Menu
Busca segunda, 18 de outubro de 2021
(67) 99257-3397
DOURADOS

Prefeitura alega limitação financeira e crise pela Covid para não convocar remanescentes da Guarda

29 setembro 2020 - 15h23Por Wender Carbonari

Em resposta a ação civil pública movida pelo MPE (Ministério Público Estadual) de Mato Grosso do Sul, a prefeitura de Dourados considerou “absolutamente improcedentes”, os pedidos de nomeação de novos servidores, remanescentes de concurso para GMD (Guarda Municipal de Dourados) do concurso realizado em 2016. 

Limitação orçamentária e crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) estão entre as principais justificativas elencadas na contestação.  

O documento assinado pelo procurador do município, Renato Queiroz Coelho e datado de 25 de setembro de 2020, traz ponderações contrapondo argumentos apresentados pela promotoria à 6ª Vara cível de Dourados. O MPE solicita a convocação de pelo menos 12 remanescentes, com o intuito de atingir efetivo de 200 guardas na cidade.  

De acordo com estimativas previstas na Lei Federal n° 13.022/2014, feitas com base na densidade populacional de cada município, Dourados deveria ter pelo menos 273 guardas municipais, porém conta atualmente com 188. 

Como resposta, a prefeitura de Dourados afirma já ter convocado os servidores "com melhores colocações", sendo todas as vagas disponíveis sendo ocupadas. Para o executivo, impor ao município a contratação de mais guardas pode ser entendido como uma violação a “independência e harmonia entre os poderes”. 

Além disso, inviabilidade financeira das nomeações requeridas também foi colocada em evidência, chamando a atenção também para os problemas econômicos gerados pela pandemia do coronavírus. 

“É de conhecimento público a crise decorrente da pandemia causada pela Covid-19 neste ano de 2020, agravando essa já conhecida grave situação econômica, em razão da severa limitação na circulação de bens e serviços, causando redução na arrecadação pública neste ano de 2020 com evidentes negativos reflexos para o ano de 2021”, diz o documento. 

A resposta aos requerimentos incluídos na ação civil pública foi encaminhada à Justiça. 

PROCESSO

No dia 24 de abril de 2020, uma petição foi assinada pelo promotor de Justiça Ricardo Rotunno em ação civil pública protocolizada na 6ª Vara Cível de Dourados pedindo a convocação de remanescentes aprovados no concurso da GMD.

Mais recentemente, no dia 10 de agosto de 2020, o juiz José Domingues Filho, da 6ª Vara Cível de Dourados, indeferiu a tutela de urgência apresentada pelo MPE que obrigava a prefeita Délia Razuk (sem partido) a convocar os concursados. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Ao ser abordado, homem diz passar fome e que precisa ser preso
BRASIL
PGR pede ao STF para aprofundar investigação contra Renan Calheiros
Bombeiros encerram buscas por idoso desaparecido há 11 dias
PANTANAL
Bombeiros encerram buscas por idoso desaparecido há 11 dias
EDUCAÇÃO
UFGD abre 457 vagas em cursos de mestrado e doutorado para 2022
CAPITAL
Sequestro que durou 1 hora termina com dois presos e reféns liberadas
EMPREGO
Divulgada abertura de Seleção da Agepan e convocação da Ageprev
CORUMBÁ
Motorista de aplicativo é sequestrada durante roubo na fronteira
204 MIL VAGAS
IBGE cancela concurso para o Censo 2022 e diz que devolverá inscrição
REGIÃO
Dupla é detida após invadir fazenda e abater animal da propriedade
UEMS
Inscrições abertas: Concurso público para docente de Medicina

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Bombeiros encontram mais três corpos e número de mortos em naufrágio chega a seis
ROMA I
Acusados de estupro, mãe de menor e jovem responderão processo em liberdade
DOURADOS
PMA prende e autua dois pescadores em R$ 2,6 mil
DOURADOS 
Cidade não tem desabrigados, mas tempestade afetou dezenas de casas na periferia