Menu
Busca sexta, 23 de outubro de 2020
(67) 99659-5905
PANDEMIA

Prefeitura e MPE entram em acordo para retorno das aulas presenciais na rede privada

22 setembro 2020 - 08h25Por André Bento

O juiz José Domingues Filho homologou acordo celebrado entre a Prefeitura de Dourados e o MPE-MS (Ministério Público Estadual) no processo sobre a volta às aulas presenciais na rede privada de ensino no período de pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Essa doença já matou 90 pessoas no município.

Em despacho proferido na segunda-feira (21), o titular da 6ª Vara Cível da comarca também declarou extinta a Ação Civil Pública número 0900052-57.2020.8.12.0002, com resolução do mérito.

O Dourados News apurou que esse acordo foi celebrado na quinta-feira (17) e na prática prevê que a administração municipal adote medidas já ordenadas pelo Poder Judiciário no decorrer desse processo.

Um dos itens prevê a expedição de decreto municipal, em 10 dias a partir da assinatura do acordo, estabelecendo o órgão sanitário responsável pelo recebimento, aprovação e fiscalização dos Planos de Contenção de Riscos (Biossegurança) que deverão ser protocolados pelos estabelecimentos de ensino privado, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

No mesmo prazo e sob igual sanção, a prefeita Délia Razuk também deverá decretar o período de recebimento desses planos, bem como aprova-los, através de seu órgão sanitário, em 10 dias contados do protocolo.

Outro termo estabelecido no acordo prevê que o município exija, para aprovação dos planos de biossegurança, “que os estabelecimentos de ensino disponibilizem produtos e materiais necessários à higienização frequente dos alunos, professores, servidores e demais pessoas que vierem a frequentar o ambiente escolar”, além de condutas e procedimentos preventivos.

Caberá à prefeitura, ainda, fiscalizar in loco os planos de biossegurança apresentados pelos estabelecimentos privados de ensino, aplicando medidas administrativas cabíveis.

No entanto, houve compromisso por parte do município de editar decreto municipal autorizando o retorno do ensino particular “somente no momento epidemiológico oportuno, com lastro em elementos idôneos que recomendem ou autorizem e garanta a segurança do retorno das atividades presenciais”, sob pena de multa diária de R$ 10 mil.

Ao MPE, a prefeitura deverá apresentar “os elementos que subsidiaram a edição do ato autorizativo”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORUMBÁ
Homem é assassinado a golpes de faca no abdômen e na cabeça
POLÍTICA
Nelsinho Trad recebe do Dnit garantia de R$ 41,2 milhões para obras em MS
POLÍCIA
Homem é preso após subornar policiais militares com "corrente de ouro"
SAÚDE
Profissionais da maternidade do HU recebem curso sobre imunização
CAPITAL
Motorista de carro que bateu em carreta morre após parada cardiorrespiratória
TECNOLOGIA
WhatsApp agora permite silenciar conversas e grupos; veja como fazer
TRIBUNAL DO JURI
Sobrinho que matou tio a tiros em conveniência sai livre de julgamento
JUSTIÇA
Lote de habitação popular deve ser quitado com falecimento de beneficiário
REGIÃO
PF prende golpista que enviou molho de tomate a cliente que pagou por celular
BRASIL
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior

Mais Lidas

DOURADOS
Carona de motociclista que morreu em acidente com carreta corre risco de ter perna amputada
DOURADOS
Vítima de acidente na Marcelino Pires morre na mesa de cirurgia
FEMINICÍDIO
Agredida a tijoladas, mulher morre em Dourados após nove dias de internação
POLÍCIA
Carona de motociclista que morreu em acidente é transferida para o Hospital Universitário