Menu
Busca segunda, 21 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ECONOMIA

Preço da cesta básica em Dourados supera de quatro capitais brasileiras

07 fevereiro 2020 - 09h20Por André Bento

O preço da cesta básica em Dourados superou os de quatro capitais brasileiras em janeiro, conforme pesquisa realizada por acadêmicos do curso de Ciências Econômicas da Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).

O levantamento feito entre a última semana de janeiro a primeira de fevereiro no comércio local apontou valor de R$ 408,67, superior aos verificados pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) em Natal (único que não foi detalhado), João Pessoa, na Paraíba (R$ 388,02), Salvador, na Bahia (R$ 376,49), e Aracajú, em Sergipe (R$ 368,69).

No entanto, os pesquisadores apuraram queda de 6,82% no comparativo com dezembro de 2019 e indicam que os douradenses pagam menos do que os residentes em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul onde o preço da cesta básica em janeiro era de R$ 458,00.

Entre os 13 produtos que compõem a cesta básica conforme o Dieese,  a pesquisa aponta que oito ficaram mais caros em janeiro: farinha de trigo (alta de 10,82%), açúcar (2,88%), café (2,79%), batata (2,53%), margarina (2,39%), óleo de soja (1,64%), pão francês (1,50%), e leite (0,63%).

Em contrapartida, outros quatro baratearam: banana (queda de 33,9%), carne (9,98%), feijão (3,39%) e arroz (0,90%). “A queda acentuada da carne corroborou muito para a diminuição de preços da Cesta Básica em Dourados no mês de Janeiro após uma elevação muito forte nos dois últimos meses do ano de 2019. E o tomate fechou sem nenhuma variação no mês de Janeiro se compararmos com o mês de Dezembro”, ponderam os pesquisadores. 

Ainda segundo o levantamento, no último mês de 2019 a cesta básica (R$ 438,58) consumia o equivalente a 43,95% do salário mínimo vigente à época, de R$ 998,00. No primeiro de 2020, a R$ 408,67 equivale a 39,33% dos R$ 1.039,00 então vigentes. Como a inflação acumulada no ano passado chegou a 4,31%, o salário mínimo foi elevado para R$ 1.045,00.

Com base no texto constitucional que aponta 220 horas mensais de trabalho para brasileiros, os pesquisadores concluíram que em dezembro de 2019 os trabalhadores douradenses tinham que trabalhar 96 horas e 41 minutos para comprar a cesta básica. Em janeiro, esse tempo de labor caiu para 86 horas e 32 minutos.

“Isto representou um ganho do poder de compra do salário do trabalhador douradense comparado com o mês de Dezembro/2019. Este ganho ocorreu devido à queda dos preços da Cesta Básica douradense no mês de Janeiro assim como o aumento do Salário Mínimo que acontece no primeiro mês de cada ano”, pontuaram os pesquisadores.

Eles sugeriram ainda que os consumidores pesquisem em diversos supermercados antes de comprar, porque a diferença de preços chegou a quase R$ 60,00 entre os estabelecimentos pesquisados (R$ 433,40 no mais caro e R$ 373,41 no mais barato).

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO
Condutor deixa carro atravessado em meio fio com 700 kg de maconha
PANDEMIA
Dourados soma 45 novos casos de Covid e fecha semana com média móvel de 54,8
MONITORAMENTO
IBGE lança painel digital com dados sobre o coronavírus por cada município
TRÁFICO DE DROGAS
Dois são pegos vendendo cocaína e maconha no centro de Batayporã
MATO GROSSO DO SUL
Reforma do IML de Corumbá vai custar quase R$ 300 mil ao Governo do Estado
POLÍTICA
Deputados federais visitam áreas de queimadas no Pantanal de MS e MT
IMPRUDÊNCIA
Idoso de 74 anos acaba preso após ser flagrado dirigindo bêbado
REGIÃO
Polícia encontra carro abandonado com mais de meia tonelada de maconha
POLÍTICA
Com pauta cheia, comissões do Senado fazem sessões semipresenciais
POLÍCIA MILITAR
Homem é preso por disparo em via pública e porte ilegal de arma de fogo

Mais Lidas

RIO BRILHANTE
Homem de 56 anos cai de trator e morre atropelado em fazenda
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita