GROSSO DO SUL
Governo abre processo seletivo para contratação de epidemiologista e médico
MORTE DE INFARTO
Maia cancela sessão por causa da morte do deputado Assis Carvalho
BR-163
Casal que morreu ao bater em carreta morava em Campo Grande
PANDEMIA
Com mais de 10,2 mil casos, MS soma 122 óbitos por coronavírus

Mais Lidas

POLÍCIA
Assassinado no Izidro é secretário de Agricultura Familiar de Dourados
DOURADOS
Ex-funcionário é o suspeito de matar secretário de Agricultura
DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
“Um amigo, um conselheiro”, diz Délia após assassinato de secretário